Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 101

    Cortar a relva junto ao limoeiro (e traçar uns limões) não tem preço.
    Brincar com o trator na terra não tem preço.
    Correr entre o milho não tem preço.
    O gozo de restaurar um clássico não tem preço.
    Fazer tudo em bicicleta não tem preço.
    Ver a Sagrada Família ou as Ramblas cada manhã não tem preço.
    Regressar do Camp Nou ou do Dragão a pé (ou transporte público) não tem preço.
    Deixar um 6-pack enterrado na neve, para teres o que beber quando fechar a disco, não tem preço.
    Sair do trabalho, meter tudo num saco, e saltar para o rio, até que a corrente te deixe em casa, não tem preço.
    Ir à praia ou ao parque da cidade todos os dias não tem preço.
    Sacar uma papaia, guayaba, mamey, tuna ou guanabana da árvore 5 min. antes de a comeres ao pequeno almoço, não tem preço.
    Poderes desfrutar do mar, lago ou rio mesmo no Inverno, não tem preço.
    Passares o ano inteiro em t-shirt não tem preço.
    Estar junto da família não tem preço.
    Viver num sitio onde cada noite há bailarico popular, não tem preço.
    Ir ao restaurante, bar, discoteca, teatro, cinema, concerto e regressar a pé, não tem preço.
    Trabalhar a 100m de casa não tem preço.
    Fazer surf ou sky diariamente tampouco têm preço, etc. etc...

    Muitas vezes para se desfrutar de uma coisa (quotidianamente) há que deixar outra em espera.
    Não existirá nunca um lugar com tudo o que se goste, isso é certo.
    Concordam com este comentário: DonaRute, ricardo.rodrigues
  2.  # 102

    Colocado por: DR1982A aldeia que descreve fez me lembrar lagoaça e os tempos felizes que la passei :)


    Não só, mas também 👍
  3.  # 103

    Colocado por: N Miguel OliveiraCortar a relva junto ao limoeiro (e traçar uns limões) não tem preço.
    Brincar com o trator na terra não tem preço.
    Correr entre o milho não tem preço.
    O gozo de restaurar um clássico não tem preço.
    Fazer tudo em bicicleta não tem preço.
    Ver a Sagrada Família ou as Ramblas cada manhã não tem preço.
    Regressar do Camp Nou ou do Dragão a pé (ou transporte público) não tem preço.
    Deixar um 6-pack enterrado na neve, para teres o que beber quando fechar a disco, não tem preço.
    Sair do trabalho, meter tudo num saco, e saltar para o rio, até que a corrente te deixe em casa, não tem preço.
    Ir à praia ou ao parque da cidade todos os dias não tem preço.
    Sacar uma papaia, guayaba, mamey, tuna ou guanabana da árvore 5 min. antes de a comeres ao pequeno almoço, não tem preço.
    Poderes desfrutar do mar, lago ou rio mesmo no Inverno, não tem preço.
    Passares o ano inteiro em t-shirt não tem preço.
    Estar junto da família não tem preço.
    Viver num sitio onde cada noite há bailarico popular, não tem preço.
    Ir ao restaurante, bar, discoteca, teatro, cinema, concerto e regressar a pé, não tem preço.
    Trabalhar a 100m de casa não tem preço.
    Fazer surf ou sky diariamente tampouco têm preço, etc. etc...

    Muitas vezes para se desfrutar de uma coisa (quotidianamente) há que deixar outra em espera.
    Não existirá nunca um lugar com tudo o que se goste, isso é certo.
    Concordam com este comentário:DonaRute

    Certíssimo.
    Eu só tirava da lista o correr no meio do milho... corta a pele! :)
    • DR1982
    • 12 Novembro 2020 editado

     # 104

    Esta gente lembra se de fazer cada coisa no meio do milho 😂
    Concordam com este comentário: N Miguel Oliveira, ricardo.rodrigues
  4.  # 105

    Colocado por: DR1982Esta gente lembra se de fazer cada coisa no meio do milho 😂
    Concordam com este comentário:N Miguel Oliveira

    Passe lá a correr de tshirt e calções e nunca mais se esquece. :)
    Uma vez perdi-me/ desorientei-me (o milho era o dobro do meu tamanho) e nao via por onde ia. Nunca mais me esqueci. :)
    • DR1982
    • 12 Novembro 2020 editado

     # 106

    Colocado por: DonaRute
    Passe lá a correr de tshirt e calções e nunca mais se esquece. :)
    Uma vez perdi-me/ desorientei-me (o milho era o dobro do meu tamanho) e nao via por onde ia. Nunca mais me esqueci. :)
    Eu sei que é verdade, aquilo corta, ainda andei muitas vezes no meio do milho e sei que aquilo corta😀
  5.  # 107

    Colocado por: DonaRute
    Passe lá a correr de tshirt e calções e nunca mais se esquece. :)
    Uma vez perdi-me/ desorientei-me (o milho era o dobro do meu tamanho) e nao via por onde ia. Nunca mais me esqueci. :)

    Vá lá não a apanharam no meio do milho! 😂
  6.  # 108

    Colocado por: rjmpires
    Vá lá não a apanharam no meio do milho! 😂

    Tb já fugi dos caes do vizinho, e tivemos de atravesar o campo de milho a correr... essa meteu medo, mas ia com mais duas vizinhas. Tinhamos ido às castanhas! :)

    Belos tempos...
    tb fazia as vindimas e ia no atrelado do trator do meu avô, carregado de uvas secas ( em sacos de sarapilheira), até ao alambique...
  7.  # 109

    Colocado por: DonaRute
    Tb já fugi dos caes do vizinho, e tivemos de atravesar o campo de milho... essa meteu medo, mas ia com mais duas vizinhas. Tinhamos ido às castanhas! :)

    Tive azar de não ter apanhado a Rute e as suas vizinhas no meio do milho!
    Aqui na minha zona encontra-se mais é javalis...
  8.  # 110

    Ahahah... olhe que já morei para os seus lados, mas estas brincadeiras foram no distrito do Porto.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: rjmpires
  9.  # 111

    Colocado por: rjmpires
    Tive azar de não ter apanhado a Rute e as suas vizinhas no meio do milho!
    Aqui na minha zona encontra-se mais é javalis...
    A custa disso uma mulher da minha zona foi morta, pensava que era o javali e matou a mulher
  10.  # 112

    Parece-me que a adeia/vila está a ganhar.

    E se formos falar do estado do país, na aldeia nem se nota o confinamento, fazem todos a sua vida normal.

    Aqui na zona anda tudo á azeitona, nem se dá por o tempo passar a não ser as dores nas costas e braços da vara e das sacas.

    Numa aldeia ainda existem miúdos a brincar com "carabinas .22 longo"... agora imaginem, na aldeia dos meus sogros anda tudo de mota sem capacete, a maior parte deles (pessoas de idade) andam com o capacete pendurado no volante, possivelmente passam-se meses sem a GNR lá passar e quando passa é para ir exprimentar um copo de tinto á adega do primeiro que encontram sem capacete.
    Concordam com este comentário: Vítor Magalhães
  11.  # 113

    Quando era garoto também andei sem capacete. Em rigor, era sem capacete, sem carta, sem livrete e sem seguro.

    Houve um 2.o primo meu que foi apanhado assim pela GRR, com 14 ou 15 anos, lol.
  12.  # 114

    Agora, até calças com joelheiras uso. Sempre de botas e luvas e casaco de mota. E nada de capacetes modulares de abrir, que o Miguel Oliveira também não usa nada desse lixo:)
  13.  # 115

    Colocado por: ricardo.rodriguesAgora, até calças com joelheiras uso. Sempre de botas e luvas e casaco de mota. E nada de capacetes modulares de abrir, que o Miguel Oliveira também não usa nada desse lixo:)
    É o que faz melhor, mas a sensação é muito diferente!
    Concordam com este comentário: ricardo.rodrigues, Vítor Magalhães
  14.  # 116

    Colocado por: ricardo.rodriguesQuando era garoto também andei sem capacete. Em rigor, era sem capacete, sem carta, sem livrete e sem seguro.

    Houve um 2.o primo meu que foi apanhado assim pela GRR, com 14 ou 15 anos, lol.

    Era isso tudo e aos 3 ou 4 em cima de uma sachs v5, de vez em quando lá ficava um pelo caminho 😂
  15.  # 117

    Pois, tenho uma estória dessas do meu pai que foi mandado para pela GNR à saída de Viseu. Vinha a minha irmã em cima do depósito da Famel Zundapp, e eu, pequenote, entalado entre a minha mãe e o meu pai.

    Este cenário num domingo à noite, à saída da feira de São Mateus.

    Depois de alguma conversa, e de explicar que não podia deixar ninguém em casa, pois seria um banzé e todos queriam ir à feira... o militar mandou o meu pai seguir, "mas com cuidado, que são logo quatro!".
  16.  # 118

    Colocado por: ricardo.rodriguesAgora, até calças com joelheiras uso. Sempre de botas e luvas e casaco de mota. E nada de capacetes modulares de abrir, que o Miguel Oliveira também não usa nada desse lixo:)


    Então experimente andar duas horas seguidas com um "casco" igual ao do Miguel e depois diga alguma coisa 😅
  17.  # 119

    Colocado por: ricardo.rodrigues. E nada de capacetes modulares de abrir, que o Miguel Oliveira também não usa nada desse lixo:)

    Espero que não ande na estrada na mesma velocidade, agressividade e risco com que o Miguel anda na pista!
    Senão é provável que nem o capacete o consiga salvar :)
    Concordam com este comentário: Vítor Magalhães, ricardo.rodrigues
  18.  # 120

    Colocado por: pguilherme
    Espero que não ande na estrada na mesma velocidade, agressividade e risco com que o Miguel anda na pista!
    Senão é provável que nem o capacete o consiga salvar :)

    O capacete do Miguel é seguro, disso não há dúvidas, mas não faz dele um capacete confortável.