Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    boa noite.

    agradecia se possivel uns esclarecimentos. quando e atribuida a perda total de um veiculo, o valor sera calculado pelo valor comercial? existe maneira de forcar a seguradora a dar um veiculo equivalente ao perdido, tipo, modelo ano e cilindrada? outra coisa depois de ser pago o valor do carro pela seguradora o veiculo em questao e propriedade da seguradora? a pergunta e no caso de avaliação muito baixa conseguir vender o que resta para tentar minorar a situacao.

    obrigado.
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    O normal é ser indemnizado pelo valor da perca total e fica com os salvados na mesma. É tudo seu que eles não querem o "entulho", se for o caso.

    O valor é achado pelo valor comercial, mas se puser um advogado a mexer a coisa, pode ser bem mais, depende dos valores que estiverem em causa, uma vez que os "valores comerciais tabelados" são relativos...

    Já me aconteceu baterem-me por detrás, a reparação custava na época 150 contos em oficina xpto. Deram-me 120 de perca total. Com esse dinheiro reparei e pintei, ficou novo e só gastei 60.
    Concordam com este comentário: smst
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Arnnogueira
  4.  # 3

    a coisa bem feita o seguro é obrigado a proceder á reparação da viatura.

    A mim não me fazem uma perca total.

    se o carro eventualmente não tiver arranjo, faz uma pesquisa de mercado, encontra um carro igual e o seguro paga-o...

    veja isso junto de um advogado que ande chateado com a seguradora :)) vai ver como entram pela madeira.
    Concordam com este comentário: JPN761
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Arnnogueira

  5.  # 4

    mais vale ir-me preparando para uma luta...para receber estao sempre prontos..o veiculo e um seat ibiza de 2008...
  6.  # 5

    • Gex
    • 6 Dezembro 2013

     # 6

    Há uma lei no código civil que diz que as seguradoras devem indemnizar de forma a que a pessoa fique na mesma situação em que estava como se o sinistro nunca tivesse acontecido. Ou seja, se eles querem oferecer 100, mas o carro vale 200, pesquise nos usados por carros com as mesmas características (marca, ano, kms, extras, etc...) e diga-lhes, não quero 100, mas quero este carro. Eles não têm hipótese.
    Concordam com este comentário: loverscout
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Arnnogueira
  7.  # 7

    inclusive ja houve 2 ou 3 decisoes em tribunal que deram razao ao proprietario da viatura, que nao queria o dinheiro, apenas queria uma viatura igual! uma vez que o dinheiro que a seguradora sugeria nao dava para comprar outro carro igual!


    Mas isto so acontece no caso de nao ser culpado!
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Arnnogueira
  8.  # 8

    Colocado por: loverscout

    Mas isto so acontece no caso de nao ser culpado!


    OU, havendo cobertura de danos próprios!
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Arnnogueira
  9.  # 9

    a situação é a seguinte, basicamente se resume a um embate contra o nosso veiculo que estava estacionado, cerca das 01:30 em que o condutor foge, deixando o seu veiculo no local do acidente, é claro que devido ao embate ficou atracado com os carros encaixados sendo impossível mover o veiculo, tenho fotos tiradas que certamente ajudarão a esclarecer, e também esteve um agente da Psp transito no local.
    • mog
    • 6 Dezembro 2013

     # 10

    Boas,
    Segundo informação do ISP, a seguradora poderá propor pagar o valor venal do veículo, i.e., "o valor pelo qual o veículo poderia ser substituído antes do acidente". Caso o carro fique na sua posse, a seguradora deverá deduzir o valor do salvado, i.e., da "sucata" que fica consigo. Ver o seguinte link: http://www.isp.pt/NR/exeres/43719CA5-8CBD-4CE6-B6CB-03B184E907B7.htm
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Arnnogueira
  10.  # 11

    Caro Arnnogueira,
    pode consultar os seus direitos no decreto-lei 83/2006 (http://www.dre.pt/pdf1s%5C2006%5C05%5C085A00%5C31843190.pdf)
    Consulte o artigo 20º-I sobre a perda total.

    Eu passei por uma situação idêntica em Maio de 2011. Tinha o meu carro estacionado à frente do meu local de trabalho, e uma viatura despistou-se e embateu contra o meu carro. O embate praticamente desfez a traseira do carro (chegou ao ponto de entortar o eixo traseiro e o pilar C).
    Na peritagem dos danos, o perito disse logo que o carro era considerado perda total, tanto pelo valor como pela reparação que seria muito complicada.
    Fiz uma negociação do valor da indemnização, já que a primeira proposta foi muito baixa. Fui ver os valores médios de viaturas idênticas à minha, e estabeleci um valor justo da indemnização. Consegui negociar uma proposta ligeiramente acima, e finalizei o acordo em que fiquei com o carro como sucata.
    Posso dizer-lhe que tive alguma sorte, porque consegui um valor de indemnização superior ao que teria conseguido caso tentasse vender o carro antes do acidente. E com a sucata, ainda vendi muitas peças, que permitiu aumentar o valor da indemnização. E com esse valor, consegui comprar um carro mais recente, com menos km, e em melhor estado que o meu. (fruto de um mercado de usados em crise). Como lhe disse tive alguma sorte.

    Agora tenha em atenção o seguinte:
    - As seguradoras vão agarrar-se ao decreto-lei acima. Apenas lhe vão oferecer um valor venal (não é o mesmo que o valor comercial).
    - Caso o valor da reparação ultrapasse o valor venal, ou a reparação não garanta as condições de segurança iniciais, as seguradoras não têm obrigação em reparar o veículo. Está explícito no ponto 1 do artigo 20º-I
    - Tente negociar a melhor indemnização possível. Analise o mercado por carros idênticos ao seu, e faça uma média. A partir daí, é como negociar nos mercados de rua em Marrocos.
    - Analise o estado da sua viatura. Será que dá para recuperar, ou torna-se arriscado/oneroso a sua reparação? Se der para recuperar, peça orçamentos para reparação. Caso contrário, pense em desmantelar e vender por peças.
    - Vão dar-lhe um valor pelo salvado. Normalmente esse valor é muito baixo. É aqui que as sucateiras ganham muito dinheiro. Posso dizer-lhe que no meu caso, o valor que deram pelo salvado foi muito baixo, e não aceitei ficando com o salvado. Na minha pesquisa por orçamentos de reparação, uma oficina bate-chapas ofereceu-me um valor 3 vezes superior que a sucateira. Também não aceitei e acabei pode desmantelar o carro às peças, lucrando quase 10 vezes o valor da sucateira. (Posso dar-lhe valores mais concretos por mensagem privada).
    - Cada caso é um caso, mas evite levar o processo para tribunal. Até pode ganhar o processo em tribunal, mas o valor final normalmente não compensa o tempo dispendido e as chatices...

    Se quiser mais informações contacte-me por mensagem privada.
    Boa sorte na resolução do seu caso.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: eu, Arnnogueira
  11.  # 12

    obrigado a todos pela ajuda, estou á espera da peritagem e ver o que eles dizem...
  12.  # 13

    Atenção á venda do carro em peças. Tem que dar baixa da matricula do carro senão fica a pagar IUC o resto da vida. E para dar baixa da matricula tem de entregar o carro num Centro de Abate.
  13.  # 14

    Colocado por: CarvaiAtenção á venda do carro em peças. Tem que dar baixa da matricula do carro senão fica a pagar IUC o resto da vida. E para dar baixa da matricula tem de entregar o carro num Centro de Abate.

    Não tem nada.
  14.  # 15

    Sim, desmantelei o carro por completo e entreguei o chassis e documentação num centro de abate para dar baixa da matrícula.
    Aliás, até foi mais fácil. Bastou-me contactar uma empresa de reboques, que trataram desse processo por mim, livre de encargos (acho que eles ganham pelo peso do ferro que vai para abate. Juntam uns quantos carros e entregam tudo de uma vez.)
    Passado 1 mês, tinha a matrícula abatida.
  15. Ícone informação Anunciar aqui?

  16.  # 16

    Mas pode abater a matricula e ficar com o veiculo.
    Se quiser...
  17.  # 17

    Colocado por: king25Mas pode abater a matricula e ficar com o veiculo.
    Se quiser...

    Legalmente não pode, mas há sempre esquemas para contornar a lei.
  18.  # 18

    Colocado por: CarvaiAtenção á venda do carro em peças. Tem que dar baixa da matricula do carro senão fica a pagar IUC o resto da vida. E para dar baixa da matricula tem de entregar o carro num Centro de Abate.


    já não tem .
  19.  # 19

    eh tanta informação correcta... alguma há de estar bem
  20.  # 20

    ainda á pouco tempo atrás abati uma matricula e nem sei aonde está o carro ! mas já me tinha sido informado antes que teria que entregar o carro ... mas já não é preciso .
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">