Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 21

    Colocado por: Joao Dias
    Freixo, mas extremamente seleccionado para ser o mais claro e “clean” possível.
    Estas pessoas agradeceram este comentário:pguilherme

    Gosto!
    Concordam com este comentário: Joao Dias
  2.  # 22

    Colocado por: DR1982aquela moldura à volta, parecia coisa antiga

    Aquela moldura á volta de certeza que foi para tapar o espalhanço dos cortes mal tirados inicialmente. Nestas coisas, simplesmente não se pode falhar. As peças têm de ser as mesmas de onde tiraste o corte das réguas. Se falhares uma medida que seja, já foste. E aquilo tem de ser milimétrico para ficar o mais perfeito possível.
    É daquelas coisas que rapidamente separa o trigo do joio.
  3.  # 23

    Colocado por: Joao Dias
    Aquela moldura á volta de certeza que foi para tapar o espalhanço dos cortes mal tirados inicialmente. Nestas coisas, simplesmente não se pode falhar. As peças têm de ser as mesmas de onde tiraste o corte das réguas. Se falhares uma medida que seja, já foste. E aquilo tem de ser milimétrico para ficar o mais perfeito possível.
    É daquelas coisas que rapidamente separa o trigo do joio.
    nao é nada de outro mundo, assim se tenha máquina, disco e dois dedos de testa para querer fazer bem.
    Considero que seja daquelas coisas que nao é preciso saber mas sim querer.
    Concordam com este comentário: NTORION, Miguel JR, chris50dd
    • SrR
    • 26 maio 2023

     # 24

    Colocado por: DR1982nao é nada de outro mundo, assim se tenha máquina, disco e dois dedos de testa para querer fazer bem.
    Considero que seja daquelas coisas que nao é preciso saber mas sim querer.
    com o disco estavas desgraçado, tem que ser com a festool k o jony tem
    Concordam com este comentário: Joao Dias
    • SrR
    • 26 maio 2023 editado

     # 25

    Jony tens k arranjar uma coisa destas pra patroa que é ela que espalha a cola
      61hG3XuUwrL._AC_UF1000,1000_QL80_.jpg
      Image.62f2cb2e6e527.jpeg
  4.  # 26

    Colocado por: DR1982nao é nada de outro mundo, assim se tenha máquina, disco e dois dedos de testa para querer fazer bem.
    Considero que seja daquelas coisas que nao é preciso saber mas sim querer.

    É isso mesmo. É facílimo. Por isso se costuma ver este género de elementos de precisão todos incrivelmente bem executados…
  5.  # 27

    Colocado por: SrRJony tens k arranjar uma coisa destas pra patroa que é ela que espalha a cola
      61hG3XuUwrL._AC_UF1000,1000_QL80_.jpg
      Image.62f2cb2e6e527.jpeg

    Já tentei comprar em 2020. Na altura estava esgotado e esteve durante o ano todo. Depois nunca mais tentei…
  6.  # 28

    Colocado por: Joao Dias
    É isso mesmo. É facílimo. Por isso se costuma ver este género de elementos de precisão todos incrivelmente bem executados…
    muito do que se vê mal feito é por desleixo.
    Acontece precisamente o mesmo nas caixas dos passeios por exemplo, muitos nem se dão ao trabalho de alinhar as juntas das peças…
    Concordam com este comentário: Miguel JR
  7.  # 29

    Colocado por: DR1982muito do que se vê mal feito é por desleixo.
    Acontece precisamente o mesmo nas caixas dos passeios por exemplo, muitos nem se dão ao trabalho de alinhar as juntas das peças…
    Concordam com este comentário:Miguel JR

    Naturalmente, mas este tipo de pormenores, não são assim tão pacíficos de executar como parece depois de feito. Se fossem, não se via tanta desgraça.
    Não te esqueças que, quando executas a caixa, o pavimento já está colado. Nada pode falhar senão, já era.
  8.  # 30

    Mas os detalhes vêm-se em tudo. E trabalho de detalhe, detalhe a sério, cada vez se vê menos. Tens aqui outro exemplo.
    Parece tão fácil e no entanto, só para ensaiar estes muretes foram mais de 16 hrs de trabalho até ficarem milimétricamente perfeitos.
      F58FFDB8-F6C8-4D93-99C8-09CBA07A4B84.jpeg
  9.  # 31

    Sim porque as réguas correm desde o soalho do corredor…
      94C8A6FC-D8C8-4303-8193-5158CAF3B194.jpeg
  10.  # 32

    Depois de feito são peanuts… difícil é lá chegar.
    Mas atenção, não tens literalmente 1mm de diferença em parte nemhuma deste murete!
      203E053A-30F1-4158-9CA1-4DC78FC0D62D.jpeg
  11.  # 33

    Há efectivamente muito trabalho que se vê por aí em que facilmente se vê que foi falta de paciência ou de fazer em condições. No que toca a este tipo de soalhos já não penso assim, ou se sabe o que se está a fazer ou não... não há milagres.

    Colocado por: Joao Dias
    Naturalmente, mas este tipo de pormenores, não são assim tão pacíficos de executar como parece depois de feito. Se fossem, não se via tanta desgraça.
    Não te esqueças que, quando executas a caixa, o pavimento já está colado. Nada pode falhar senão, já era.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Joao Dias
  12.  # 34

    Colocado por: desofiapedroHá efectivamente muito trabalho que se vê por aí em que facilmente se vê que foi falta de paciência ou de fazer em condições

    Na maior parte dos casos, o orçamento não permite perder o tempo necessário para o trabalho ficar bem feito, depois há aqueles que nem com muito tempo lá iam.
    Concordam com este comentário: Joao Dias
  13.  # 35

    Colocado por: Pickaxe
    Na maior parte dos casos, o orçamento não permite perder o tempo necessário para o trabalho ficar bem feito, depois há aqueles que nem com muito tempo lá iam.
    Concordam com este comentário:Joao Dias

    Isso tem sido uma das minhas grandes batalhas ao longo dos anos…
  14.  # 36

    Colocado por: Pickaxe
    Na maior parte dos casos, o orçamento não permite perder o tempo necessário para o trabalho ficar bem feito, depois há aqueles que nem com muito tempo lá iam.
    Concordam com este comentário:Joao Dias


    Eu sou da opinião que mesmo com baixo orçamento há minimos olimpicos, e cada vez mais nem os minimos olimpicos se fazem, o bota pra lá é ridiculo.
    Concordam com este comentário: Caravelle
  15.  # 37

    Colocado por: Joao DiasDepois de feito são peanuts… difícil é lá chegar.
    Mas atenção, não tens literalmente 1mm de diferença em parte nemhuma deste murete!
      203E053A-30F1-4158-9CA1-4DC78FC0D62D.jpeg


    Já estive para comentar, mas digo-o agora.
    Eu tenho sempre aqui uma questão que me incomoda em alguns dos trabalhos que aqui apresenta. Não duvido em nada do seu trabalho de carpinteiro.
    Mas acho que em alguns casos o projecto não está ao nível do carpinteiro, refiro-me ao projecto da casa (arquitectura). Neste exemplo, acho o seu trabalho perfeito; mas também acho a escada desinteressante, aquela porta branca "normal" tipo leroy descabida, ou aquele recuperador de parede a mais, a guarda em vidro não comento muito porque eu pessoalmente não gosto nada delas. Ou seja, o que está aí é igual ao que vejo nos prédios pato bravo.

    Um bom projecto com uma boa execução seria simplesmente brutal. Aqui, admito muito o seu trabalho mas fico com a ideia que o projecto não o merece.

    Dou-lhe os parabéns por ainda apostar nesta arte. Eu sempre gostei de marcenaria (e gostaria de ter tempo para isso também), das madeiras, do cheiro, da maneira como trabalham e mexem, daqueles bancos básico de uma tábua e quatro paus mas que não partem, acho a madeira com uma capacidade estonteante. Acho é que não há depois ninguém que execute, que perceba da poda.

    Hoje vão para o lixo portas de madeira maciça desempenadas para irem para a obra portas de platex e cartão.
    Hoje arranca-se parquet e taco para levar flutuante.

    O meu pai tem no norte uma casa com portas de entrada em madeira castanho (que já precisam de um miminho admito). Um primo meu disse "porque é que não pões aí umas portas em alumínio?". Fica aqui tudo resumido.
    Concordam com este comentário: zemvpferreira
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Joao Dias
  16.  # 38

    Agora vou mandar mais uma trancada.
    O pessoal queixa-se do dinheiro gasto nestes malucos da madeira. Mas dão 5%+IVA aos comerciais das "Remax'es".
    Concordam com este comentário: ricardo.rodrigues
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Joao Dias
  17.  # 39

    Colocado por: paulovalente

    Já estive para comentar, mas digo-o agora.
    Eu tenho sempre aqui uma questão que me incomoda em alguns dos trabalhos que aqui apresenta. Não duvido em nada do seu trabalho de carpinteiro.
    Mas acho que em alguns casos o projecto não está ao nível do carpinteiro, refiro-me ao projecto da casa (arquitectura). Neste exemplo, acho o seu trabalho perfeito; mas também acho a escada desinteressante, aquela porta branca "normal" tipo leroy descabida, ou aquele recuperador de parede a mais, a guarda em vidro não comento muito porque eu pessoalmente não gosto nada delas. Ou seja, o que está aí é igual ao que vejo nos prédios pato bravo.

    Um bom projecto com uma boa execução seria simplesmente brutal. Aqui, admito muito o seu trabalho mas fico com a ideia que o projecto não o merece.

    Dou-lhe os parabéns por ainda apostar nesta arte. Eu sempre gostei de marcenaria (e gostaria de ter tempo para isso também), das madeiras, do cheiro, da maneira como trabalham e mexem, daqueles bancos básico de uma tábua e quatro paus mas que não partem, acho a madeira com uma capacidade estonteante. Acho é que não há depois ninguém que execute, que perceba da poda.

    Hoje vão para o lixo portas de madeira maciça desempenadas para irem para a obra portas de platex e cartão.
    Hoje arranca-se parquet e taco para levar flutuante.

    O meu pai tem no norte uma casa com portas de entrada em madeira castanho (que já precisam de um miminho admito). Um primo meu disse "porque é que não pões aí umas portas em alumínio?". Fica aqui tudo resumido.

    Eu pessoalmente concordo com quase tudo menos com isto.
    A resposta é fácil, se adaptarmos o nosso trabalho à envolvente perdemos o destaque e acima de tudo perdemos a nossa identidade e aquilo que nos caracteriza. Isto é transversal a todas as artes e não a esta em particular. Resume-se numa palavra: Brio
  18.  # 40

    Colocado por: Vítor MagalhãesEu pessoalmente concordo com quase tudo menos com isto.
    A resposta é fácil, se adaptarmos o nosso trabalho à envolvente perdemos o destaque e acima de tudo perdemos a nossa identidade e aquilo que nos caracteriza. Isto é transversal a todas as artes e não a esta em particular. Resume-se numa palavra: Brio


    Eu posso ter sido pouco claro no que disse. Acho o brio profissional algo que deveria ser imprescindível.
    E acho o trabalho de carpintaria aqui exposto muito bom.
    Acho é que alguns projecto/espaços não tiram partido disto. E sei que isto não é fácil. Como também sei que o arquitecto normalmente nunca é um investimento, é uma despesa. Quanto mais barato, melhor. E enquanto pensarmos assim, não saímos disto (como nota: alguns arquitectos são sempre despesa).
 
0.0350 seg. NEW