Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Estou de férias no sudoeste.

    Fico bastante decepcionado com casas a cair...
    Cidades como Alcácer, Santiago ou Odemira,vê-se que tiveram um faustoso passado.Estão em acentuada decadência...

    O Turismo pode ser a salvação?

    E o interior do Alentejo?

    Que futuro?

    Porquê o êxodo para Lisboa e Algarve?
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    centrais fotovoltaicas e turismo... O turismo terá de ser de qualidade... aproveitar as rotas do vinho, do pão , do mel, do medronho, do azeite, valorizar o patrimonio historico e natural...

    A agricultura, somente subsisitirá com o regadio... as alterçãoes climaticas fazem-se sentir... secas...
    O pessoal da terra.. não quer trabalhar a terra... encontra-se na sua maior parte subsidio/ camara dependente... já temos eralções assim...
    Trabalhadores agricolas/ sazonais teremos de importar, da ásia ( como já se faz no Litoral Alentejano e a´te mesmo em grandes herdades que necessitma de mão de obra para a apanha que não pdoe ser mecanizada)

    É isto que vejo por aqui... é um resumo...
    Concordam com este comentário: cinderela
  4.  # 3

    Eu daqui a uns anos faco a minha parte.

    Temos (a familia) algumas casas para recuperar na zona historica de Santiago.
    Existe uma que gosto bastante e acho que ficaria impecavel, mas olho para ela e vejo que preciso de gastar $70.000-100.000, muita $$$ para uma casa que iria usar 1 vez por ano e sem muito retorno financeiro.
    As casas no Litoral Alentejano (nao sao baratas) mas nao sao os precos da zona de Lisboa ou Algarve.


    O porque das casas nao estarem restauradas?
    Partilhas complicadas, familias numerosas em que ninguem se entende.
    E uma populacao envelhecida, com reformas miseraveis que mal chegam para os medicamentos.
    Em portugal ainda se valoriza muito uma casa nova.
    As casas antigas por norma sao muito pequenas e no centro da cidade raramente tem jardins.
    O preco do restauro...vamos ser sinceros por vezes fica mais caro do que construir novo.
  5. Procura serviços ou materiais para a sua casa? Contrate quem ajuda no fórum.

  6.  # 4

    Manter as telhas no lugar.

    Manter o telhado.

    Já era uma ajuda para não se degradar,entrar em ruínas,cair...
    Concordam com este comentário: cinderela
  7.  # 5

    Colocado por: Palhava
    Porquê o êxodo para Lisboa e Algarve?


      Pelo preço de um apartamento no Chiado preferia comprar uma pequena herdade no Alentejo. Porque não o faço? Se me mudar para o Alentejo, vou trabalhar onde mesmo?

      Francamente adorava viver numa vila qualquer da Costa Vicentina, mas quem o fizer apenas tem duas hipóteses profissionais: ou arranja um tacho na câmara municipal ou abre alguma actividade por conta própria relacionada com o turismo. Certamente haverão outros empregos nessas vilas, mas serão sempre não-qualificados a auferirem pouco mais que o salário minimo (a trabalhar no Intermarché da vila por exemplo).

      Pessoalmente acho que a qualidade de vida numa destas vilas seria tremenda, mas se não há empregos, não há motivação para uma pessoa deslocar-se para lá.
      Concordam com este comentário: pauloagsantos, skypt, Paramonte, ADROatelier
    •  # 6

      Colocado por: marcoaraujovou trabalhar onde mesmo?

      Aqui esta a resposta para o topico,,O que leva as pessoas a emigrar por exemplo?è fácil em primeiro de tudo está o trabalho !
    •  # 7

      Colocado por: marcoaraujoFrancamente adorava viver numa vila qualquer da Costa Vicentina, mas quem o fizer apenas tem duas hipóteses profissionais: ou arranja um tacho na câmara municipal ou abre alguma actividade por conta própria relacionada com o turismo. Certamente haverão outros empregos nessas vilas, mas serão sempre não-qualificados a auferirem pouco mais que o salário minimo (a trabalhar no Intermarché da vila por exemplo).

      Pessoalmente acho que a qualidade de vida numa destas vilas seria tremenda, mas se não há empregos, não há motivação para uma pessoa deslocar-se para lá.

      Está enganado!!!, na costa vicentina há muito traalho.. memso muito. è so candidatar-se ás diversas estfas que por ali prolifferam... Mas como o pessoal não quer trabalhar.. há que importar trabalhadores asiáticos...
    •  # 8

      Colocado por: marcoaraujoFrancamente adorava viver numa vila qualquer da Costa Vicentina, mas quem o fizer apenas tem duas hipóteses profissionais: ou arranja um tacho na câmara municipal ou abre alguma actividade por conta própria relacionada com o turismo


      infelizmente é este o cenário de costa vicentina e se formos mais para o interior, nem sequer a opção do turismo existe, só mesmo os serviços públicos (camaras, finanças, escolas, centros de saúde,...) ou poucos serviços privados (bancos, seguradoras). Daí ser tão polémico o fecho de alguns serviços no interior, é mais uma machadada na população activa e na fixação de nova população.

      se à uns séculos atrás o interior estivesse tão despovoado como agora, já os espanhóis tinham conquistado metade de portugal.
    •  # 9

      Colocado por: marcoaraujoPelo preço de um apartamento no Chiado preferia comprar uma pequena herdade no Alentejo. Porque não o faço? Se me mudar para o Alentejo, vou trabalhar onde mesmo?

      Francamente adorava viver numa vila qualquer da Costa Vicentina, mas quem o fizer apenas tem duas hipóteses profissionais: ou arranja um tacho na câmara municipal ou abre alguma actividade por conta própria relacionada com o turismo. Certamente haverão outros empregos nessas vilas, mas serão sempre não-qualificados a auferirem pouco mais que o salário minimo (a trabalhar no Intermarché da vila por exemplo).

      Pessoalmente acho que a qualidade de vida numa destas vilas seria tremenda, mas se não há empregos, não há motivação para uma pessoa deslocar-se para lá.


      Já trabalhei no Algarve ... m,elhor ano da minha vida, mas infelizmente o mercado é pequeno e todos nós temos sonhos de mais e melhor. Voltei para Lisboa e sonho um dia conseguir amealhar o suficiente para acabar a minha vida no Alentejo. Se existisse trabalho na minha área, a possibilidade de trabalhar no Alentejo, podem ter a certeza que lá estaria.

      Mas a concentração de certas profissões nos grandes centros faz com que a maioria das pessoas saia dessas zonas e procure mais para a sua vida. Feliz aquele que consegue fazer a sua vida profissional em paraísos como o Alentejo!
    •  # 10

      Se eu e o meu marido tivéssemos emprego na nossa área (engº e ensino), eramos os primeiros a assinar de cruz e a voltar para o nosso Alentejo interior.
      Somos resultado da falta de emprego e daí estarmos na zona metropolitana de Lisboa.
      Tenho familiares que têm um alojamento local numa cidade pequena do interior alentejano e vai dando para safar, sobretudo no verão. Mas há muitos fins de semana no outono e primavera que também está sempre cheio.
    •  # 11

      Colocado por: Pedro Barradas
      Está enganado!!!, na costa vicentina há muito traalho.. memso muito. è so candidatar-se ás diversas estfas que por ali prolifferam... Mas como o pessoal não quer trabalhar.. há que importar trabalhadores asiáticos...


      Ó Pedro, francamente...
      Se um gajo se mete na universidade a tirar uma licenciatura em biotecnologia, eng. biomédica, matemática aplicada, ciências informáticas, etc. é natural que tenha como objectivo exercer funções profissionais nessa área. Como é lógico não vai ser no Alentejo que vai encontrar esses empregos. Ambição profissional é um direito que todos temos e infelizmente as empresas insistem em fixar-se em Lisboa e Porto. Há alguns exemplos de empresas onde contratam pessoas altamente qualificadas fora de Lisboa e Porto, mas são poucos os casos. Assim de repente lembro-me da Bosch em Braga, da Portugal Telecom em Aveiro, da Vulcano em Ovar e pouco mais. E mesmo assim são zonas mais ou menos costeiras. No interior grandes empresas só me recordo da Delta em Campo Maior e da PSA em Mangualde.
    •  # 12

      Francamente.... digo eu...
      Agora essas licenciaturas.... como qualquer das outras são nichos...
      Esse pessoal que também venha... como eu. criem os vossos postos de trabalho... seja na área ou não.. Nem sempre se tem o que se deseja.. será sempre assim.
      em ÉVORA, existem call centers, industria electronica, aeronáutica...
    •  # 13

      Aqui pelo norte o cenário é semelhante, o que não faltam são casas devolutas consumidas pelos silvados, quintas e quintinhas ao desbarato pelo preço de um T1 em Matosinhos... Enfim...
      • Amorin
      • 22 Setembro 2017 editado

       # 14

      A mauta já não quer fazer nenhum. È que já nem a lida da casa quer fazer. A minha ex, só porque ganhava 900€ já queria contratar uma mulher a dias para passar a roupa e fazer a "manage". Como se 2 pessoas sujassem muita roupa. Acabou por ficar desempregada e sem marido, agora faz a manage dela de umas tantas outras familias.
      Concordam com este comentário: Pedro Barradas
    •  # 15

      Trabalhadores asiáticos vi bastante nos cafés,e na minha ingenuidade pensei que também já tinham tomado conta das mercearias Alentejanas com horário late night ...

      Em Espanha não se vê esta decadência...as cidades estão vivas...

      Aliás os espanhóis compraram hectares e hectares à volta do Alqueva.
    • Ícone informação Anunciar aqui?

    •  # 16

      Colocado por: Amorinmanage

      o Amorin por favor!isso nem esta em françes nem em português,
      • eu
      • 23 Setembro 2017

       # 17

      Colocado por: marcoaraujoHá alguns exemplos de empresas onde contratam pessoas altamente qualificadas fora de Lisboa e Porto, mas são poucos os casos

      Não são assim tão poucos...

      Até no interior profundo, como por exemplo Proença a Nova (Outsystems) ou Fundão (Altran), há empregos altamente qualificados.
    •  # 18

      Colocado por: ramos1999o Amorin por favor!isso nem esta em françes nem em português,
      Pois eu sei. Mas acho que a mauta entendeu.
      Concordam com este comentário: Palhava
    •  # 19

      Outra coisa...
      O país não pode viver só dos sector terciário!!!,
      a AGRICULTURA, a FLORESTA, tem e deve ser desenvolvida, bem como todas as areas especializadas que lhe dão apoio. investigação, logistica, etc...
      Depois ainda existem outras actividade complementares/ tradicionais... apicultura, Destilação ( medronho.. ou no caso de Monsaraz, que o António cuco, desenvolveu um projecto de destilação de GIN... com grande sucesso), há ainda a cortiça... a pecuária, nomeadamente na valorização de espécies autoctones ( porco alentejano, por exemplo)... Temos a produção de queijos.. a Vinha...
      A CULTURA e o PATRIMONIO....
      Associado a todas essas actividades, temos atrelado o turismo, a gastronomia. Tudo tem de ser fomentado simbioticamente.
      Concordam com este comentário: Palhava, jorgealves, VMC
    •  # 20

      Colocado por: AmorinPois eu sei. Mas acho que a mauta entendeu.
      Concordam com este comentário:Palhava

      Francês é que não leva cedilha...
    data-ad-format="auto" data_ad_region="test">