Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 81

    Nada a opor à qualidade de vida para quem vive no interior, também eu sou do interior, de uma capital de distrito, mas que tive que vir para a periferia da capital para arranjar emprego.

    Quando volto ao interior esquecido e ostracizado, para o interior do meu distrito, o que mais me preocupa é a falta de qualidade dos cuidados de saúde. Aqui não há nada a fazer. Conheço vários casos em que os médicos de Lisboa que descredibilizam os cuidados de saúde, a qualidade dos exames, ...prestados no interior. E isso preocupa-me.
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

    • LeaR
    • 17 Janeiro 2017

     # 82

    Colocado por: PapoilaVerdeQuando volto ao interior esquecido e ostracizado, para o interior do meu distrito, o que mais me preocupa é a falta de qualidade dos cuidados de saúde. Aqui não há nada a fazer. Conheço vários casos em que os médicos de Lisboa que descredibilizam os cuidados de saúde, a qualidade dos exames, ...prestados no interior. E isso preocupa-me.


    É de facto a minha única preocupação... Para já temos centro de saúde, até as 20h... Depois disso temos de recorrer ao Hospital de Viseu.

    Para minorar esses problemas, tentamos solucionar com um bom seguro de saúde e consultas regulares. Claro que em situação de emergência estamos mais frágeis...
  3.  # 83

    ja que estamos entao aqui vai ,centro da cidade concelho 2 km .
    guimaraes 7 minutos ,braga 20 minutos ,porto 30 minutos.
    supermercados .pingo doce , e eleclerc , modelo ,intermache ,lidli mini preço a 3 km
    terreno 3040 m2 62000 euros.
  4.  # 84

    Jorgand também vive no vale do ave .
  5.  # 85

    Colocado por: enf.magalhaesJorgand também vive no vale do ave .
    fafe
  6.  # 86

    Arões ; São Vicente de passos ; como conheço bem . Ambos os meus avós eram de Fafe
  7.  # 87

    Colocado por: 21papaleguas
    Eu também vendo por 1M com piscina e court de ténis.
    Acham que vale?
      Project 1 exterior c.jpg

    Só se tiver soalho maciço :)
    Concordam com este comentário: James Bond
    • alexp
    • 17 Janeiro 2017 editado

     # 88

    Colocado por: emadConcluindo estou no centro do litoral norte. Mas mesmo assim tive de sair.do centro da cidade 5 minutos para encontrar terra mais acessível.
    Considero que o meu terreno foi mais barato que o.seu.
    Acho que esta a construir demasiado afastado dos centros urbanos. Digo do centro de Distrito.
    Você procurou muita área por.pouco.dinheiro. E deveria ter investido em.menos área com.esse montante, mas mais perto do.desenvolvimento.
    Apenas a minha opinião. Mas.voce analisou bem todas.as suas variáveis.

    :) cada um tem a sua onda, não somos todos "meninos da cidade". A 5/10 minutos tenho irmãos, primos, pais, amigos e um emprego com um salário contido ... são opções ... O shopping é uma pena estar a 30 minutos, por mim devia estar a 3 horas.
  8.  # 89

    Colocado por: alexp
    :) cada um tem a sua onda, não somos todos "meninos da cidade". A 5/10 minutos tenho irmãos, primos, pais, amigos e um emprego com um salário contido ... são opções ... O shopping é uma pena estar a 30 minutos, por mim devia estar a 3 horas.


    Meu amigo compre o terreno ao lado e invista em turismo rural... não precisa de sair mais aí da pasmaceira...
  9.  # 90

    Colocado por: Joao DiasSó se tiver soalho maciço :)

    Vendido.
    • LeaR
    • 17 Janeiro 2017

     # 91

    Colocado por: tozepalma

    Meu amigo compre o terreno ao lado e invista em turismo rural... não precisa de sair mais aí da pasmaceira...


    Tozepalma, não chame ao interior a pasmaceira... Pasmaceira tive eu em Lisboa, em que era trabalho-casa-trabalho-casa, ou passar pelas brasas na 2ª circular em pleno inverno com acidentes por causa da chuva, e ficar lá preso 1h30.
    Aqui tenho tempo para, sair do trabalho as 17h, ir estacionar a casa, ir ao café falar com os amigos, ir às compras, dar o banho ao miúdo, e ainda ir jantar a casa da sogra ou dos pais. Tudo isto até as 19h30... Ter a família, amigos de sempre... para mim não é pasmaceira.

    Juntem o tempo que perdem em trânsito e filas sempre que saem e entram para o trabalho, greves de metro e carris, e nós ganhamos tempo de vida... e desse tempo que perdem, um décimo do que perdem por mês dá-me para ir e vir ao Porto.
    Concordam com este comentário: marco1, 21papaleguas, GMCQ, M.Dias, VCAC, mhpinto, luisms, 11silvcar, two-rok, FVicente
  10.  # 92

    Há quem não consiga viver sem o frenesim da cidade.
  11.  # 93

    Colocado por: marco1desde que a pessoa em questão tenha meios de sobrevivência e sustento das suas obrigações, não está em causa ser mais ou menos longe.
    até porque viver no interior ou provincia como preferir, pode ser coisa com mais qualidade de vida
    • emad
    • 17 Janeiro 2017

     # 94

    Colocado por: Learod

    Tozepalma, não chame ao interior a pasmaceira... Pasmaceira tive eu em Lisboa, em que era trabalho-casa-trabalho-casa, ou passar pelas brasas na 2ª circular em pleno inverno com acidentes por causa da chuva, e ficar lá preso 1h30.
    Aqui tenho tempo para, sair do trabalho as 17h, ir estacionar a casa, ir ao café falar com os amigos, ir às compras, dar o banho ao miúdo, e ainda ir jantar a casa da sogra ou dos pais. Tudo isto até as 19h30... Ter a família, amigos de sempre... para mim não é pasmaceira.

    Juntem o tempo que perdem em trânsito e filas sempre que saem e entram para o trabalho, greves de metro e carris, e nós ganhamos tempo de vida... e desse tempo que perdem, um décimo do que perdem por mês dá-me para ir e vir ao Porto.

    Isso é que é qualidade vida.
    A minha esposa tem uma colega de trabalho que mora a 3 minutos do centro do concelho e já está cansada de ter a filha a pedir a mãe para a levar a cidade para ter com as amigas. Já ponderou vender a casa e comprar um apartamento no centro.
    Quando os filhos crescem é que começa a ser complicado.
    Até lá somos nós que mandamos e eles comem o que lhe damos. Depois quando crescem começam a ter vontade própria.
    Um dos requisitos na escolha do terreno foi a proximidade com a cidade e as futuras escolas. Não queremos o filho a estudar nase aldeias. Porque quando crescerem e misturarem -se com a malta da cidade já levam um atraso de desenrascanco. Os muitos de hoje não crescem só em.casa, também crescem na escola e no ambiente exterior que os rodeia.
  12.  # 95

    Colocado por: enf.magalhaesArões ; São Vicente de passos ; como conheço bem . Ambos os meus avós eram de Fafe
    embora seja perto de passos sou de outra aldeia .
  13. Ícone informação Anunciar aqui?

    • emad
    • 17 Janeiro 2017

     # 96

    Colocado por: 21papaleguasHá quem não consiga viver sem o frenesim da cidade.

    Eu gosto do sossego. Mas quando estou de férias no sossego tenho falta do movimento e do stress.
    Não costumamos escolher destinos que não haja muita actividade.
    • emad
    • 17 Janeiro 2017 editado

     # 97

    Peço desculpa ao learod por ter levado a.discussão para este campo.
    A sua casa vai ser enorme. Quanto prevê gastar? Tem máximos para construir?
    Eu não discuto plantas. Cada um e que sabe as suas preferências e gostos.
    • LeaR
    • 17 Janeiro 2017

     # 98

    emad, está mais que desculpado :D


    Sim, a casa é enorme... vou ter que reduzir. 300m2 de casa é muita coisa... Não quero gastar o dinheiro que vou ganhar mais o do meus descendentes... Sei também que posso fazer a casa por menos ou por mais, mas estava a apontar para 750€/m2. E para 275/280m2 no máximo.

    Ora, mas pode dar sempre a sua opinião. eu prezo sempre a opinião de quem tem experiência, tanto por ser da área, ou por ter passado pela experiência pela qual vou passar... Por exemplo, eu continuo a achar a cozinha enorme, ainda que seja uma divisão onde se passa muito tempo. E a suite também poderá encolher um pouco...
  14.  # 99

    Colocado por: emadApenas vejo o negocio de construir uma casa de sonho como um mau investimento.

    Não podia concordar mais e eu creio que a fonte de todos os arrependimentos no que se refere a construir casa está aqui, já o disse várias vezes, na insistência em fazer a "casa de sonho".

    Porque quando se está a querer fazer uma "casa de sonho" tende-se a investir demasiado em detalhes e acabamentos, só porque tem de ser "de sonho". Depois, se for necessário vender, é quase impossível encontrar alguém que valorize todos esses detalhes e o retorno do investimento, a existir, é muito menor que o que poderia ser.

    Porque a malta insiste em querer acreditar que a casa vai ser para a vida, esquecendo-se que a vida dá voltas e mais voltas, grande parte delas imprevisíveis.

    Porque ainda há quem acredite que os filhos vão querer saber da casa para alguma coisa (sem ser para a vender pelo melhor preço possível), esquecendo os inúmeros exemplos de quem os rodeia e provavelmente o seu próprio exemplo, que nos dizem que talvez fosse bem mais útil aos filhos que os pais, em vez de estourar as poupanças na "casa de sonho", as fizessem render o mais possível para os filhos poderem contar com um bom fundo de maneio/almofada financeira no início da sua vida ativa.

    Porque é quase impossível prever aquilo que será valorizado numa casa daqui a 20 ou 30 anos, seja pelos filhos seja por potenciais compradores, tanto em termos de equipamentos e acabamentos como até de arquitetura ou simplesmente de estética.

    Porque a verdadeira "casa de sonho" é algo inalcançável para o cidadão médio e os compromissos que têm de ser feitos para fazer algo aproximado, como seja ao nível financeiro e em termos de localização, tendem a ser tantos que me custa a crer que, com o tempo, isso não venha a pesar, e muito, no bem-estar de quem a fez que depois se sente obrigado a usufruir algo que tanto sacrifício custou, mesmo que tudo o resto lhe diga que o melhor era vender e partir para outra.

    Para mim, a menos que se seja milionário, só faz sentido fazer o investimento de construir uma casa da forma mais fria e racional possível: construir algo que satisfaça as nossas necessidades essenciais mas mantendo-se sempre dentro dos padrões normais em termos de arquitetura, áreas, tipologia e acabamentos, pois isso garante que maximiza o número de interessados em caso de venda.
    Luxos e extras, apenas aqueles que me dão certeza, dentro do que é a minha vivência, de que sem eles não sentiria um nível de conforto e bem-estar decentes.
    E isto depois de ter a certeza de que não se consegue o mesmo pelo mesmo dinheiro comprando algo já feito.
    Concordam com este comentário: emad
    Estas pessoas agradeceram este comentário: LeaR
    • LeaR
    • 17 Janeiro 2017 editado

     # 100

    Colocado por: mhpintomantendo-se sempre dentro dos padrões normais em termos de arquitetura, áreas, tipologia e acabamentos, pois isso garante que maximiza o número de interessados em caso de venda.
    Luxos e extras, apenas aqueles que me dão certeza, dentro do que é a minha vivência, de que sem eles não sentiria um nível de conforto e bem-estar decentes.


    Tu queres ver que a minha esposa se registou com o nick mhpinto :P
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">