Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Boa tarde,

    Durante uma conversa com a minha irmã, surgiu a ideia de comprarmos um terreno e construir uma casa. A ideia era tecnicamente nós as duas vivermos juntas na mesma morada (portanto dividir conta da luz, água, e o custo do terreno + construção), mas construir a casa de forma a que no fundo seja tipo moradias geminadas. Portanto viver juntas mas ter a nossa privacidade, se é que isso faz sentido.

    A minha questão é se é possível construir duas casas no mesmo terreno (mas estarem registadas como uma). No fundo, seria considerado apenas uma casa mas com 2 cozinhas, 2 salas, etc..

    Isto é apenas uma ideia para o futuro para já, por isso teríamos de fazer muita pesquisa sobre o assunto, mas queria ter já uma ideia se é possível ou não.
  2.  # 2

    Colocado por: PipocoA minha questão é se é possível construir duas casas no mesmo terreno (mas estarem registadas como uma)
    Se o PDM o permitir, é possível construir duas moradias geminadas (são registradas duas moradias), ou então uma moradia bifamiliar em propriedade horizontal.

    Porque que é importante para si, existir apenas o registro de 1 moradia?
  3.  # 3

    Olhe, legalmente não mas podem fazer, obter a licenca de utilização e depous fazer as adaptacoes, concebendo o projeto já a pensar no futuro.
    Agora, isso vai dar asndira no futuro, as pessoas têm tendência a desentenderem-de.
    Pensem em outra solução, pelo menos em imóveis oficialmente independentes, assim casa um fará o que entender em cada momento.
    Concordam com este comentário: mandrongo
  4.  # 4

    Porque a ideia era viver juntas, mas ter a nossa privacidade e liberdade para mobilar a nossa parte da casa como queremos. Também queríamos partilhar determinadas áreas para poupar espaço e dinheiro, como a garagem (que poderia ficar no centro da casa, tipo isto, mas com apenas uma porta) e se calhar o quintal. Se forem duas casas registadas separadamente não sei bem se dá para fazer isso. No fundo seria apenas uma casa fora do comum.
  5.  # 5

    Como o hall disse, se o pdm permitir para esse terreno, pode licenciar uma moradia bifamiliar com um unico ramal para as ligações de infrastruturas mas claro contadores independentes, ou seja terá que ter a propriedade horizontal, portanto duas frações independentes e comercializáveis no mesmo terreno.
  6.  # 6

    É uma ideia completamente disparatada, daqui a 30 anos vai dar-me razão.
    A solução é fazer uma moradia bifamiliar ou duas moradias geminadas, em propriedade horizontal, um fica com a fração A e o outro com a fração B, no dia em que alguma coisa possa correr mal, um pode vender a sua fração e o outro continua a sua vida na sua fração.
    Concordam com este comentário: HAL_9000, marco1, Pedro Barradas, desofiapedro, mandrongo
  7.  # 7

    Vou ser mais a carregar na tecla: é má ideia. Vão poupar uma ninharia e arrasar o valor de revenda ou arrendamento das casas. Sem falar no imbróglio que vai ser se alguma vez se desentenderem, ou juntarem trapos com alguém que não queira viver nesse esquema.

    Comprem duas moradias geminadas e deitem abaixo o muro divisório. Se querem mesmo, uma compra a máquina de lavar roupa e a outra a máquina de lavar louça. Não vão mais longe do que isso, para bem das duas.
  8.  # 8

    É má ideia... E se pretendem recorrer a crédito bancário para HPP. É para esquecer.
  9.  # 9

    Entendo o que querem dizer e o porquê de acharem ser má ideia, mas nem toda a família se dá mal. E se formos com isto para a frente, a intenção é ficar nestas casas o resto das nossas vidas, principalmente se for para construir as casas do zero.

    No entanto, penso que realmente é melhor ter as casas registadas separadamente, visto que não parece haver grandes benefícios em fazer o que eu mencionei.

    As minhas questões são, e peço desculpa se pareço um bocado ignorante neste assunto:

    1. Dá para comprar um terreno a meias na mesma com a minha irmã? E depois construir as duas casas lado a lado e cada uma paga o valor da construção da sua casa?
    2. A obra seria feita ao mesmo tempo porque as casas seriam coladas (para poupar espaço), mas é possível as casas serem diferentes e não gémeas uma da outra? Porque por exemplo, a minha irmã poderá querer ter uma sala maior, quando eu prefiro uma coisa mais pequena. Ou ela pode querer uma cozinha isolada, quando eu quero uma cozinha, sala e sala de jantar aberta. É possível?
  10.  # 10

    Colocado por: PipocoDá para comprar um terreno a meias na mesma com a minha irmã?
    Dá sem problema


    Colocado por: PipocoE depois construir as duas casas lado a lado e cada uma paga o valor da construção da sua casa?
    Se o PDM e o terreno o permitir. Têm de ter isso em atenção na aquisição do terreno. Se não conseguirem ver essas questões sozinhos, peçam ajuda a um gabinete de arquitetura antes de adquirir o terreno.
  11.  # 11

    Colocado por: Pipocomas nem toda a família se dá mal. E se formos com isto para a frente, a intenção é ficar nestas casas o resto das nossas vidas, principalmente se for para construir as casas do zero.


    Todas as famílias se dão bem até haver bens para dividir.

    Mas partindo do pressuposto que isso não aconteceria, imagine, então, o momento em que uma de vocês quer casar e viver com o respetivo. Vão morar os três no mesmo espaço? Julgo que não. Então, uma vai ter de sair. Qual? É que era o sonho das duas, ambas fizeram esforços para concretizar e estão ambas sentimentalmente ligadas à casa.

    Mas até se entendem, e uma vai sair, mas a outra, se quiser a casa, tem de dar à primeira metade do valor da mesma. E se não tiver o dinheiro? Têm ambas de vender a casa que era para toda a vida (como a outra que canta). E com a venda de uma casa não compra duas...
    Este é só um exemplo de um cenário que vai de encontro ao que já disseram atrás.


    Achei curioso e engraçado, porque no início não havia problema em partilhar espaço, mas se for para cada uma ter a sua casa, já é cada uma à sua maneira. Na solução de uma casa só, ia ser um problema para fechar a planta :)
  12.  # 12

    Colocado por: mandrongo

    Todas as famílias se dão bem até haver bens para dividir.

    Mas partindo do pressuposto que isso não aconteceria, imagine, então, o momento em que uma de vocês quer casar e viver com o respetivo. Vão morar os três no mesmo espaço? Julgo que não. Então, uma vai ter de sair. Qual? É que era o sonho das duas, ambas fizeram esforços para concretizar e estão ambas sentimentalmente ligadas à casa.

    Mas até se entendem, e uma vai sair, mas a outra, se quiser a casa, tem de dar à primeira metade do valor da mesma. E se não tiver o dinheiro? Têm ambas de vender a casa que era para toda a vida (como a outra que canta). E com a venda de uma casa não compra duas...
    Este é só um exemplo de um cenário que vai de encontro ao que já disseram atrás.


    Achei curioso e engraçado, porque no início não havia problema em partilhar espaço, mas se for para cada uma ter a sua casa, já é cada uma à sua maneira. Na solução de uma casa só, ia ser um problema para fechar a planta :)

    Não faz parte dos nossos planos casar nem ter filhos, não somos jovens de 30 anos.
    E ter a casa ao nosso gosto era simplesmente um beneficio de construir uma casa do zero. Afinal de contas não é essa uma das razões porque as pessoas optam por construir a sua própria casa? Até pode acontecer encontrarmos moradias geminadas já feitas e escolher comprar em vez de construir. Mas se vamos construir, mais vale ser ao nosso gosto, não?

    Então vamos imaginar que decidíamos comprar uma casa juntas como irmãs/amigas, como os casais fazem. Por essa lógica, não podíamos porque temos sempre de pensar "no futuro vamos estar uma contra a outra a tentar vender a casa". Se fosse assim as pessoas não se casavam e não compravam casas.

    Mas enfim, adiante, agradeço a preocupação mas dizer-me que daqui a uns anos eu e a minha irmã vamos ser inimigas e que isto vai dar para o torto, não me está a ajudar, porque é só especulação. Para além de que já salientei que a melhor opção seria de facto então ter duas casas registadas separadamente já que não há benefícios para fazer o contrário como eu pensei inicialmente. Portanto, resumindo, não adianta estar a bater na mesma tecla. :)
  13.  # 13

    Colocado por: HAL_9000Dá sem problema


    Se o PDM e o terreno o permitir. Têm de ter isso em atenção na aquisição do terreno. Se não conseguirem ver essas questões sozinhos, peçam ajuda a um gabinete de arquitetura antes de adquirir o terreno.

    Isso do PDM é algo que dá para verificar online? A cidade seria Vila Nova de Gaia.

    Existe alguma razão para um terreno não permitir a construção do que pretendo?

    Claro que agora estou a tentar ter apenas uma ideia, mais tarde vamos começar a informar-nos melhor sobre o assunto e todos os passos necessários.
  14.  # 14

    Colocado por: Pipoconão adianta estar a bater na mesma tecla. :)

    Se quer que lhe diga, deveria agradecer os alertas que lhe deram.
    Mas claro, a escolha é sua. Quanto às suas outras questões, é escolherem o terreno e consultar um gabinete de arquitectura /engenharia, assim como assim terá de os consultar/contratar para fazer a casa.
    Concordam com este comentário: mandrongo, zemvpferreira
  15.  # 15

    Colocado por: AMVP
    Se quer que lhe diga, deveria agradecer os alertas que lhe deram.
    Mas claro, a escolha é sua. Quanto às suas outras questões, é escolherem o terreno e consultar um gabinete de arquitectura /engenharia, assim como assim terá de os consultar/contratar para fazer a casa.

    De facto foram vários os alertas vindo de pessoas diferentes. E de facto, cheguei à conclusão que a melhor opção não era a que tinha pensado. Daí ter dito que não adianta "bater na mesma tecla".

    Obrigada pela ajuda!
  16.  # 16

    Colocado por: Pickaxe
    A solução é fazer uma moradia bifamiliar ou duas moradias geminadas, em propriedade horizontal, um fica com a fração A e o outro com a fração B
    Concordam com este comentário:HAL_9000,marco1,Pedro Barradas,desofiapedro,mandrongo


    Pelo que sei (que não é muito) bifamiliar é por exemplo, uma casa no RC e outra no piso 1 que partilham o mesmo quintal. Mas moradias geminadas são duas casas (com por exemplo 2 pisos) coladas uma à outra mas separadas a meio, incluindo o quintal. Portanto moradia bifamiliar e moradia geminada são duas coisas diferentes mas ambas são registadas como casas separadas?

    E mais umas questões importantes se alguém souber responder.

    As moradias geminadas precisam de estar coladas uma à outra? E a planta de cada casa pode ser ligeiramente diferente ou têm de ser gémeas?
  17.  # 17

    O interior das fracções pode ser diferente, o sue não pode é ter metade uma um germinada diferente da outra metade pelo lado exterior, ou melhor, na verdade até pode, se o projeto prever uma varanda numa e não na outra. Como já lhe disse, fale com quem sabe do assunto.
  18.  # 18

    Se o lote permitir moradia bifamiliar, as frações podem ter a forma que quiser, coladas, juntas, separadas, etc...
    fale com um gabinete de arquitetura isto se já tiver terreno ou mesmo até para lhe aconselharem algum terreno.
    Concordam com este comentário: mandrongo
    Estas pessoas agradeceram este comentário: nunogouveia
  19.  # 19

    Colocado por: PipocoEntão vamos imaginar que decidíamos comprar uma casa juntas como irmãs/amigas, como os casais fazem. Por essa lógica, não podíamos porque temos sempre de pensar "no futuro vamos estar uma contra a outra a tentar vender a casa". Se fosse assim as pessoas não se casavam e não compravam casas.


    Percebo a analogia, mas marido/mulher arranja outro e segue com a sua vida. A família não substitui...


    E em tudo o resto que disse, note que nunca pus em causa a questão de construírem, se é esse o sonho, acho que devem segui-lo.

    Portanto, na minha opinião, ou fazem apenas uma casa - e acredite que, infelizmente, já não é para o bolso da maioria dos contribuintes - e cada uma tem a sua suite, espaçosa, que dê para ter a cama e um espaço adicional para sofá e depois partilham os restantes espaços, ou optam por construir duas moradias geminadas.

    Julgo que já tem os inputs que precisava. Olhe para o comentário anterior, do marco1. É o próximo passo a dar. Boa sorte.
  20.  # 20

    Pelo que tenho lido, a melhor opção se calhar seria moradias geminadas. Concordam?

    Há alguma vantagem em escolher moradia bifamiliar? Sinceramente, não sei muito bem quais são as diferenças.

    Em relação ao terreno, quer seja moradias geminadas ou bifamiliar, tem na mesma de permitir construir duas casas, certo? Se um terreno não permitir, é possível saber se dá para alterar isso (antes de comprar)?
 
0.0243 seg. NEW