Iniciar sessão ou registar-se
    • FFAD
    • 27 Agosto 2020 editado

     # 1

    No meu caso, o arrendamento tradicional tem corrido bem, mas a exposição é baixa.

    Tenho investido mais a sério nos imóveis comerciais e respectivo arrendamento onde o retorno é bem superior, e aqui sim, tem corrido muito bem.
    Concordam com este comentário: Gambino
  1. Ícone informação Anunciar aqui?

  2.  # 2

    Colocado por: pguilherme
    Os ois modelos de negócio referidos anteriormente, portanto.


    Referia-me a "moda" de um ponto de vista matemático.
    Seja como for, como opinião/crença é perfeitamente válida.

    A questão das rendas, idem. A larga maioria não tem nem para a entrada de uma habitação, mas para aquisição total em investimento descabido já há poupanças?

    Votos de bons negócios :)


    As poupanças são "quase sempre" dos mesmos indivíduos e "esses" indivíduos não são a maioria dos portugueses, mas sim uma fatia pequena que não tem problema em ter crédito e comprar habitação própria.

    Quem investe em imóveis e tem dinheiro para tal, acaba por não investir apenas em um, investe em vários e com os ganhos e outras poupanças continua a reinvestir (é o meu caso, por exemplo que tomei o gosto).
  3.  # 3

    Aos pequenos investidores em imobiliário pode vir a acontecer o mesmo que está a acontecer a quem investiu cegamente no alojamento local.
    Há casos de traumas significativos. Pessoas que colocaram todos os ovos no mesmo cesto e que em desespero têm feito asneiras atrás de asneiras.
    Tal como no mercado de acções, o pânico só prejudica.
    Se estiverem alavancados, pior.

    Se houver queda de preços, os investidores em imobiliário vão ficar com menos valias significativas e depois quero ver para onde é que se vão virar para investir.
    Vão ser acumuladores de imóveis como muitos que para aí existem. Numa das mais caras zonas do país existem n imóveis completamente abandonados e sem qualquer tipo de utilização. Porquê? Porque não precisam do dinheiro e deixam andar.
    Conheço de perto um caso em que o imóvel esteve anos (>10) inacabado.
    Acabaram as obras há coisa de 3-4 anos.
    Continua desocupado e sem qualquer tipo de utilização.
    Isto numa zona onde imóveis semelhantes se vendem por milhões. Enfim.

    Claro que ninguém irá dizer em público que perdeu dinheiro no imobiliário porque as más experiências tentam-se ocultar de toda a gente e são, regra geral, invisíveis.
    Mas que há muita gente que investiu em imobiliário e se deu mal, há. Muitos mesmo.
    Há dias vi um anúncio de um destes investidores que deixou um terreno amadurecer. Teve azar que o PDM mudou e o terreno deixou de ser urbanizável.
    Ficou ali com um mono que não serve para porcaria nenhuma.
    Esses e os que compram terrenos para construir sem perceberem se se pode construir ou não.
    Outros são os que embarcam em investimentos estilo resort que falham redondamente.
    Tantos e tantos casos de imóveis que em vez de darem dinheiro só dão prejuízo...
    Concordam com este comentário: Gambino, AMVP

  4.  # 4

    E quem tem imoveis em AL seus (eu tenho um AL mas o imovel é de um familiar) afectos a essa actividade, se precisar de os vender ainda tem probabilidades de ter pagar mais valias ao Estado pela venda por esse facto. Cuidado com o AL neste ponto!



    Colocado por: PoisÉAos pequenos investidores em imobiliário pode vir a acontecer o mesmo que está a acontecer a quem investiu cegamente no alojamento local.
    Há casos de traumas significativos. Pessoas que colocaram todos os ovos no mesmo cesto e que em desespero têm feito asneiras atrás de asneiras.
    Tal como no mercado de acções, o pânico só prejudica.
    Se estiverem alavancados, pior.

    Se houver queda de preços, os investidores em imobiliário vão ficar com menos valias significativas e depois quero ver para onde é que se vão virar para investir.
    Vão ser acumuladores de imóveis como muitos que para aí existem. Numa das mais caras zonas do país existem n imóveis completamente abandonados e sem qualquer tipo de utilização. Porquê? Porque não precisam do dinheiro e deixam andar.
    Conheço de perto um caso em que o imóvel esteve anos (>10) inacabado.
    Acabaram as obras há coisa de 3-4 anos.
    Continua desocupado e sem qualquer tipo de utilização.
    Isto numa zona onde imóveis semelhantes se vendem por milhões. Enfim.

    Claro que ninguém irá dizer em público que perdeu dinheiro no imobiliário porque as más experiências tentam-se ocultar de toda a gente e são, regra geral, invisíveis.
    Mas que há muita gente que investiu em imobiliário e se deu mal, há. Muitos mesmo.
    Há dias vi um anúncio de um destes investidores que deixou um terreno amadurecer. Teve azar que o PDM mudou e o terreno deixou de ser urbanizável.
    Ficou ali com um mono que não serve para porcaria nenhuma.
    Esses e os que compram terrenos para construir sem perceberem se se pode construir ou não.
    Outros são os que embarcam em investimentos estilo resort que falham redondamente.
    Tantos e tantos casos de imóveis que em vez de darem dinheiro só dão prejuízo...
    Concordam com este comentário: Gambino
    • NLuz
    • 27 Agosto 2020

     # 5

    Colocado por: carlosj39E quem tem imoveis em AL seus (eu tenho um AL mas o imovel é de um familiar) afectos a essa actividade, se precisar de os vender ainda tem probabilidades de ter pagar mais valias ao Estado pela venda por esse facto. Cuidado com o AL neste ponto!






    Se estiver a explorar como empresa isso não acontece...
    Tenho um Al em nome da minha mãe, em regime de comodato para a minha empresa que o explora.
    Se decidir vender o imóvel não tenho que pagar mais valias de AL 😉
    Concordam com este comentário: prcsc, Gambino
  5.  # 6

    O que estiver em cómodato não paga mais valias.

    Mas há mais... Se alocou um imóvel por "X" e agora o vender por menos, ou mesmo preço, também não paga mais valias.

    Por último, quem investiu em AL pode vender à vontade agora até abaixo do que comprou, porque o que ganhou em vários anos cobre perfeitamente a diferença. Eu por exemplo tenho vários imóveis que se quiser vender por menos 20%, 25%, ou mesmo 30% que comprei, nao perco nada, porque esses imóveis já renderam mais de 60% líquido do seu valor quando os adquiri!
  6.  # 7

    O meu Al tambem é do meu pai, fiz comodato e abri actividade de AL como empresario em nome individual. Se a casa fosse minha, e independentemente de abrir AL como empresario em nome individual ou empresa, se fosse vender o imovel, ou mesmo que não vendesse, decidisse fechar actividade,arriscava.me a pagar ao Estado mais valias.

    Tenho varios imoveis meus e não tenho nenhum em Al principalmente por este facto.


    Colocado por: NLuz


    Se estiver a explorar como empresa isso não acontece...
    Tenho um Al em nome da minha mãe, em regime de comodato para a minha empresa que o explora.
    Se decidir vender o imóvel não tenho que pagar mais valias de AL 😉
    Concordam com este comentário:prcsc,Gambino
    Concordam com este comentário: Gambino
  7.  # 8

    Colocado por: carlosj39O meu Al tambem é do meu pai, fiz comodato e abri actividade de AL como empresario em nome individual. Se a casa fosse minha, e independentemente de abrir AL como empresario em nome individual ou empresa, se fosse vender o imovel, ou mesmo que não vendesse, decidisse fechar actividade,arriscava.me a pagar ao Estado mais valias.

    Tenho varios imoveis meus e não tenho nenhum em Al principalmente por este facto.


    Concordam com este comentário:Gambino


    Se vender abaixo do valor com que alocou o imóvel não paga.


    Exemplo
    Aloca o imóvel por 100mil.
    Vende por 90mil.

    Paga zero.
    Concordam com este comentário: carlosj39
  8.  # 9

    Neste caso é obvio que há menos valias e não há nada a pagar.


    Agora se fosse ao contrario, se valesse 100 e quando iniciou o Al valesse 90 aí já pagaria boas mais valias. Não tenho nem a certeza como é que as finanças calculam estes valores , ja passei numa reparticao financas e os funcionarios tb não tinham certezas quanto a isto.


    Colocado por: Gambino

    Se vender abaixo do valor com que alocou o imóvel não paga.


    Exemplo
    Aloca o imóvel por 100mil.
    Vende por 90mil.

    Paga zero.
  9.  # 10

    • JoelM
    • 27 Agosto 2020 editado

     # 11

    Colocado por: GambinoUm sinal da tendência sem alteração.

    https://eco.sapo.pt/2020/08/27/avaliacao-das-casas-em-novo-maximo-esta-nos-1-127-euros-por-metro-quadrado/


    engraçado... o grafico dessa noticia mostra uma queda de quase 18% no pós crise de 2008... o gambino e o seu amigo juravam a pés juntos que não tinha sido mais de 7%... ou também vão dizer que fui eu que fiz este gráfico?
    Concordam com este comentário: prcsc
      InkedScreenshot_2020-08-27 Avaliação das casas em novo máximo Está nos 1 127 euros por metro quadrado_LI.jpg
  10.  # 12

    Colocado por: JoelM

    engraçado... o grafico dessa noticia mostra uma queda de quase 18% no pós crise de 2008... o gambino e o seu amigo juravam a pés juntos que não tinha sido mais de 7%... ou também vão dizer que fui eu que fiz este gráfico?
    Concordam com este comentário:prcsc
      InkedScreenshot_2020-08-27 Avaliação das casas em novo máximo Está nos 1 127 euros por metro quadrado_LI.jpg


    Não sou religioso, portanto mais uma mentira sua, pois não jurei. Quem falou de 7% foi outro utilizador, não fui eu. Eu não me apercebi de quedas em preços de imóveis habitacionais, em 2008, em Lisboa, isso confirmo e reitero.

    Isto que postei são avaliações dos bancos, não são as transacções efectivas. Dão um "cheirinho" da tendência (como mencionei), mas não chegam isoladamente para percepcionar o mercado e sua tendência. Todos sabemos que os bancos se defendem nas avaliações, principalmente durante as crises, isso contudo não implica que o imóvel não seja vendido por um valor superior - o banco é que quando faz essas avaliações não concorda com o preço e assim obriga o comprador a usar mais capital seu, fazer um credito pessoal, ou cancelar/alterar o negócio.
  11.  # 13

    Colocado por: Gambinoem Lisboa, isso confirmo e reitero.


    mas então a noticia que colocou, não se refere a lisboa também?



    Colocado por: GambinoDão um "cheirinho" da tendência (como mencionei), mas não chegam isoladamente para percepcionar o mercado e sua tendência.


    ahh passou de uma tendência a "um cheirinho da tendência"... estou a perceber... então afinal colocou aqui algo praticamente sem relevância para o assunto...
  12.  # 14

    Colocado por: JoelM

    mas então a noticia que colocou, não se refere a lisboa também?





    ahh passou de uma tendência a "um cheirinho da tendência"... estou a perceber... então afinal colocou aqui algo praticamente sem relevância para o assunto...



    Começaram as alegações da série "law & order", ou uma policial, com questiúnculas de palavras!
  13.  # 15

    Colocado por: JoelM

    mas então a noticia que colocou, não se refere a lisboa também?





    ahh passou de uma tendência a "um cheirinho da tendência"... estou a perceber... então afinal colocou aqui algo praticamente sem relevância para o assunto...


    Não vi qualquer queda generalizada de preços em Lisboa nos imóveis habitacionais em 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014 e não continuo por diante porque foi sempre igual até hoje.
  14. Ícone informação Anunciar aqui?

  15.  # 16

    JoelM: o user só está a afirmar que não se apercebeu :)
  16.  # 17

    Eh eh eh ó gambino se não viu queda nos preços em Lisboa entre 2010-2014 então deixe-me que lhe diga que precisa urgentemente de consultar um colega seu oftalmologista.

    Tenho uma casa de provincia onde tenho lá revistas em papel da era e da remax desses anos, de imoveis de Lx, quando lá for vou ver se as encontro para se ver as diferenças - nalguns casos brutais - de preço!

    Pode ser que algum comentador aqui as tenha á mão para se ver alguns exemplos disto mesmo.





    Colocado por: Gambino

    Não vi qualquer queda generalizada de preços em Lisboa nos imóveis habitacionais em 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014 e não continuo por diante porque foi sempre igual até hoje.
  17.  # 18

    Colocado por: carlosj39Eh eh eh ó gambino se não viu queda nos preços em Lisboa entre 2010-2014 então deixe-me que lhe diga que precisa urgentemente de consultar um colega seu oftalmologista.

    Tenho uma casa de provincia onde tenho lá revistas em papel da era e da remax desses anos, de imoveis de Lx, quando lá for vou ver se as encontro para se ver as diferenças - nalguns casos brutais - de preço!

    Pode ser que algum comentador aqui as tenha á mão para se ver alguns exemplos disto mesmo.







    Revistas da remax com reduções brutais?!... Jamais alguém viu tal!!!
    • JoelM
    • 27 Agosto 2020 editado

     # 19

    Colocado por: pguilhermeJoelM: o user só está a afirmar que não se apercebeu :)


    só se ou esteve em portugal mas com a "cabeça enfiada na areia", ou esteve fora do país durante esse periodo, caso contrario é impossivel não ter visto todas as noticias e informação relativas ao assunto na altura!



    Colocado por: carlosj39Eh eh eh ó gambino se não viu queda nos preços em Lisboa entre 2010-2014 então deixe-me que lhe diga que precisa urgentemente de consultar um colega seu oftalmologista.

    Tenho uma casa de provincia onde tenho lá revistas em papel da era e da remax desses anos, de imoveis de Lx, quando lá for vou ver se as encontro para se ver as diferenças - nalguns casos brutais - de preço!

    Pode ser que algum comentador aqui as tenha á mão para se ver alguns exemplos disto mesmo.







    não adianta, vão dizer que são martelados os numeros, seja anuncios, noticias, dados no INE, estudos sobre o tempo, etc!
  18.  # 20

    Redução brutal entre o preço de imoveis em 2013 e 2014 quando comparado com o preço desses mesmos imoveis hoje! Understood, ou tenho que lhe dizer o mesmo uma terceira vez


    Colocado por: Gambino

    Revistas da remax com reduções brutais?!... Jamais alguém viu tal!!!
data-ad-format="auto" data_ad_region="test">