Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 1

    Bom dia, preciso da vossa ajuda:
    Tenho um filho com 2 anos e meio que acorda muito cedo... por volta das 7h mesmo ao fim de semana. Como criança que é, por vezes corre (com meias calçadas), fala um pouco alto e quando o contrariamos chora.
    Hoje verifiquei que tinha na porta um papel colado a informar que estamos a impedir as pessoas de descandar ao fim de semana, e terminou com um tom de ameaça, dizendo que "a paciência tem limites... não abusem muito mais". Ora apesar de ter noção que o miúdo faz barulho, foi a primeira vez que alguém me disse algo. Pessoa essa que não assinou... logo não sei quem foi para poder falar vom a pessoa.
    Sempre tentei que o miúdo fizesse o mínimo barulho, estou constantemente a adverti-lo, mas é uma criança, não o posso impedir de chorar.
    O que posso fazer em minha defesa?
    Obrigada
  2. Ícone informação Anunciar aqui?

  3.  # 2

    Salvo o devido respeito,
    Está a acontecer há uns 4 meses no prédio onde resido um barulho equiparável,mas feito por um cão.
    O dono vai trabalhar de manhã(7h) e quando sai,o cão fica a latir continuamente até às 10h.Começa a ficar "rouco"...e nota-se que fica angustiado...nem as janelas da casa deixa abertas para entrar a luz.
    Creio que o cão não é passeado,e se o é é só uma vez por dia quando o dono chega por volta das 18h.
    O que fazer?
    Educar o Cão!
    Levá-lo a passear.
    Fazer actividades lúdicas,para o integrar/sociabilizar de maneira harmoniosa.
  4.  # 3

    Certamente não estará a comparar uma criança com um cão. Além de que é obvio que fazemos atividades com ele, brincamos, incutimos o respeito pelo próximo. No entanto há coisas que não se conseguem controlar.

  5.  # 4

    Colocado por: acrfariasBom dia, preciso da vossa ajuda:
    Tenho um filho com 2 anos e meio que acorda muito cedo... por volta das 7h mesmo ao fim de semana. Como criança que é, por vezes corre (com meias calçadas), fala um pouco alto e quando o contrariamos chora.
    Hoje verifiquei que tinha na porta um papel colado a informar que estamos a impedir as pessoas de descandar ao fim de semana, e terminou com um tom de ameaça, dizendo que "a paciência tem limites... não abusem muito mais". Ora apesar de ter noção que o miúdo faz barulho, foi a primeira vez que alguém me disse algo. Pessoa essa que não assinou... logo não sei quem foi para poder falar vom a pessoa.
    Sempre tentei que o miúdo fizesse o mínimo barulho, estou constantemente a adverti-lo, mas é uma criança, não o posso impedir de chorar.
    O que posso fazer em minha defesa?
    Obrigada


    As pessoas têm de ser sensíveis a este problema.
    No entanto também (quem é pai ou mãe) temos de ser sensíveis aos problemas das pessoas.

    Eu, o que faria era:
    Convocava já uma reunião de condóminos, explicava a situação e ouvia as pessoas.

    Tentava no fim de semana acordar o mais cedo possível e ia fazer algum programa com a criança.

    Ps: não vou entrar pela educação, pois cada filho é um filho, cada caso é um caso... e não temos dados sequer para dizer que o problema está na educação ou não.
  6.  # 5

    isso é um pau de dois bicos ... mas nada que não consiga resolver , primeiro leve o papel à PSP e faça queixa em seguida não se preocupe com os barulhos ... e bom fim de semana !
    Concordam com este comentário: jorgferr, Jacinta, CD00, lmatos
  7.  # 6

    Muito obrigada pela sugestão. Nós tentamos efetivamente sair com ele, entrete-lo, no entanto até que consigamos que ele não faça barulho nem sempre é fácil.
    Vou tentar falar com os vizinhos. Tentar descobrir quem reclamou e expor a situação.
  8.  # 7

    eu tenho duas filhas , uma é como uma porca a dormir a outra é como o diabo entre as couves !!!! mas tenho que levar tambem com o barulho dos outros , com cães , com gatos , com portas a bater enfim ... se fosse comigo sendo um papel intimidatório era para a policia que ia já já ... nunca se sabe o que faz uma pessoa que não respeita uma criança .
    Concordam com este comentário: jorgferr, GMCQ
  9.  # 8

    Há pessoas que trabalham de noite, chegam a casa à meia-noite, deitam-se à uma, serem acordados às 7, poria qualquer um de muito mau humor. Se não consegue controlar o petiz, terá que insonorizar a casa. Não estique a corda porque há vizinhos e vizinhos.
    Concordam com este comentário: treker666, Oliveirafabio
  10.  # 9

    Como já foi dito, policia em primeiro lugar, porque a sua criança está a crescer e com muito para aprender, mas a criança que escreveu isso sem sequer se identificar está com uma margem de progressão muito limitada e essa deve ser a sua prioridade.
    • Juliao
    • 13 Outubro 2018 editado

     # 10

    Colocado por: Sérgio KYOComo já foi dito, policia em primeiro lugar, porque a sua criança está a crescer e com muito para aprender, mas a criança que escreveu isso sem sequer se identificar está com uma margem de progressão muito limitada e essa deve ser a sua prioridade.
    Claro, anda por aí um ditado que diz: " Pimenta no dito dos outros para mim é refresco" Insonorize a casa, ponha alcatifa no chão, converse com o seu filho faça-o entender que tem que respeitar os outros.
    Concordam com este comentário: treker666
  11.  # 11

    Está a ver porque eu não queria entrar no campo da educação?

    Já se estava mesmo a ver...

    Eu antes de ir a polícia, conversava com todos os vizinhos.
    É que nem tentava saber quem era!!!

    Colocava a sua situação e ouvia o que eles diziam.

    A partir daqui é que tomava decisões.

    Ps: não converse com um a um. Tente juntar todos e converse com todos.
  12.  # 12

    Colocado por: JuliaoClaro, anda por aí um ditado que diz: " Pimenta no dito dos outros para mim é refresco" Insonorize a casa, ponha alcatifa no chão, converse com o seu filho faça-o entender que tem que respeitar os outros.
    não estou a atribuir razão a ninguém mas pessoas adultas que co habitam o mesmo edifício e não tem discernimento para uma aproximação que não seja um bilhete anónimo em tom de ameaça.... Mas foram os meus 2cts em relação à questão.
  13.  # 13

    Colocado por: acrfariasCertamente não estará a comparar uma criança com um cão. Além de que é obvio que fazemos atividades com ele, brincamos, incutimos o respeito pelo próximo. No entanto há coisas que não se conseguem controlar.

    Estou a comparar sim.
    O incómodo.

    Não ficava nada contente que mandassem abater o animal ou o mandassem para um canil.Daí ter de se agir com cautela.

    Não vale a pena saber quem foi.
    Escreva um papel no prédio,na entrada a explicar o sucedido e a actuação que irá tomar.
    Concordam com este comentário: treker666, Jacinta
  14.  # 14

    1-deixar bilhete anónimo=covardia
    2-se fosse um casal de ciganos todos enviavam a viola no saco...no prédio ao lado do meu um casal de ciganos faz o que quer e ninguém diz nada, preferem por a casa á venda.
    3-so quem não tem filhos é que não compreende uma situação destas
    4-predios de fraca qualidade
    Concordam com este comentário: skypt, CD00
  15.  # 15

    Colocado por: Alexandre SilvaSalvo o devido respeito,
    Está a acontecer há uns 4 meses no prédio onde resido um barulho equiparável,mas feito por um cão.
    O dono vai trabalhar de manhã(7h) e quando sai,o cão fica a latir continuamente até às 10h.Começa a ficar "rouco"...e nota-se que fica angustiado...nem as janelas da casa deixa abertas para entrar a luz.
    Creio que o cão não é passeado,e se o é é só uma vez por dia quando o dono chega por volta das 18h.
    O que fazer?
    Educar o Cão!
    Levá-lo a passear.
    Fazer actividades lúdicas,para o integrar/sociabilizar de maneira harmoniosa.
    Não encontro um adjectivo para alguém que compara crianças a cães. Um cão faz o mesmo incomodo toda a vida e uma criança cresce. Já para não falar dos cheiros quando a malta os mete nos terraços.
    Concordam com este comentário: RCF, skypt, CD00
  16. Ícone informação Anunciar aqui?

  17.  # 16

    Não vale a pena saber quem foi.
    Escreva um papel no prédio,na entrada a explicar o sucedido e a actuação que irá tomar.


    Se empolar muito a situação chamando a polícia/fazendo queixa nesta fase, poderá aumentar ainda mais o nível de agressividade do vizinho.
    Porventura até há mais vizinhos incomodados mas só esse é intolerante.
  18.  # 17

    Não encontro um adjectivo para alguém que compara crianças a cães
    Concordam com este comentário: treker666
      Gandhi e os animais.jpg
  19.  # 18

    Tens um quadro na entrada do predio, onde se mete as cartas perdidas, anuncios de vizinhos, e essas coisas?
    Colocas lá a carta que recebeste, deixa uma convocatoria tua, para explicar o que se passa, e ouvir o que eles tem para dizer.
  20.  # 19

    Colocado por: Alexandre Silva
      Gandhi e os animais.jpg
    Certo e ter um cão é como ter um filho? Se você tiver de escolher entre salvar o seu filho e um cão presumo que escolhe o cão
    Concordam com este comentário: skypt, CD00
  21.  # 20

    Na Tailândia se em x de 14 crianças fossem 14 cães os esforços de salvamento seriam os mesmos. Eu sempre tive animais e bem tratados, até ao dia em que vim morar para um apartamento
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">