Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 241

    Colocado por: SkinkxSe isso nem rebocado fica bem, betumado é que é capaz de dar uma grande barraca... .-)

    Raisparta esta engenheira que não deixa escapar uma
    :((
  2.  # 242

    Colocado por: Dos SantosJá a parte da viga ser betonada em duas fases não é nada famoso.

    Por aqui já não se faz disso faz uns 15 anos...custou, mas entranhou ;)


    Colocado por: SkinkxSe isso nem rebocado fica bem, betumado é que é capaz de dar uma grande barraca... .-)

    Ora nem mais ;)
    Concordam com este comentário: Dos Santos
  3.  # 243

    Esse pormenor tem outra coisa interessante, que talvez não se aplique aí, porque essa parede parece preparada para levar ETICS.

    Normalmente vê-se muito disso em obra com parede dupla, caixa de estores térmica e lintel de betão maciço por cima, a vazar a parede dum lado ou outro... se é para isso, vale mais poupar o dinheiro da caixa de estores e meter lá uma de cimento, porque o sistema fica roto de ambas as maneiras e se é para ficar mal, vale mais poupar o dinheiro da caixa de estores em EPS/PUR
  4.  # 244

    Colocado por: SkinkxEsse pormenor tem outra coisa interessante

    A foto foi retirado de uma obra que por aqui foi exposta.
    Confesso que já não me recordo a quem pertence.
    Mas sim, é muito comum vermos este tipo de pormenor nos nossos projetos
  5.  # 245

    A discussão está otima.

    Eu vou comecar em breve a contruir a minha moradia contudo nao sei o o meu plano de estabilidade e o mais adequado ou qual a profundidade de sapatas.

    Qual o tipo de solo onde devo parar de escavar e iniciar as sapatas ?
    Existe algum metodo expedito para fazer essa avaliação?

    Pedia a vossa ajuda
    Obgd
  6.  # 246

    Colocado por: FasthelQual o tipo de solo onde devo parar de escavar e iniciar as sapatas ?

    Onde o director de fiscalização, ou o autor do projecto de estabilidade decidirem que está bem.
    Concordam com este comentário: two-rok
  7.  # 247

    Colocado por: FasthelExiste algum metodo expedito para fazer essa avaliação?

    Se com a biqueira da bota conseguir abrir buraco na terra, é melhor continuar a escavar mais um pouco.
    Terrenos que foram agrícolas, até uma profundidade de 50cm estão soltos, só dali para baixo há hipótese de encontra terreno firme
  8.  # 248

    Colocado por: FasthelQual o tipo de solo onde devo parar de escavar e iniciar as sapatas ?
    Existe algum metodo expedito para fazer essa avaliação?
    Obgd


    Quando o projecto de fundações é elaborado, ele é feito por base num estudo geotécnico onde é feita a caracterização dos terrenos (propriedades físicas e químicas) assim como a sua capacidade de carga (sob o conceito de tensão admissível, ou seja a força por unidade de área que se pode aplicar a diferentes profundidades). O projectistas com base neste estudo determina a profundidade a que as fundações são colocadas, devendo esta informação constar no projecto de fundações.

    Se não existir um estudo geotécnico, o projectista deve indicar qual foi o pressuposto de cálculo, ou seja, qual foi a tensão admissível para o qual a fundação foi calculada. Cabe depois ao empreiteiro (com o apoio do projetista) garantir que na profundidade onde a fundação é executada a tensão admitida no cálculo é garantida.

    Resumindo e concluindo, se tem dúvidas da cota a que deve fundar o seu edifício deve discutir a questão com o projectista de estruturas.
  9.  # 249

    Colocado por: zedasilva
    Se com a biqueira da bota conseguir abrir buraco na terra, é melhor continuar a escavar mais um pouco.


    Quando eu era puto, nos anos '80, a malta também dava 2 biqueiros nos pneus para avaliar e no fim dizia "Está bom!". Não sei exactamente o que é que queriam ver com tão elaborado teste, mas nunca vi um pneu chumbar nesse ensaio.
  10.  # 250

    Colocado por: ClioIINão sei exactamente o que é que queriam ver com tão elaborado teste, mas nunca vi um pneu chumbar nesse ensaio.

    A teste do biqueiro ainda que seja uma técnica ancestral, continua nos dias de hoje a ser muito eficiente.
    Que diga a Rebeca Quitéria que um dia destes me fez um xixi no meio da cozinha ...
  11.  # 251

    Quem dá à cadela o nome de "Rebeca Quitéria" merece que a mesma lhe faça xixi no meio da cozinha sempre que haja oportunidade.
    Concordam com este comentário: two-rok, NTORION, Pedro_Rof, aacc, Dias12
  12.  # 252

    Obrigado pelo feedback

    O mítico estudo geotecnico é mesmo isso Mitico!. Pois quando pedimos um projeto normalmente essas coisas ficam esquecidas pelos responsáveis pela elaboracao do projeto quando deveriam ser um pre requisito.

    Depois um "gajo" vai pedir orçamentos e a malta diz que não conhece o terreno e pede o tal estudo geotecnico e com razão ou entao espetam a faca no orçamento para se precaverem de surpresas.

    Desabafos à parte tomei liberdade de fazer uma prospeção por mim mesmo.
    Apos escavar cerca de 60cm encontrei um solo (ver foto) onde a pá já não entra. É isto que se procura? Posso parar a esta profundidade?
  13.  # 253

    Foto
      20181007_000918.jpg
  14.  # 254

    Colocado por: FasthelPois quando pedimos um projeto normalmente essas coisas ficam esquecidas pelos responsáveis pela elaboracao do projeto quando deveriam ser um pre requisito.

    Na maior parte dos casos, é uma despesa que se pode poupar ao dono de obra. Uma simples inspeção visual de um buraco feito por uma retro pode dar uma ideia da tensão admissível pelo solo ao engenheiro projetista, ou mais tarde ao diretor de obra.


    Colocado por: FasthelDepois um "gajo" vai pedir orçamentos e a malta diz que não conhece o terreno e pede o tal estudo geotecnico e com razão ou entao espetam a faca no orçamento para se precaverem de surpresas.

    As empresas de construção não têm nenhum motivo para espetar a faca com o argumento de que não têm estudo geotécnico disponível.
    Se o terreno se mostrar demasiado brando, o diretor de obra, aí, só tem de pedir um estudo geotécnico ao dono de obra e em seguida orçamentar fundações especiais se for esse o caso. Quanto a escavações em rocha dura, os empreiteiros salvaguardam-se no articulado do orçamento pondo lá uma nota que o preço de escavações é para solos em saibro ou rocha branda, não para rocha dura.

    Colocado por: FasthelDesabafos à parte tomei liberdade de fazer uma prospeção por mim mesmo.
    Apos escavar cerca de 60cm encontrei um solo (ver foto) onde a pá já não entra. É isto que se procura? Posso parar a esta profundidade?

    Pela foto até parece que encontrou rocha dura, o que pode ser boa ou má notícia. Se estiver abaixo da cota da base das sapatas, ótimo, se por acaso tem uma cave para fazer e tem de escavar nesse solo, azar do caraças.

    Muitas vezes, um estudo geotécnico/geológico faz sentido na fase de compra de um terreno. Já vi mais que um dono de obra com as mãos na cabeça perante a necessidade de escavar 2 ou 3 caves num terreno que abaixo de certa profundidade mais parece uma pedreira.
    Concordam com este comentário: Fasthel
  15.  # 255

    No meu caso e simplesmente pena que não tenha sido feito. Contudo vou falar com o arquiteto e Eng responsável para irem ao terreno e fazer essa avaliacao.

    Neste casso o terreno duro so é menos positivo por ter de fazer uma cave com cerca de 60m2 onde terei de escavar cerca de 2m de profundidade nestas condições :(
    • MNeo
    • 8 outubro 2018

     # 256

    Colocado por: FasthelNeste casso o terreno duro so é menos positivo por ter de fazer uma cave com cerca de 60m2 onde terei de escavar cerca de 2m de profundidade nestas condições :(


    Se tiver que fazer a abertura com picapau, pode abrir os cordões à bolsa se não estiver salvaguardado em termos de caderno de encargos...
  16.  # 257

    A prospeção/sondagem ao tipo de solo, deveria ser feita entes do estudo prévio de arquitetura.
    Adequar a minha arquitetura ao tipo de solo pode fazer com que pouco muitos milhares de euros em construção.
  17.  # 258

    Pois. Por ai o arquiteto ja merecia uma valente rabocada. Ou isso ou manda lo novamente estudar as etapas de desenvolvimentonde um projeto...
  18.  # 259

    Qualdo tiver mais novidades vou atualizando.
    Obgd
  19.  # 260

    Voltando aqui um pouco ao início desta discussão, no post #17, o Riscos apresentou (o que eu considero) um muito bom Pormenor do Massame.
    A minha dúvida e questão que coloco é se as sapatas e pilares que ficam sob este mesmo massame também têm de ser isolados e impermeabilizados ou não valerá a pena uma vez que mais acima teremos (neste caso representado) a tela pitonada a servir de barreira e a impedir a subida de humidades ascendentes entre o enrocamento (brita) e o massame?...é que mesmo que esta tela não seja 100% eficaz ainda haverá as impermeabilizações sobre o massame!

    Reformulando, a questão que deixo é; há ou não necessidade de isolar e impermeabilizar sapatas e pilares abaixo do massame?

    Grato
 
0.0444 seg. NEW