Iniciar sessão ou registar-se
    • jo
    • 16 Janeiro 2008

     # 81

    Quero dizer e repetir que este tema do electromagnetismo para mim é grego, se Vitor sabe mais acerca disso seria interessante ouvir.
    De todos modos os livros de bioarquitectura fazem um grande falar desta coisa.
    Por exemplo aqui está um artigo
    http://www.ba.itc.cnr.it/sustain_it/bookmark/news_it/Bioedilizia.DIR/~bioedilizia6.htm
    onde se diz que:

    "Como demonstram dois recentes episodios, um em Lion e outro em Seul, onde grandes e modernos arranha-ceus foram demolidos porque se terem demonstrado absolutamente inviviveis, por causa dos disturbios electromagneticos das estructuras de cimento armado causados aos seus habitantes.
    "
  1. Ícone informação Anunciar aqui?

  2.  # 82

    FLR
    Já agora, o que entendes por "extras" e "quantidade de exclusões"??
    Se estou enganado, qual o valor, em média, por m2 de uma casa pré fabricada?

    Jo
    Gostaria de ajudar, mas sinceramente não percebo nada disso.
  3.  # 83

    E casas totalmente em madeira, opinião?
    Site: www.casema.pt

    • FLR
    • 16 Janeiro 2008

     # 84

    Vitor

    É variável, conforme as marcas, mas fiquei chocado com o cúmulo de extras, referido na conversa sobre steel framing:

    Exclusões:
    - Portas e Janelas.
    - Acabamentos exteriores em pedra ou madeira.
    - Carpintarias, pavimentos, louças sanitárias, torneiras.
    - Cantarias e Serralharias.
    - Cave e outros elementos em betão.
    - Especialidades: água, gás, esgotos e electricidade

    Nas casas de madeira, o caso não costuma ser tão exagerado, mas convém verificar cada proposta com muito cuidado.
    •  
      FD
    • 16 Janeiro 2008

     # 85

    Nestas questões de incertezas convém também não esquecer que os mitos eternizam-se e são muito difíceis de combater.

    É muito fácil alguém com interesse económico numa determinada tecnologia, chamemos-lhe X, afirmar que há riscos para a saúde adoptando a tecnologia Y.

    Vou vos dar um exemplo, descontextualizado, mas claro.

    Acompanho a questão da fiscalidade automóvel portuguesa com bastante interesse. Existem dois grandes lobbies, a ACAP e a ANECRA, associações representativas das empresas do sector automóvel, que fazem pressão nos media para que o governo altere leis, nomeadamente de tributação fiscal, que permitam mais vendas de automóveis, e como é lógico, mais lucros para os seus associados.

    Um dos cavalos de batalha tem sido a importação paralela de automóveis usados. Estes lobbies sempre se mostraram contra a importação destes automóveis para Portugal porque representavam menos lucros para os seus associados: a compra de um usado estrangeiro implica a não venda de um novo "nacional". E mostravam esse descontentamento ao dizerem que Portugal só importava sucata, o que fazia com que andassemos menos seguros na estrada.

    Estas associações lançam press releases para a imprensa, e a imprensa reproduz os mesmos, sem qualquer aprofundamento ou investigação da sua validade.

    Eis que a ANECRA lança o seguinte press-release onde se pode ler:

    3.5 A ANECRA, entende ser uma contradição manter o benefício sob a forma de redução de Imposto em função de idade, para os Veículos usados Importados quando, se dão sinais ao mercado, a favor da diminuição das emissões de GEE e por outro lado, temos regras que proporcionaram a entrada, em 2006, de cerca de 37.000 veículos, ou seja, 75% dos Veículos Ligeiros usados Importados com mais de 10 anos, eventualmente sem catalisador e seguramente, sem filtros de partículas, no caso dos Diesel.

    Veja-se a crédula imprensa a dizer o mesmo e a replicar o que a Anecra diz: Agência Financeira, Diário Digital, Jornal de Negócios.

    As palavras chave são: "país será cemitério da Europa".

    A ANECRA diz que, em 2006, 75% dos veículos importados tinham mais de 10 anos, certo? Ou seja, que estamos, devido à legislação em vigor, a importar sucata, que vai poluir o país e tornar as estradas menos seguras.

    Mas, os dados da DGAIEC (alfândegas), orgão que controla a entrada no país de automóveis, sejam novos ou usados, diz que em 2006, a percentagem de veículos importados usados com mais de 10 anos era... 11,74%, sendo que se falarmos só de ligeiros, são 10,10%.

    Aqui está o gráfico:

    veículos importados usados em 2006

    De 75% para 11,74% vai uma grande distância não? No entanto, no leitor de jornais e ouvinte de meios de comunicação, a verdade é só uma: 75% dos carros importados usados em 2006 tinham mais de 10 anos...

    Vêem como é fácil controlar e manipular?

    Existem muitos mais exemplos mas este, que eu vejo com os meus próprios olhos e para o qual não existe qualquer explicação, é excelente para percebermos como às vezes as coisas funcionam.

    A única coisa que me faz acreditar um pouco mais em coisas cuja validade é disputada são os estudos científicos publicados por entidades credíveis e acreditadas. Tudo o resto, levanta-me sempre o sobrolho.
  4.  # 86

    Olá a todos, e uma casa construída num dia?


    www.webtuga.com/forum/post169138.html
  5.  # 87

    FD

    Sabes mais alguma coisa sobre casas totalmente em madeira? Qualidade? Durabilidade?
    Liguei para a empresa que referi o site em cima, deram-me um orçamento "relativo", pois dependo do estado do terreno de 75 000 a 80 000 euros, um t2 com 120 m2.
  6.  # 88

    FLR

    O comentario atras era para ti.
    • FLR
    • 17 Janeiro 2008

     # 89

    Sei coisas que são pouco fundamentadas, porque já ouvi de tudo sobre casas de madeira, do melhor ao pior. É por isso que prefiro não entrar nesta discussão, para não dizer asneiras. Em termos gerais, posso dizer que as pessoas que conheço com estas casas estão satisfeitas com a qualidade geral, insatisfeitas com o preço, que foi maior do que o esperado, mas, no fim de contas, não se arrependeram. Agora, claro que, em termos estéticos, aquilo não me diz nada... acho que são produtos pré-definidos, desenvolvidos comercialmente de forma a optimizar os custos de produção, com pouca atenção ao pormenor, e cuja margem de manobra para o cliente é muito superficial- acabamentos e pouco mais. Para mim, como arquitecto, penso que são, muitas vezes, objectos desenquadrados da realidade envolvente- passa-se por cima dos problemas da implantação no terreno, da relação com as construções vizinhas, do uso dos materiais em sintonia com o que passa à volta, etc. Mas, enfim, não me recuso a entrar numa dessas casas...
    • jo
    • 18 Janeiro 2008

     # 90

    "...de 75 000 a 80 000 euros, um t2 com 120 m2..."

    atenção que a este preço base normalmente faltam muitas coisas essenciais, como por exemplo a base da casa que vem a custar de 90 a 100 euros ao m2 (uma casa de 120m2 de 1 piso pode custar de 10.800 a 12.000 a mais), geralmente eles não fazem ligações e canalizações para o exterior, muitas vezes fazem pagar a estadia dos operários ou requerem que o cliente forneça os operários para a instalação da casa. As vezes é preciso calcular o custo do transporte se a distância da fábrica é mais de um certo n. de km, etc., etc.

    Quando se fala de casas deste tipo é preciso falar de chave-na-mão e pedir explicitamente uma lista dos serviços/produtos não incluidos no preço.
    A tudo isto é preciso adicionar o IVA de 21% que é um roubo (pensem que para este produto em Itália se paga 4%iva, em Espanha 7%iva, em USA 5,5%vat e em Inglaterra 0%vat).
    Estas pessoas agradeceram este comentário: FD
  7.  # 91

    FLR e Jo

    Vou fazer um pedido de um orçamento para a tal casa de 120 m2 com tudo descriminado e dp envio...
    • jo
    • 19 Janeiro 2008

     # 92

    Vejam aqui como este construtor de casas exalta as qualidades das casas de madeira...se fosse tudo verdade aquilo que dizem...
    http://www.lapanda.pt/noticia.php?id=7

    "As Razões da Madeira...

    1. A Madeira é o material mais usado através do Mundo para construção, 80% das casas são construídas em madeira. Constroem-se todos os anos mais de 2 milhões de casas de madeira em todo o Mundo.

    2. Uma casa de madeira é construída de forma rápida e eficaz, pela simplicidade de construção.

    3. Uma casa de madeira não é mais cara que uma casa construída com outros materiais.

    4. Uma casa de madeira tem elevadas qualidades técnicas e inquestionável solidez. Os componentes de uma casa de madeira são fabricados à máquina, com uma tolerância de fabricação muito estrita. Uma estrutura de madeira tem uma garantia de precisão mais fiável que uma construção no local. A madeira é um material estruturalmente muito forte. A madeira utilizada na construção é tratada e seca a altas temperaturas com uma humidade a rondar os 12 a 19%. A madeira utilizada tem um tratamento anti-térmitas em autoclave industrial.

    5. Uma casa de madeira conserva tão bem o calor como a frescura. De todos os materiais sólidos de construção, a madeira é a mais isolante em termos acústicos e térmicos. As casas de madeira proporcionam economias excepcionais de energia, cerca de 50%.

    6. A madeira é 12 vezes mais isolante que o betão. A madeira é 350 vezes mais isolante que o aço. A madeira é 1.550 vezes mais isolante que o alumínio.

    7. Uma casa de madeira oferece um conforto excelente, a madeira é um regulador natural de humidade e temperatura. Numa casa de madeira reina uma atmosfera sã e calorosa.

    8. Uma casa de madeira envolve-se com o ambiente. A madeira respeita os locais e as paisagens, facilitando uma integração harmoniosa com o meio envolvente.

    9. Uma casa de madeira é ecológica, a madeira é um produto natural não tóxico e reciclável. A madeira não irradia nem radioactividade, nem gases ou poeiras, nem electricidade estática. A madeira reduz o efeito de estufa, porque fixa o gás carbónico em excesso no nosso planeta. A madeira é um material são e nobre.

    10. Uma casa de madeira tem uma boa resistência ao fogo. A madeira tem muito pouca dilatação térmica, 1/3 da dilatação do aço ou do cimento. Contráriamente às ideias existentes, a madeira resiste melhor ao fogo que os outros materiais de construção.

    11. Uma casa de madeira tem uma grande longevidade. Os nossos antepassados já construíam casas de madeira. Elas atravessaram os tempos em perfeitas condições e fazem hoje parte do nosso património cultural e histórico."
    • btg
    • 20 Janeiro 2008

     # 93

    Bom dia,

    Encontrei por acaso este forum e fico surpreendido com o tipo de comentários que aqui se fazem.
    Será que analisaram o tipo de construção de cada fornecedor ? Estão comparar soluções e tipo de acabamentos identicos ?

    A titulo comparativo quando se diz que um automovél é caro ou barato, compara-se apenas o tipo e a cilindrada ? Custa o memso um FIat ou um BMW ?
    Penso que para se poder dar uma opinião sobre o que é caro ou barato será necessária uma análise muito mais profunda da forma como são contruidas cada uma das soluções e o que realemnte está incluido no preço ou não.

    .....mas é tipico dos Portugueses !!! treinadores de bancada a falarem do que não sabem com enorme convicção !
    • jo
    • 20 Janeiro 2008

     # 94

    Eis aí um experto vendedor de casas de madeira.
    Aposto que agora vai aqui expôr todas as qualidades dos seus produtos.
    • FLR
    • 20 Janeiro 2008

     # 95

    Pois... de médico e de arquitecto, todos nós temos um pouco!
  8. Ícone informação Anunciar aqui?

    •  
      FD
    • 21 Janeiro 2008

     # 96

    Como é lógico, um vendedor só pode dizer coisas boas... e outra coisa não seria de esperar.
    Eu deixei de ser vendedor por isso mesmo. Dizia sempre a verdade... :o

    btg, bem-vindo/a qualquer seja o caso!

    Aqui, mais do que tudo, fala-se. E isso sim, é importante. Se se falam verdades ou inverdades cabe-nos a nós julgar, mas sempre na posse de todas as informações. Se só temos informações de desvantagens, só podemos falar nas desvantagens, se temos informações das vantagens podemos questioná-las.
    Se não sabemos, não conhecemos, como é que podemos falar disso? Tentamos trocar informações para saber mais, e cada um, como é lógico, está intitulado à sua opinião, mesmo que não fundamentada.

    Agora, se o/a btg tem informações ou sabe algo que não sabemos, elucide, esclareça, instrua! Todos nós procuramos mais informação! :)
    E só na posse de informação, muita informação, podemos tomar decisões ajuizadas e sensatas.
    Há por aqui alguns arquitectos, e posso dizer que graças a eles, às suas contribuições, muitos dos que aqui lêem deixaram de ser "treinadores de bancada" para passarem a ser adjuntos de treinador... :D

    jo, experto, como em esperto, ou como em expert? Não esquecer nunca a diplomacia.
    • jo
    • 21 Janeiro 2008

     # 97

    Aquilo que eu disse foi "experto" que está a indicar alguém de muita experiencia...

    experto do Lat. expertu
    adj., perito; experimentado.

    não confundir com esperto que é outra coisa, e até pode ser considerada uma ofensa e quer dizer finório, sagaz, etc.

    Eu não disse nada disso. A minha era uma expressão "salgada" com uma pitadinha de sarcasmo mas não se tratava de uma ofensa na maneira mais absoluta.
    • jo
    • 22 Janeiro 2008

     # 98

    o FD tem razão não se deve nunca esquecer a diplomacia, aprecio muito as suas palavras.
    Devo dizer que a minha expressão se fosse simplesmente verbal poderia dar espaço a
    interpretações maliciosas por causa do significado figurativo de "esperto" e porque a pronúncia dos adjectivos "esperto" e "experto" são identicas.

    Mas felizmente "scripta manent" e eu me salvo em "corner" (usando um têrmo futebolistico) porque as duas palavras têm significados completamente diferente.

    * esperto do Lat. expergitu, acordado
    adj. acordado, desperto;
    fig. vivo, sagaz, finório, ladino, astuto, espertalhão, manhoso

    * experto do Lat. expertu
    adj. perito, experiente, hábil, versado, douto, conhecedor.


    e agora Sr. BTG, muito benvindo ao forum,
    apresente os seus argumentos e faça-nos uma oferta que não poderemos refutar.
  9.  # 99

    Boa tarde a todos
    a dois anos atras comprei uma moradia pre-fabricada com alguns anos (25) desde entao tenho andado a reconstruila e tem sido um espetaculo . a nivel de comforto a casa e espetacular isolamento termico e acustico 5***** so que se levantou se agora um pesadelo. ando a tentar mudar de credito de habitação e ja é o segundo banco que se recusa a fazer a transferencia porque a casa e pre fabricada . ando revoltado com isto pq o emprestimo esta a ficar imcoportavel e esta se a tornar um pesadelo e que deveria ser um sonho. O estado ainda me deveria pagar pelo baixo consumo de energia que dispendo para o aquecimento ou refrigeração
    desculpem o desabafo
    •  
      FD
    • 23 Janeiro 2008

     # 100

    jo,

    Gostei da boa disposição, mantenha-a. ;)

    electrao1,

    A casa está legal? Será por isso que não lhe emprestam o dinheiro? Qual é o banco, a CGD?
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">