Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

  2.  # 2

    Paraquedistas Portugueses capturaram 9 elementos armados do grupo que tentava conquistar a localidade de Ndele.

    Entre eles estava o "General" Azor Kalite, o mesmo estava a ser procurado pelo Tribunal Penal Especial que julga crimes de guerra e crimes contra a humanidade na RCA .

    https://corbeaunews-centrafrique.com/rca-arrivee-a-bangui-du-general-azor-kalite-et-ses-8-elements-arretes-par-la-minusca-a-ndele
  3.  # 3

    64.º Aniversário do Regimento de Paraquedistas

    Exército Português
    23 de maio
    64.º Aniversário do Regimento de Paraquedistas e Dia dos Paraquedistas Portugueses

    Parabéns a todos os militares e civis que prestaram ou prestam serviço no Regimento de Paraquedistas, extensível a todos os Paraquedistas Portugueses, os de ontem, os de hoje e os de sempre!

    Uma palavra especial de gratidão para aqueles que hoje servem a Nação além-fronteiras, no teatro de operações da República Centro Africana.

    QUE NUNCA POR VENCIDOS SE CONHEÇAM!

    Ao serviço dos Portugueses!

    Video - https://www.facebook.com/ExercitoPortuguesPRT/videos/249459076401098/
  4.  # 4

    Colocado por: branco.valterUma palavra especial de gratidão para aqueles que hoje servem a Nação além-fronteiras, no teatro de operações da República Centro Africana.


    Não sei bem qual é o serviço que estão a prestar à nação na RCA, mas pronto. Que façam um bom trabalho e que voltem em segurança.
  5.  # 5

    Colocado por: rjmsilvaNão sei bem qual é o serviço que estão a prestar à nação na RCA, mas pronto.

    Chama-se compromissos internacionais.
    O retorno muitas vezes não se vê porque é politico.
  6.  # 6

    Colocado por: nielsky
    Chama-se compromissos internacionais.
    O retorno muitas vezes não se vê porque é politico.


    Isso é tudo conversa da treta.
    Concordam com este comentário: MBarrinha, HAL_9000
  7.  # 7

    Há 46 anos as nossas FA abandonaram Moçambique e entregaram aquilo a uns bandos armados financiados e armados pela URSS e a China. Esse bando levou o país á miséria tendo sido transformado num dos países mais pobres do mundo. Andaram e andam há dezenas de anos em guerra com outros bandos armados em disputa do saque com muitos milhares de mortos. Agora andam bandos armados no norte (Niassa e Cabo Delgado) a fazer exatamente o mesmo que tinham feito aos portugueses. Será que também vão entregar Moçambique aos muçulmanos.
    Ontem os Americanos homenagearam os seus antigos combatentes e até têm um feriado dedicado, apesar de quase nunca terem combatido para defender o próprio território. Por cá parece que temos vergonha das nossas FA.
  8.  # 8

    Colocado por: rjmsilvaIsso é tudo conversa da treta.

    É o que os cegos dizem.

    "O pior cego é aquele que não quer ver".
  9.  # 9

    Colocado por: Carvaiapesar de quase nunca terem combatido para defender o próprio território.

    O raciocínio americano é o mais adequado, na minha opinião.
    Eles não ficam à espera que os problemas lhes batam à porta e por isso combatem o problema na origem.
  10.  # 10

    Colocado por: Carvai Agora andam bandos armados no norte (Niassa e Cabo Delgado) a fazer exatamente o mesmo que tinham feito aos portugueses. Será que também vão entregar Moçambique aos muçulmanos.


    Quando começaram os ataques em Moçambique, informei o senhor meu pai, a primeira coisa que ele disse foi:

    - É o Karma... cá se fazem cá se pagam!

    O homem nem sequer foi à guerra, imagino o que ele diria se tivesse ido. LOL

    Quando deparo com noticias disto no face vou ver os comentários e lá aparecem carradas de Portugueses a dizerem porque é que o governo Português não manda a tropa Portuguesa que tanto tem feito na RCA. A minha resposta é sempre a mesma. Moçambique é um país soberano desde 1975, como tal devem ser eles a resolver os seus próprios problemas.
    Concordam com este comentário: nielsky
    • RCF
    • 27 Maio 2020

     # 11

    Colocado por: branco.valter

    Quando começaram os ataques em Moçambique, informei o senhor meu pai, a primeira coisa que ele disse foi:

    - É o Karma... cá se fazem cá se pagam!

    O homem nem sequer foi à guerra, imagino o que ele diria se tivesse ido. LOL

    Quando deparo com noticias disto no face vou ver os comentários e lá aparecem carradas de Portugueses a dizerem porque é que o governo Português não manda a tropa Portuguesa que tanto tem feito na RCA. A minha resposta é sempre a mesma. Moçambique é um país soberano desde 1975, como tal devem ser eles a resolver os seus próprios problemas.

    Há militares portugueses em Moçambique. Creio que até existe mesmo uma representação militar portuguesa permanente em Moçambique.
    Mas, como refere e bem, Moçambique é um país soberano e a nossa intervenção lá é apenas à medida do que é solicitado. Por isso, a ação militar portuguesa em Moçambique tem-se ficado pela área da formação.
  11.  # 12

    Colocado por: RCFHá militares portugueses em Moçambique. Creio que até existe mesmo uma representação militar portuguesa permanente em Moçambique.


    Uma dúzia em missões de cooperação técnica militar.

    Só se pode intervir (legalmente)num país a pedido do próprio ou a coberto de uma resolução do conselho de segurança da ONU.
  12.  # 13

    Tem sempre uma certa piada os militares portugueses irem defender os bandos armados que no passado combateram.
    Antigamente aos militares estrangeiros que iam combater a troco de dinheiro chamavam-se mercenários, agora chama-se cooperantes, pelo novo acordo ortográfico
  13.  # 14

    Colocado por: CarvaiTem sempre uma certa piada os militares portugueses irem defender os bandos armados que no passado combateram.
    Antigamente aos militares estrangeiros que iam combater a troco de dinheiro chamavam-se mercenários, agora chama-se cooperantes, pelo novo acordo ortográfico


    Quanto é que lhe pagavam quando andou no ultramar?
  14.  # 15

    Colocado por: CarvaiAntigamente aos militares estrangeiros que iam combater a troco de dinheiro chamavam-se mercenários, agora chama-se cooperantes, pelo novo acordo ortográfico

    Duas coisas completamente distintas.
  15.  # 16

    Havia um jovem que tinha tanto de mau feitio como ambição. Ele decidiu que queria ser Rei e para isso levantou-se em armas e lutou sucessivamente contra a mãe e o primo e depois de muitos anos de luta, não só tinha vencido os seus familiares como toda uma série de reinos vizinhos. No final da sua vida tinha criado um país que se tornou vários séculos mais tarde a maior potência mundial e que se manteve por lá ainda alguns anos.

    Esta é a história do nosso primeiro Rei, o D. Afonso Henriques, que ao contrário dos grupos apoiados pelas principais potências mundiais, fez o serviço só com os meios que tinha nas áreas por si dominadas. Moralmente falando, tanto o D. Afonso Henriques, como qualquer um dos chefes desses grupos de libertação nacional/terroristas estavam a cometer uma ilegalidade perante o seu soberano/governo nacional.

    Hoje, Moçambique é um país independente e soberano e é por o sere, é que há acordos de cooperação técnico-militar. Comparar os nossos militares a mercenários é a esticar e muito a corda, já que os mesmos foram enviados para lá pelo governo Português, governo esse que está no poder graças ao voto popular.
    • RCF
    • 27 Maio 2020

     # 17

    Não me choca a comparação... pode não ser uma comparação feliz, mas não me choca. Ambos têm um importante ponto em comum.
    O que motiva o mercenário é o que lhe pagam. O que motiva o militar a ir para um país sem qualquer afinidade com Portugal, como o caso da RCA, é, também, o dinheiro...
  16.  # 18

    Colocado por: branco.valterjá que os mesmos foram enviados para lá pelo governo Português,

    Pequena correção, só vão voluntários. E não têm faltavam pois as "comissões" são muito generosas. Em França, Espanha e outros países chamavam-se legionários. Nos países comunistas batizam-nos de cooperantes.
    No tempo da guerra no Ultramar o serviço militar era quase todo obrigatório tal como a mobilização para teatros de guerra. E duplicavam o ordenado quando se estava em zonas de guerra - chamadas zonas 100% - porque quem estava confinado num qualquer quartel numa cidade ou arredores recebia o mesmo.
    Gostei da analogia ao Afonso Henriques. Todos os terroristas em todo o mundo sempre lutaram por um qualquer ideal. Quando ganham são sempre considerados heróis (com direito a t-shirt´s fofinhas) por muitos milhares ou milhões de mortos que tenham causado.
  17.  # 19

    Colocado por: RCFNão me choca a comparação... pode não ser uma comparação feliz, mas não me choca. Ambos têm um importante ponto em comum.
    O que motiva o mercenário é o que lhe pagam. O que motiva o militar a ir para um país sem qualquer afinidade com Portugal, como o caso da RCA, é, também, o dinheiro...


    Tudo certo, mas esse tipo de comentários ressabiados é comum nos veteranos do ultramar, por quem eu tenho muito respeito. O que eles não dizem é quanto ganhavam no Ultramar.
  18.  # 20

    Colocado por: CarvaiPequena correção, só vão voluntários. E não têm faltavam pois as "comissões" são muito generosas. Em França, Espanha e outros países chamavam-se legionários. Nos países comunistas batizam-nos de cooperantes.
    No tempo da guerra no Ultramar o serviço militar era quase todo obrigatório tal como a mobilização para teatros de guerra. E duplicavam o ordenado quando se estava em zonas de guerra - chamadas zonas 100% - porque quem estava confinado num qualquer quartel numa cidade ou arredores recebia o mesmo.


    A maioria sim, mas nem todos.

    Quanto é que você ganhava no Ultramar?