Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 141

    Colocado por: J.Fernandes
    Onde é que a precariedade é ela por ela?!

    Os milhares de trabalhadoresefetivosque perderam o emprego durante os anos da crise eram privados ou f.p.´s?!


    Não tenho conhecimento de colegas de curso que tenham em emigrado, conheço no entanto colegas de serviço que deixaram a FP para emigrarem, uma acabou a trabalhar num bar em Londres, outra voltou à terra e neste momento voltou, só que como deixou a FP está à procura de trabalho.
  2.  # 142

    Colocado por: branco.valterconheço no entanto colegas de serviço que deixaram a FP para emigrarem

    Deixaram a f.p. para emigrar? Ou seja, puderam escolher entre ficar no emprego que tinham ou emigrar. Quantos dos milhares que emigraram e ainda emigram, se puderam dar a esse luxo?
  3.  # 143

    Colocado por: HAL_9000

    Está errado caro Joel. As pessoas estão ressaibiadas sim porque são cada vez mais exploradas a cada ano que passa, e a recuperação de condições de trabalho e de rendimento apenas se processa nos mesmos de sempre: FP. Sendo assim é normal que as pessoas queiram ser funcionários públicos, pois se trabalham menos e recebem mais, quem não quer.

    O Joel é que insiste em não reconhecer que as condições de trabalho, remunerações e direitos do trabalhador da função pública supera largamente as praticadas no privado.
    Não sei exactamente a que se prende essa sua teimosia ao insistir em não ver o óbvio, mas não sendo funcionário público diria que tem muitos na família direta.

    Tem noção que um serviço hospitalar público tem muito mais trabalho que um hospital privado
  4.  # 144

    Colocado por: J.Fernandes
    Deixaram a f.p. para emigrar? Ou seja, puderam escolher entre ficar no emprego que tinham ou emigrar. Quantos dos milhares que emigraram e ainda emigram, se puderam dar a esse luxo?


    Vários, afinal com os cortes houve muito boa pessoa que não aguentava por cá a receber tão pouco ou então tinham outras perspectivas (€) de vida.

    A minha irmã foi a primeira pessoa da família a ter um curso superior e emigrou mesmo tendo uma oferta de emprego (no privado).

    O meu cunhado teve um casal colegas de trabalho (no privado) a deixar o emprego e a emigrar porque queriam ser pais e com o que estavam a ganhar não dava.
  5.  # 145

    Colocado por: branco.valterO meu cunhado teve um casal colegas de trabalho (no privado) a deixar o emprego e a emigrar porque queriam ser pais e com o que estavam a ganhar não dava.

    Isso foi o q disseram? e agora já têm quantos filhos, 3?
  6.  # 146

    Colocado por: enf.magalhaes
    Tem noção que um serviço hospitalar público tem muito mais trabalho que um hospital privado

    Tenho, e mais uma vez lhe digo que a saúde é um caso particular. Quando falo em Função pública terei de incluir todos como é óbvio. Mas regra geral são também mais bem remunerados e têm maior estabilidade.
  7.  # 147

    Colocado por: nunos7
    Isso foi o q disseram? e agora já têm quantos filhos, 3?


    Já voltaram e têm salvo erro uma pequena. Não sei se ganharam algo (€) em terem emigrado, mas que o fizeram é inegável.
  8.  # 148

    Portugal mesmo sendo um pais pequeno, não é todo igual (temos zonas mais caras e outras mais em conta), pelo q um casal ambos a ganharem, e não conseguirem ter um filho, para mim é treta... q não estejam dispostos a abdicar de certas coisas, tudo bem, mas então q sejam honestos... agora não digam q é por falta de €...
  9.  # 149

    Colocado por: nunos7Portugal mesmo sendo um pais pequeno, não é todo igual (temos zonas mais caras e outras mais em conta), pelo q um casal ambos a ganharem, e não conseguirem ter um filho, para mim é treta... q não estejam dispostos a abdicar de certas coisas, tudo bem, mas então q sejam honestos... agora não digam q é por falta de €...


    Casal que ganha pouco mais que o ordenado mínimo? Consegue, sem terem grandes férias, ou hobbies, mas consegue. Um casal que ganha pouco mais que o ordenado mínimo e quer dar uma vida de jeito aos seus rebentos... não!

    Esse é um dos problemas que há em Portugal, em grande parte da UE se um casal trabalha, quase de certeza conseguem dar uma vida digna à sua família, por cá e com 10 anos de aumentos congelados/aumentos minimos e com o custo de vida a aumentar ainda mais, é para lá de difícil.

    Caso concreto a minha filha tem música e nós pagamos apenas 10€, por isso é barato. Ainda recentemente um casal teve que tirar os seus filhos porque eram duas pequenas e um rapaz.
  10.  # 150

    Colocado por: branco.valterEsse é um dos problemas que há em Portugal, em grande parte da UE se um casal trabalha, quase de certeza conseguem dar uma vida digna à sua família, por cá e com 10 anos de aumentos congelados/aumentos minimos e com o custo de vida a aumentar ainda mais, é para lá de difícil.
    Esta frase resume de forma eficaz o grande mal do nosso país. Apesar trabalhar não saímos da miséria.
    Concordam com este comentário: branco.valter, desofiapedro
    Estas pessoas agradeceram este comentário: rsvaluminio
  11.  # 151

    Colocado por: nunos7Portugal mesmo sendo um pais pequeno, não é todo igual (temos zonas mais caras e outras mais em conta), pelo q um casal ambos a ganharem, e não conseguirem ter um filho, para mim é treta... q não estejam dispostos a abdicar de certas coisas, tudo bem, mas então q sejam honestos... agora não digam q é por falta de €...

    2 salários de 650 euros mais um filho dependente no Porto ? É fácil ?
    Fosca-se até com 1000 é difícil . Na minha cidade que é uma pequena cidade litoral por um t1 decente paga -se 350 a 400 euros !
  12.  # 152

    Colocado por: branco.valterJá voltaram e têm salvo erro uma pequena. Não sei se ganharam algo (€) em terem emigrado


    seguindo este caso, acha q foi por estarem (não sei qtos anos) fora q lhes deu outro suporte para ter a pequena? neste momento continuam a ganhar o ordenado minimo?

    Temos q nos saber virar com o q temos e tentar sempre procurar melhor para nós e os nossos, mas não acho correcto dizerem q um casal, ambos, com salário mínimo não conseguem ter pelo menos uma criança... mas sim estou como diz, deve ser difícil, mas não pode ser escusa... my opinion!
  13.  # 153

    Colocado por: enf.magalhaesno Porto ? É fácil ?

    Logo a 2ª cidade de Portugal...
  14.  # 154

    Colocado por: branco.valtere quer dar uma vida de jeito aos seus rebentos

    O q é dar uma vida de jeito aos nossos filhos?
  15.  # 155

    Colocado por: nunos7
    O q é dar uma vida de jeito aos nossos filhos?


    Diga-me você.
  16.  # 156

    Colocado por: nunos7
    Logo a 2ª cidade de Portugal...

    Dei o exemplo da minha cidade . Cidade pequena do litoral . T1 por 350 a 400 euros . Some a cresce , comida , roupa , edp , água , etc
  17.  # 157

    Colocado por: manelvcMuito menos que as dos privados. Grande parte dos enfermeiros dos hospitais privados estão a RV. Pelo menos aqui no norte...



    Colocado por: rsvaluminio

    Agora está a defender os privados?

    Deve estar a falar do pessoal da restauração





    quem dera aos da restauração ter essas regalias.

    Eu também gostava de ter um mês inteiro de férias , de não trabalhar no Natal nem no ano novo . E quando existe um feriado à sexta feira , para mim não existe fins de semana prolongado . Por isso não generalizem!
  18.  # 158

    Colocado por: HAL_9000

    Mas aí o enf.magalhães pode chamar outro picheleiro, outro serralheiro ou outro empreiteiro. Nós não podemos ir a outro serviço público.
    Nas profissões que refere, os prazos falham essencialmente porque, querem fazer ao mesmo tempo 3 e 4 obras quando só têm equipa para 2. Não tem tanto a ver com ritmos de trabalho ou pausas de 45 min para café (como me aconteceu no ano passado quando tive de renovar o cc).

    Para mim deveria ser indiferente quantas cobrem tem ! Os prazos contratualizados deveriam ser cumpridos .
  19.  # 159

    enf. magalhães, eu acho que já lhe perguntei mas não me respondeu: se está tão mal no publico porque nunca tentou sorte no privado? eles estão constantemente a contratar...
  20.  # 160

    Colocado por: HAL_9000

    Por acaso verificou se também saíam exactamente a hora que deviam sair à noite, ou se compensavam essas pausas? Enquanto estudante, trabalhei numa equipa de acabamentos nas férias de verão, e também fazíamos a pausa para a cervejola, como lhe chama, mas o tempo era compensado à noite.

    Café não pode ser , mas beber álcool no horário de trabalho já pode ser ???? Por favor ...
 
0.0991 seg. NEW