Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 141

    Daquilo que tenho visto, a central da Visonic PowerMax Pro é uma das mais capazes ... Mas não sai barato um conjuntozinho decente desses ... Central, sensores, sirene, teclado, módulo GSM ...

    Mas permite ligar cameras e consultar via Web salvo erro, controlo de equipamento por X10, alarmistica por SMS/chamadas de voz ...
    Concordam com este comentário: PBarata
  2.  # 142

    o que estou a pensar instalar tb dá para aceder pela net ás câmaras, ver as gravações, etc.

    e não me vai ficar muito caro.

    Quanto ao trabalho que vai dar... vai dar algum, mas vai ficar bem, nada que qualquer pessoa com o mínimo conhecimento de informática e electricidade não o faça.
  3.  # 143

    Colocado por: ultrahipermegao que estou a pensar instalar tb dá para aceder pela net ás câmaras, ver as gravações, etc.

    e não me vai ficar muito caro.

    Quanto ao trabalho que vai dar... vai dar algum, mas vai ficar bem, nada que qualquer pessoa com o mínimo conhecimento de informática e electricidade não o faça.

    Boa tarde !
    Acabei de lhe enviar uma mp.
    JMaia
    Concordam com este comentário: ultrahipermega
  4.  # 144

    Daquilo que sei, um sistema que seja muito flexível, aberto a outras marcas e que permita ligar vários sensores de marcas diferentes é meio caminho para ser fácil de aceder com técnicas de scrambling sobejamente conhecidas e dominadas.
    Por exemplo há roubos de automóveis em que a pessoa activa o comando de fecho que dá informação a um equipamento que o anula ficando assim o carro aberto à espera que o proprietário se afaste e o ladrão roube facilmente tudo o que houver no interior.
    Um sistema de alarme de alta segurança nunca poderá ser montado pelo próprio pois tem particularidades que só o próprio fabricante conhece e só assim fica a funcionar a 100%. Todo o sistema é proprietário completamente inacessível a estranhos (entenda-se como estranho o próprio cliente). Evitando ao máximo que alguém do lado contrário adquira e perceba todo o sistema.
    Os sistemas de venda avulsa não podem possuir este tipo de garantias.
  5.  # 145

    Caro pedromdf, esse sistema que refere é sem fios, e eu não confio nada nos sistemas sem fios, sejam eles que marca forem, pois basta clonar o sinal enviado para o desactivar e lá se vai o alarme.

    Para ser seguro e pouco vulnerável terei de ser eu a montar e saber especificamente os locais onde colocar os sensores e a forma de os colocar, pois tudo o que é rotineiro torna-se pouco seguro é o caso da maior parte das empresas de segurança, metem o sensor á frente da janela e tá feito, os assaltantes estão fartos de saber onde essas empresas metem os sensores e a forma de os aldrabar.

    Se instalarmos um sistema com chave física, código ou impressão digital a conversa aí já é outra, não basta um scrambling para desactivar porque não é possível fazer scrambling de uma impressão digital ou de uma chave física.

    Os sistemas sem fios de faça você mesmo são a maior ilusão que apareceu. mas como são baratos a gemte compra e pensa que está protegido, e alguma coisa está, mas nada de especial.
  6.  # 146

    Colocado por: ultrahipermega
    Os sistemas sem fios de faça você mesmo são a maior ilusão que apareceu. mas como são baratos a gemte compra e pensa que está protegido, e alguma coisa está, mas nada de especial.


    São baratos depende ....
    É fácil adquirir sistemas BOSCH, VISONIC, GE SECURITY e HONEYWELL para montar você proprio ... E não são baratos.
    O 'faça você mesmo' não é necessáriamente mau. Se for bem aconselhado sobre que centrais e acessórios comprar para o seu caso especifico nao vejo mal, depois é tudo uma questão de montagem que habitualmente os manuais esclarecem bem. Temas de programação das centrais já podem ser mais delicados, mas muitas vezes adquirem-se as centrais já pré-programadas para o conjunto pretendido.
    • Mac
    • 3 outubro 2012

     # 147

    Colocado por: ultrahipermegaCaro pedromdf, esse sistema que refere é sem fios, e eu não confio nada nos sistemas sem fios, sejam eles que marca forem, pois basta clonar o sinal enviado para o desactivar e lá se vai o alarme.

    Para ser seguro e pouco vulnerável terei de ser eu a montar e saber especificamente os locais onde colocar os sensores e a forma de os colocar, pois tudo o que é rotineiro torna-se pouco seguro é o caso da maior parte das empresas de segurança, metem o sensor á frente da janela e tá feito, os assaltantes estão fartos de saber onde essas empresas metem os sensores e a forma de os aldrabar.

    Se instalarmos um sistema com chave física, código ou impressão digital a conversa aí já é outra, não basta um scrambling para desactivar porque não é possível fazer scrambling de uma impressão digital ou de uma chave física.

    Os sistemas sem fios de faça você mesmo são a maior ilusão que apareceu. mas como são baratos a gemte compra e pensa que está protegido, e alguma coisa está, mas nada de especial.

    Vamos ter aqui uma referência em alarmes
    Força com isso. Vou estar atento.
  7.  # 148

    Colocado por: SchopferGott

    São baratos depende ....
    É fácil adquirir sistemas BOSCH, VISONIC, GE SECURITY e HONEYWELL para montar você proprio ... E não são baratos.
    O 'faça você mesmo' não é necessáriamente mau. Se for bem aconselhado sobre que centrais e acessórios comprar para o seu caso especifico nao vejo mal, depois é tudo uma questão de montagem que habitualmente os manuais esclarecem bem. Temas de programação das centrais já podem ser mais delicados, mas muitas vezes adquirem-se as centrais já pré-programadas para o conjunto pretendido.


    Tem alarmes a custarem 125€ do género faça você mesmo, 2 detetores, uma sirene e um teclado, junta-se 100 metros de cabo e por 150€ tem o alarme montado em sua casa.
  8.  # 149

    vamos por partes:

    Um alarme não deve ter sirene externa nem strob nem coisa que se pareça(pelo menos á vista), quem assaltar nunca vái saber o que vai encontrar pela frente. Se alguém vai assaltar uma casa que tem uma placa á porta a dizer protegido por alarme já vai preparado para o silenciar antes mesmo de ele tocar.
  9.  # 150

    Colocado por: ultrahipermegavamos por partes:

    Um alarme não deve ter sirene externa nem strob nem coisa que se pareça(pelo menos á vista), quem assaltar nunca vái saber o que vai encontrar pela frente. Se alguém vai assaltar uma casa que tem uma placa á porta a dizer protegido por alarme já vai preparado para o silenciar antes mesmo de ele tocar.


    Completamente de acordo.
    O melhor é ter sirene interna e sem grandes alertas por fora. Quanto mais pistas se dá aos larápios, melhor.

    Sempre que vejo nas casas aqueles disticos a dizer 'Protegido por Securitas - Verisure' ou 'Prossegur - Protecção', lembro-me sempre que assim qualquer amigo do alheio já sabe como se ha-de preparar ... Já sabe qual é o sistema, mete algum factor de incerteza, e actua em conformidade....

    Uma questão :

    Em divisões com janelas para o exterior sem emsombramento (estores ou persianas), um detector de movimento comporta-se bem ?
    Não dispara com o movimento de pessoas, animais, vegetação ou carros na rua que passem em frente a essas janelas ou possam fazer sombras originando falsos alarmes ?
  10.  # 151

    Colocado por: ultrahipermegavamos por partes:

    Um alarme não deve ter sirene externa nem strob nem coisa que se pareça(pelo menos á vista), quem assaltar nunca vái saber o que vai encontrar pela frente. Se alguém vai assaltar uma casa que tem uma placa á porta a dizer protegido por alarme já vai preparado para o silenciar antes mesmo de ele tocar.


    Pois, mas como sabe à quem defenda exactamente o contrário, o ladrão vê que tem e vai ao lado que não tem. Há sempre duas opiniões, uns convencem-se duma outros convencem-se da outra e provavelmente estão ambos enganados.
  11.  # 152

    Isso vai depender do detector e do vidro que a janela tiver.

    Antes de mais quero esclarecer que eu não instalo alarmes nem coisas do género, o que sei é apenas curiosidade e dedicação, nada mais.

    Os detectores normais não ultrapassam o vidro, acredito que possa existir alguns detectores que já façam essa função, mas que eu conheça não, é só lembrar os alarmes volumétricos dos carros, pode encostar-se ao carro que ele não dispara.
  12.  # 153

    Colocado por: pedromdf

    Pois, mas como sabe à quem defenda exactamente o contrário, o ladrão vê que tem e vai ao lado que não tem. Há sempre duas opiniões, uns convencem-se duma outros convencem-se da outra e provavelmente estão ambos enganados.


    Eu coloco as coisas neste patamar, se a casa tem alarme é porque tem valor, logo vale a pena assaltar.

    Quanto menos sinais exteriores de riqueza tiver melhor, no caso dos alarmes é um sinal de riqueza.

    Por outro lado, quem for para assaltar vai assaltar de uma maneira ou de outra, mas o problema é que se tiver alarme á vista a pessoa já vai mais preparada, se não tiver vai mais á vontade.

    Ou até ao contrario, se não tem alarme é porque tem outro sistema qualquer e temos de ter cuidado, etc...

    Espero bem que os assaltantes não sejam frequentadores do forum, senão lá se vai a teoria.
  13.  # 154

    Eu até acho que para o ladrão tanto faz que toque como que não toque, tem sempre meia hora para fazer o que lhe apetecer e se conseguir entretanto silenciar aquilo, já sabe que nem a curiosidade da vizinhança o empata.
    Já fiz vários testes e simulações inesperadas em edifícios de escritórios com pessoas devidamente informadas e a primeira reacção é de que não é nada, ficam a olhar uns para os outros, vai primeiro um ver o que se passa e volta para o gabinete. Vejam a reacção das pessoas das torres gémeas, pensaram primeiro que não seria nada de importante, mesmo com todos os alarmes a funcionarem.
    As pessoas associam sempre um alarme a um disparo intempestivo.
    Por outro lado há casos de assaltos a residências com alarmes com as pessoas lá dentro, portanto alarme desligado. São os mais violentos, com agressões perfeitamente desproporcionadas para obtenção de tudo dos torturados.
    • josexy
    • 4 outubro 2012 editado

     # 155

    As coisas não são tão lineares assim...

    - Os fios podem ser cortados uma vez, o alarme dispara... e como ninguém vai logo a correr mudar cabos, aquele(s) sensor(es) deixam efectivamente de trabalhar durante algum tempo (para sempre?).
    - Os fios podem muitas vezes serem curto-circuitados... os sistemas quando estão ligados costumam detectar isto, mas quando não estão nem sempre o detectam, e a tendência é para ignorar... e lá estão mais umas quantas zonas sem protecção.
    - Os sem fios podem ser interferidos... mas se tiverem bem concebidos podem estar a enviar um código único e não repetido para a central a cada segundo que passa, não podem "clonar" o sinal e se alguém bloquear a(s) frequência(s) e nesse momento entrar numa zona protegida o sistema detecta que deixou de conseguir comunicar com o(s) sensor(es) e dispara o alarme. Os que demoram mais tempo a comunicar podem guardar em memória que foi activado e reenviar até deixar de existir a interferência e confirmação de recepção... e se entretanto a interferência desaparecer ou o tempo de contacto expirar o alarme dispara. Claro que alguém a única coisa que tem que fazer é descobrir quais são as frequências em que opera (normalmente 868 Mhz e/ou 433 Mhz) e fazer o alarme disparar várias vezes, de preferência com o proprietário por perto para que o mesmo acabe por desligar o mesmo.

    Muitas vezes os sistemas funcionam bem a primeira vez... mas não nas subsequentes por não serem reparados de imediato, ou serem desactivados pelos utilizadores legítimos.

    A realidade é que os alarmes não servem para grande coisa, provavelmente 99,5 % dos disparos de alarme, são falsos alarmes, logo a credibilidade deles à muito que desapareceu. E quando são verdadeiros ninguém quer saber.

    Gostei muito foi de um filme chamado "Sala de Pânico" onde no mesmo a casa tinha um quarto seguro com uma porta impenetrável, usado para o caso de existir uma invasão da propriedade... na mesma vê-se como o especialista em instalar o sistema de alarme consegue desactivar o mesmo facilmente (a realidade é semelhante, em muitos casos). Ser o próprio a instalar pode ter vantagens em especial se tiver jeito para montar coisas e ler as instruções completas para aproveitar ao máximo as capacidades do sistema. Dica: esconder a central de alarme num sítio onde o ladrão por muito rápido que seja não consiga aceder ao mesmo antes de o sistema ter pelo menos enviado o sinal de alarme para a central de alarmes ou telemóveis.

    Outro filme que gostei de ver foi o Lara Croft: Tomb Raider (2001) onde mostram a mansão da Angelina Jolie, quando uns ladrões invadem a casa para roubar algo, passam por um sensor que activa o fecho automática de portas de vidro à prova de bala da zona restrita (+/- minuto 35 do filme), e quando os ladrões fazem explodir o vidro (+/- minuto 39), o sistema de alarme activa o gradeamento de alta segurança que desce do tecto e veda a zona considera crítica, no filme os ladrões levavam explosivos e maçarico para cortar o gradeamento e conseguem mesmo assim chegar ao objecto... mas a realidade do dia a dia é que os ladrões não costumam estar tão bem preparados, pelo que tais sistemas podem de facto impedir o roubo. Claro que por exemplo o sistema de alarme podia ter activado uma névoa de protecção que dificultaria ainda mais a acção criminosa... mas tais criminosos também certamente levariam extractores de alto débito que retirariam o mesmo, qualquer que fosse o débito do sistema de protecção... mas que não ajudava, não ajudava!

    As placas de facto desaconselho... só servem para publicitar a empresa de alarmes... mas a caixa externa com flash, considero importante, pois ajuda a identificar a origem do alarme, e se o mesmo continuar a piscar até que o sistema seja correctamente desligado, permite que um utilizador autorizado se aperceba que algo está mal... se chegar e o sistema estiver a piscar... e muitos fazem isso, tocam 2 a 5 minutos e depois mantêm-se com o flash. De preferência uma com flash azul (mais facilmente associado a intrusão) e escrito "ALARME DE INTRUSÃO".
  14.  # 156

    São poucas as sirenes e centrais que resistam a uma agressão sem que se espalhem logo as baterias. Acabou a barulheira. Quem saiba interpretar correctamente os bons procedimentos, não irá logo a correr para casa em caso de uma chamada do sistema pois pode candidatar-se a um epitáfio ou, com sorte, já lá não apanha ninguém. A polícia e as próprias empresas de segurança, geralmente, também não têm grande pressa de lá chegar. Num assalto a um banco, por exemplo, só nos filmes é que chegam e os ladrões ainda estão lá dentro. Por acaso por cá tivémos um caso de "sucesso" mas que temo não mais se repetirá.
  15.  # 157

    Já agora deixo aqui mais uma dica. Sabe que uma boa parte das pessoas que têm alarme há algum tempo já nem sequer o ligam devido às chatices dos alarmes intempestivos e aos problemas com o condomínio que daí resultam.
    • josexy
    • 4 outubro 2012 editado

     # 158

    Outra coisa a ter em conta nos sistemas de alarme sem fios, é que é frequente tanto as chinezises como marcas mais conhecidas darem problemas por si só, e não se conseguir entender a razão para tal... por exemplo os sensores de movimentos não detectarem os movimentos, ou não comunicarem a activação à central (mesmo que estejam perto uns dos outros e sem interferências)... ou detectam e comunicam umas vezes e outras não, nas exactas mesmas circunstâncias (e sim, alguns por desenho do fabricante detectam a primeira vez e depois durante algum tempo não voltam a reportar para poupar as baterias... a menos que o sistema seja reactivado e passem ao estado como se estivessem a vigiar pela "primeira vez").

    Na realidade o uso do alarme de intrusão, pensando bem, se for bem feita, e via cabo com comunicação para os dois lados, pode ser muito útil, em especial na protecção de pessoas, ao detectar intrusos ainda no exterior ou ao entrarem no interior das instalações... por exemplo: pessoas que tenham ameaças físicas sobre si (e infelizmente existem milhões pelo mundo inteiro)... se o intruso for detectado no exterior ou no interior mal entra, muitas vezes há muitas coisas que se pode fazer, como recolher a um quarto de segurança, ou já estando num, chamar a polícia e/ou a empresa de segurança privada... e quem tem armas de defesa, pode defender-se melhor pois já está a contar com o intruso... se tiver a dormir muitas vezes não daria por nada sem alarme.

    Quem for engenhoso(a) pode acrescentar portas e janelas que se fecham automaticamente dentro e fora de casa, névoa de segurança que se activa em caso de alarme de forma a atrasar a progressão de intrusos, tendo o cuidado de se salvaguardar para que o sistema não encurrale o próprio e o torne uma vítima mais fácil.

    Ter alarme não é sinal de riqueza, mas de preocupação com a segurança... infelizmente muita gente pensa que o alarme os protege, quando em 95% dos casos não fornece protecção nenhuma por si só (quem já foi assaltado várias vezes mesmo tendo alarme a funcionar sabe-o bem)... o que faz, quando trabalha bem, é alertar para uma possível intrusão! Se associarem a engenhocas como gradeamentos, bloqueio de portas interiores, névoa de segurança, cofres fortes que se fecham sozinhos e bloqueiam (mesmo que estejam abertos), vidros resistentes que saem de paredes/ chão/ tecto e bloqueiam o acesso a artigos/ áreas de maior interesse, sirenes de interior estridentes em todas as divisões da casa, luzes de "alta potência" que até encandeiam a vista e piscam e por aí em diante, pode, de facto o sistema de detecção de intrusão ser um forte desmotivador não só para esse assaltante como para outros que venham a saber que a casa está realmente bem protegida. Claro... que podem sempre raptá-lo a si ou a terceiros que tenham acesso, para o obrigar a desactivar o sistema... e poderá ter mais umas quantas surpresas para esses casos... a imaginação é o limite.

    Convêm testar todas as semanas os sistemas de intrusão, nomeadamente se todos os sensores estão a funcionar e a informar correctamente a central de alarmes da casa das activações dos mesmos. Normalmente são necessárias duas pessoas, uma para activar os sensores e outra para verificar se está a aparecer bem na central do alarme (uma pessoa também poderá fazer o teste mas poderá ser mais demorado dependendo da quantidade de sensores). A maioria dos sistemas de alarmes devem ser colocados em modo de teste para executar os testes. Se tiver ligado a uma central de alarmes, em alguns sistemas é necessário informar a empresa de que irá efectuar testes e que quer que ignorem temporariamente os sinais de alarme pelo tempo que achar que é necessário para efectuar os testes... aproveite e verifique se recebem os sinais de alarme na central deles, para confirmar que continuam a vigiar o seu sistema de alarme e que recebem correctamente os sinais de alarme, caia em cima deles que nem um cão raivoso caso eles não estejam a monitorizar a sua instalação... afinal está a pagar todos os meses (muitas vezes 30€ ou mais) para que eles o façam, é bom que o façam!

    Se puderem exijam contratos de manutenção (em sistemas montados por terceiros) em que eles garantam assistência técnica e reparação total no local da instalação em menos de 24h seja qual for o dia do ano, sob pena de pagaram efectivamente pesadas compensações por cada dia extra que demorarem a aparecer e a resolver efectivamente o problema. Os alarmes não é como os restantes produtos electrónicos... se avariar pode ter sérias consequências na segurança das instalações e por vezes mais grave... das pessoas... por algum motivo quiseram o sistema. Uma empresa incapaz de garantir uma assistência técnica efectiva com resolução satisfatória da situação em menos de 24 horas não deve ser escolhida. Para as empresas não lhes faz diferença que demore um dia ou trinta, mas para si pode fazer a diferença entre apanhar um assaltante ou não apanhar. Em algumas empresas as mensalidades são muito elevadas e uma das desculpas é a assistência e troca de peças incluídas na mensalidade para conseguirem justificar como é que um serviço que deveria custar para aí 10€ custa depois 25/30€ na prática... se paga bem, é para ser bem servido.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: Paramonte
  16.  # 159

    Colocado por: pedromdfJá agora deixo aqui mais uma dica. Sabe que uma boa parte das pessoas que têm alarme há algum tempo já nem sequer o ligam devido às chatices dos alarmes intempestivos e aos problemas com o condomínio que daí resultam.


    Para esses casos existem os sistemas de alarme silenciosos ligados às centrais de alarme das empresas de segurança, com câmaras de vigilância incorporados que permitem ver de imediato o que se passa... contactam o local para tentar perceber se é um utilizador legítimo e caso não seja ou não respondam despacham a polícia e contactam as pessoas da lista. E podem sempre colocar sirenes que faça muito pouco barulho só para alertar dentro de casa sem incomodar os vizinhos.

    E normalmente os alarmes intempestivos devem ser investigados a sua origem... pode ser sensores com defeitos ou inadequados para o local onde estão montados (por exemplo portas e janelas que abanem mais do que deveriam naturalmente, por estarem mal montados ou com falta de manutenção) accionando os sensores; avaria nas centrais que recebem os sinais; problemas nos cabos ou interferências nos sistemas sem fios; o tempo de entrada inadequado; algum intruso a provocar os alarmes para que os proprietários desativem o sistema; estar tudo a funcionar corretamente e os alarmes serem verdadeiros mas as pessoas não se aperceberem de que as coisas tenham desaparecido; enfim existem imensas situações... investigar a fundo a questão e resolver é o correto, gastar centenas ou mesmo milhares de euros nestes sistemas e depois não os utilizar por falsos alarmes é no mínimo caricato... devem exigir às empresas que montaram que detectem a origem do(s) problema(s) e os solucionem [se foi montando por vós será pior porque normalmente não terão tantos conhecimentos e muitas vezes é uma mistura de avarias com sensores mal calibrados e sensores inadequados para os locais (dada a sua utilização que por vezes muda daquela que era expectável na altura da instalação)].

    Já estive num bar a ajudar a montar câmaras de vigilância, devo ter ativado o alarme sem querer no comando remoto (porcaria dos comandos que não usam capas protetoras!) e desliguei de imediato o alarme mas passado segundos contactaram e como não sabia a senha enviaram a GNR e contactaram o responsável pelo estabelecimento e passado uns 3 minutos eles estavam todos no local, lá explicou o responsável (que os GNR's já conheciam bem pessoalmente) que estava tudo bem e foram-se embora. Bastava não se dizer nada e eles não sabiam se estava alguém ou não (os detetores não tinham câmaras) e talvez a GNR mesmo indo ao local não entrasse se não existissem indícios de entrada forçada (o caso) e se o responsável não estivesse contactável (poderia acontecer) eles acabariam por ir embora sem entrar... com câmaras dificilmente iam embora porque teriam a certeza que estava alguém dentro da propriedade e esperavam o tempo que fosse necessário até chegar alguém com as chaves em especial se tivessem informações da empresa de segurança de que os intrusos continuavam dentro da propriedade.
    Ao contrário do que dizem, se a polícia souber que podem apanhar em flagrante delito a malandragem, aparecem e normalmente são muito rápidos (sei por experiência própria)... claro que não é assim em todos os lados e haverão milhões de histórias a contradizer esta.
  17.  # 160

    Isto já vai aqui muita coisa e muita confusão.

    O que ser quer é um sistema simples e que trabalhe com eficacia. nada de grandes confusoes.

    Antes de montar o alarme ou sensores ou seja lá ele o que for temos de pensar como ladrão, observr varios casos de assalto e entender as falhas
 
0.0500 seg. NEW