Iniciar sessão ou registar-se
    • dedao
    • 6 outubro 2021 editado

     # 1

    Recebi agora um e-mail da Iberdrola a dizer que meus preços vão subir de 9.6centimos para 14.76.... em vazio. dá quase 50%!!!

    Está bonito.


    Também receberam algo das outras operadoras?
      Screenshot_2021-10-06-17-44-51-310_com.google.android.gm.jpg
  1.  # 2

    Sim, muitas já comunicaram aumentos, algumas várias vezes durante este último ano. Yes Energy já foram para aí uns 3 ou 4 aumentos. Já no tópico dedicado ao tema dos comercializadores de eletricidade tenho vindo a avisar desde Abril ou Maio que isto ia gradualmente acontecer.
    Até agora parece que apenas a EDP, Galp e Endesa garantiram que não aumentam preços até ao final do ano. Quanto ao resto, poucos vão escapar. E em 2022 logo se vê. Vai haver um encaminhamento de dinheiro para tentar travar os custos da energia, ao nível das tarifas de acesso às redes, para começar, mas parece que a maior fatia vai apenas para o mercado regulado. O liberalizado que se amanhe.
    • AMVP
    • 6 outubro 2021

     # 3

    • AMVP
    • 6 outubro 2021

     # 4

  2.  # 5

    Colocado por: AMVPE pronto...

    https://www.tsf.pt/portugal/economia/cip-diz-que-ha-empresas-de-distribuicao-de-energia-a-querer-denunicar-contratos-14193896.html


    O texto está um bocado confuso. Empresas de distribuição são uma coisa, comercialização são outra. Dentro do mercado liberalizado de baixa tensão grande parte das condições gerais ou particulares permitem o aumento de preços desde que comunicados com antecedência. Não há propriamente denúncia de contratos. Dentro das potências mais elevadas, onde muitas vezes há fidelizações, aí creio o cenário ser outro. Presumo que o texto se esteja a referir a isso.
    • AMVP
    • 6 outubro 2021

     # 6

    Colocado por: ruicarlov

    O texto está um bocado confuso. Empresas de distribuição são uma coisa, comercialização são outra. Dentro do mercado liberalizado de baixa tensão grande parte das condições gerais ou particulares permitem o aumento de preços desde que comunicados com antecedência. Não há propriamente denúncia de contratos. Dentro das potências mais elevadas, onde muitas vezes há fidelizações, aí creio o cenário ser outro. Presumo que o texto se esteja a referir a isso.


    O texto refere-se a empresas e aí há contratos, apenas coloquei porque refere os vários aumentos que estão a ocorrer e o consequente aumento nos preços ao consumidor, ou seja, inflação.
  3.  # 7

    Tenho goldenergy e até ao momento não tenho nada a informar dos eventuais aumentos.
    No dia em que receber esses aumentos avaliarei os restantes comercializadores. Até ando de olho na EDP em parceria com a NOS.
    • AMVP
    • 7 outubro 2021

     # 8

    Sobre este assunto, na minha opinião, de alguma forma o aumento do preço da energia vai ser controlado, não porque internamente se fazer algo para isso mas porque já é um problema que efeta vários países da UE que em breve até vão entrar no inverno e como tal as pessoas necessitam de aquecer a casa.
  4.  # 9

    Colocado por: AMVPSobre este assunto, na minha opinião, de alguma forma o aumento do preço da energia vai ser controlado, não porque internamente se fazer algo para isso mas porque já é um problema que efeta vários países da UE que em breve até vão entrar no inverno e como tal as pessoas necessitam de aquecer a casa.


    Por cá o Ministro do ambiente diz que vai usar umas almofadas de milhões e canalizá-los sobretudo para a tarifa regulada, de forma a não haver um grande aumento de preços a entrar em 2022. E deu a entender ao mercado liberalizado que se amanhe. Claro que isto é uma medida colada com cuspo já que o problema subjacente mantém-se, apenas com a diferença que o dinheiro dos nossos impostos e das tarifas de acesso às redes que TODOS pagamos vai ser direcionado para vender a energia abaixo do preço de custo para quem está no regulado.

    A nível europeu dizem que estão a seguir a situação e estudam maneiras de lidar com o armazenamento do gás na Europa e outras medidas, mas não são medidas de curto prazo, logo isto vai andar bem apertado pelo menos durante o próximo ano. E se as pessoas regressarem em massa para o mercado regulado duvido que as "almofadas" cheguem.

    Dia 15 a ERSE vai apresentar as primeiras propostas de alteração de tarifas de 2022, e logo vemos o que sai dali.
  5.  # 10

    Se o preço mais baixo é no regulado, vou para o regulado, se for no liberalizado é que acolher o mais barato.
    Numa hora fazem a mudança.
    Concordam com este comentário: dom123, eu, SS1128
  6.  # 11

    https://www.omie.es/

    este é o mercado de bolsa diário de energia.
    • AMVP
    • 7 outubro 2021

     # 12

    • AMVP
    • 7 outubro 2021

     # 13

    Colocado por: ruicarlovalmofadas de milhões


    Eu cá tenho pouca fé nessas almofadas, pois elas têm tantos fins que as almofadas não chegam para tantas "cabeças". Acredito mais se mais do que um país europeu se unir para minimizar o problema e claro nós surfamos na onda.
    • AMVP
    • 7 outubro 2021

     # 14

    Colocado por: Bigmousehttps://www.omie.es/

    este é o mercado de bolsa diário de energia.


    Se olhar-mos para o período homólogo é impressionante a subida.
  7.  # 15

    Conheço pelo menos 1 fabrica que grande parte do custo do produto final é gás e electricidade que parou no dia 30 de setembro.

    E já ouvi dizer que era um mês mas também já ouvi rumores até ao fim do ano.
    • AMVP
    • 7 outubro 2021

     # 16

    Colocado por: Pereira_89Conheço pelo menos 1 fabrica que grande parte do custo do produto final é gás e electricidade que parou no dia 30 de setembro.

    E já ouvi dizer que era um mês mas também já ouvi rumores até ao fim do ano.


    Por causa dos custos?
  8.  # 17

    Custos e falta de procura do produto final.
    • AMVP
    • 7 outubro 2021

     # 18

    Colocado por: Pereira_89Custos e falta de procura do produto final.


    ok, assim é mais difícil, pelo lado da procura
  9.  # 19

    Colocado por: AMVP

    Eu cá tenho pouca fé nessas almofadas, pois elas têm tantos fins que as almofadas não chegam para tantas "cabeças". Acredito mais se mais do que um país europeu se unir para minimizar o problema e claro nós surfamos na onda.


    Os milhões em causa são estes

    Resta ver se depois não se faz marcha-atrás se não chegarem.
    • AMVP
    • 7 outubro 2021

     # 20

    Colocado por: ruicarlov

    Os milhões em causa sãoestes

    Resta ver se depois não se faz marcha-atrás se não chegarem.

    Sim veremos, mas eu continuo a apostar mais na estratégia que poderá sair do que acordarem na UE, repare países como frança vão necessitar de aquecer as casas brevemente e ao Estado lhes aumenta o subsídio para o aquecimento em função do aumento da energia ou vai haver problemas por lá.
 
0.0222 seg. NEW