Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Boa tarde a todos!

    Tenho neste momento um futuro imóvel em vista, que apenas estará construído para meados de 2023.

    Encontra-se neste momento numa fase de "investimento", sendo que existe uma modalidade em que até à data da escritura, deverão ser entregues ao empreiteiro várias tranches, perfazendo um total de 50% do valor do apartamento.

    Entrando em mais detalhes, estamos a falar de 20% aquando do CPCV (capitais próprios), e depois 30% ao longo do tempo (com recurso a crédito).

    Gostaria de saber se alguém já passou por um processo semelhante que me possa dar alguns conselhos, relativamente a produtos bancários para este tipo de financiamento.
    Estou neste momento a começar a entrar em contacto com bancos, mas até existirem mais detalhes e respetivo CPCV, não me conseguem adiantar grande coisa. Um exemplo será utilizar o "Crédito Intercalar para Sinalizar a Compra de Casa" da CGD, para perfazer os 30%, sendo que este valor será depois integrado no crédito habitação aquando da escritura, para efeitos de spread, etc.

    Agradecia todas as dicas possíveis, não só relativo a financiamento como também de precauções a ter num negócio deste género, até devido ao elevado risco que o mesmo acarreta...
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    Há muitas histórias dessas que acabam bem.
    Há muitas que acabam mal.
    Há muitas que acabam em terror.

    Verifique a solidez do empreiteiro. O risco maior que corre é haver uma crise de alguma magnitude e o empreiteiro abrir falencia, depois fica com o menino nas mãos.
  4.  # 3

    50% antes da escritura é exagerado
    Não peça créditos para sinal e reforço de sinal, só para pagar o remanescente na escritura.
    Concordam com este comentário: brunomrosa

  5.  # 4

    Colocado por: RRoxxVerifique a solidez do empreiteiro.

    isto é muito importante, gaste 5€ e obtenha a ultima IES da empresa, no portal da empresa.
    Obtenha referências
    Concordam com este comentário: brunomrosa
  6.  # 5

    Tem que se proteger muito bem a nivel dos contratos com o promotor / empreiteiro.

    O que é "em planta" para sí? A planta que está na imobiliária / promotor ?

    Confirmar muito bem os estados das licenças e o prazo de obra.

    Se o que o promotor tiver for um Pedido de Informação Prévia na mão, eu nao dava nenhum dinheiro sem ter dado entrada na Câmara Municipal comunicação prévia e/ou a licença de obra emitida.

    Outras opções a tomar, é por conta e risco. Boa sorte.
  7.  # 6

    Colocado por: Casa2020Encontra-se neste momento numa fase de "investimento",

    O que é isto?
  8.  # 7

    Eu pessoalmente não era capaz de comprar uma casa que não estivesse já construída a não ser que o projecto fosse elaborado por minha iniciativa. Até mesmo nas que são novas há surpresas quanto mais nas que estão só em papel
  9.  # 8

    Pode valer o risco se os contratos forem blindados para o lado do comprador com um clausurado forte e isso significar um preço significativamente mais baixo. Se for para fazer negócio assim ao preço do construído não vale a pena.

    O promotor se não tem capacidade para se financiar na banca... hmmm ..
  10.  # 9

    Colocado por: Picareta50% antes da escritura é exagerado
    Não peça créditos para sinal e reforço de sinal, só para pagar o remanescente na escritura.


    As 2 hipóteses que me foram colocadas foram uma entrada de 10%, com reforços de mais 20% até à escritura (num total de 30% até à data da escritura), ou esta hipótese de 20+30.
    Entendo que o risco associado é elevado, mas a diferença no preço da venda entre as 2 opções faz-me estar mais inclinado para a opção que referi...

    O crédito seria para reforço de sinal, infelizmente não tenho capital para os 50%...

    A construtora em causa encontra-se neste momento a terminar outros projetos de uma dimensão algo considerável, o que me leva a crer que de um ponto de vista financeiro, estarão com alguma solidez... Também no empreendimento que tenho em vista, já existem várias fracções vendidas... Não é uma garantia, mas interpreto como um bom sinal...
  11.  # 10

    Colocado por: brunomrosaPode valer o risco se os contratos forem blindados para o lado do comprador com um clausurado forte e isso significar um preço significativamente mais baixo. Se for para fazer negócio assim ao preço do construído não vale a pena.

    O promotor se não tem capacidade para se financiar na banca... hmmm ..


    Estou neste momento a aguardar mais informação relativamente ao financiamento na banca. Penso que irá existir uma "parceria" com um banco de modo a agilizar o tipo de empréstimo em causa, acabando o banco por financiar a obra pelos "2 lados". No entanto, o risco de falência mantém-se...

    Neste caso, acredito que a diferença de preço com a modalidade de compra em causa permita adquirir o apartamento a cerca de 80% do valor que penso que atingiria no mercado após a sua conclusão.
  12.  # 11

    Se não houver protejo licenciado ou admitido em comunicação prévia, penso que tem que recorrer a crédito pessoal.
  13.  # 12

    Colocado por: Casa2020A construtora em causa encontra-se neste momento a terminar outros projetos de uma dimensão algo considerável, o que me leva a crer que de um ponto de vista financeiro, estarão com alguma solidez...

    As empresas promotoras com solidez não utilizam o dinheiro recebido de sinais ou reforços de sinal para a construção dos imóveis, fazem o planeamento financeiro sem contar com esse dinheiro, porque podem não vender durante a construção e tem que estar preparados para isso.
    Uma empresa que pede 50% de sinal, é mau sinal....se ainda por cima faz um grande desconto, é porque está mesmo a precisar do dinheiro, e ainda não começou a obra.
    Concordam com este comentário: RRoxx
  14.  # 13

    Colocado por: Picareta
    As empresas promotoras com solidez não utilizam o dinheiro recebido de sinais ou reforços de sinal para a construção dos imóveis, fazem o planeamento financeiro sem contar com esse dinheiro, porque podem não vender durante a construção e tem que estar preparados para isso.
    Uma empresa que pede 50% de sinal, é mau sinal....se ainda por cima faz um grande desconto, é porque está mesmo a precisar do dinheiro, e ainda não começou a obra.
    Concordam com este comentário:RRoxx


    Acrescento que se neste momento está a terminar outros projetos de dimensão considerável o risco poderá ser acrescido, dependendo da % de imóveis já efetivamente vendidos .
  15.  # 14

    Fuja disso.
  16.  # 15

    Eu passei por um processo semelhante, pode ver um tópico que criei "credito para casa em construção". A casa não estava em planta mas quase, estavam a ser feitas as fundações e o pagamento foi idêntico, 50% até estar concluída e o restante na escritura, também tive problemas com o crédito mas consegui chegar a acordo com o construtor e o banco bpi (o unico que me deu soluções sem ser crédito pessoal), paguei 25% do valor com capitais próprios até a casa estar 60% construída e nesse momento o bpi fez "adiantamento de crédito habitação" dos restantes 25% e é isso que sugiro que tente fazer.
    Claro que é um risco grande, claro que toda a gente vai criticar e dizer para fugir, mas quando a minha ficou concluída e tive a avaliação do banco (que foi superior em mais de 30% do valor que paguei) quem fugiu foi o pessoal que veio criticar no início.
    Com isto não quero dizer para avançar cegamente, no meu caso investiguei a empresa, onde o dono morava, filhos, falei com quem já tinha feito negócios com ele e percebi que podia avançar. Se a empresa tiver sido criada ha pouco tempo tenha muito cuidado, se já tiver mais de 10 anos e tiver sobrevivido à última crise tenha cuidado.
  17. Ícone informação Anunciar aqui?

  18.  # 16

    Colocado por: brunomrosaSe não houver protejo licenciado ou admitido em comunicação prévia, penso que tem que recorrer a crédito pessoal.


    Os reforços serão para serem entregues durante o decorrer da obra, não antes do seu arranque! Irão assim ficar aliados a "metas" - X% aquando da conclusão dos alicerces, X% com paredes, X% com telhado, perfazendo o total dos 50'%.



    Colocado por: AMVP
    Acrescento que se neste momento está a terminar outros projetos de dimensão considerável o risco poderá ser acrescido, dependendo da % de imóveis já efetivamente vendidos .


    O empreendimento que está a ser terminado está todo vendido. Caso não estivesse, ponderava adquirir um apartamento neste (não fossem os valores estarem já mais altos...).

    Colocado por: brunomrosaSe não houver protejo licenciado ou admitido em comunicação prévia, penso que tem que recorrer a crédito pessoal.


    Os reforços serão para ser entregues com a obra já a decorrer, não antes do seu início.

    Agradeço todas as chamadas de atenção, por muito pouco reconfortantes que sejam.

    Para além de analisar a ficha IES, que outras medidas poderei tomar para estar o melhor preparado possível?
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">