Iniciar sessão ou registar-se
  1. Colocado por: HAL_9000Eu não tenho o prazer (?) de o conhecer, mas é um facto que me divirto com os seus posts. Quanto aos vícios que ele tem, não sei se os admite por aí além, a maior parte das vezes que apanho um post do Dr. Pearls é a queixar-se do trabalho exagerado que tem no SNS, aliado à falta de reconhecimento e de como ganha menos que o rapaz que lhe entrega as pizzas, ou a senhora que lhe passa as camisas :).

    Quanto à questão da falta de meios. O Dr. Pearls e o Dr. Gambino concorrem aì à administração (não directoria) de um Hospital, despedem meia dúzia de trastes encostados que trabalham no privado quando deviam estar no público. Com o que se poupa nos salários, começam a fazer investimentos em meios técnicos. Vai ver que em 10 anos ocupam uma posição qq bem paga no ministério da saúde, e todos os hospitais começam a replicar o vosso modelo.

    Alguém que fala sem papas na língua como o Dr. Gambino, e que não tem o sinismo inerente a muitos FP é pena se não tentar corrigir tosos os erros que foi enumerando.


    A dizer o que digo é fácil perceber que Jamais seria aceite ou eleito para um cargo de administração.

    Aliás, anticorpos que baste já eu tenho por causa das bocas que mando sobre a realidade que nos rodeia no SNS e sobre uma série de comportamentos esses sim medicamente ineticos (não é laboralmente, é mesmo medicamente).
  2. Colocado por: HAL_9000Eu não tenho o prazer (?) de o conhecer, mas é um facto que me divirto com os seus posts. Quanto aos vícios que ele tem, não sei se os admite por aí além, a maior parte das vezes que apanho um post do Dr. Pearls é a queixar-se do trabalho exagerado que tem no SNS, aliado à falta de reconhecimento e de como ganha menos que o rapaz que lhe entrega as pizzas, ou a senhora que lhe passa as camisas :).

    Quanto à questão da falta de meios. O Dr. Pearls e o Dr. Gambino concorrem aì à administração (não directoria) de um Hospital, despedem meia dúzia de trastes encostados que trabalham no privado quando deviam estar no público. Com o que se poupa nos salários, começam a fazer investimentos em meios técnicos. Vai ver que em 10 anos ocupam uma posição qq bem paga no ministério da saúde, e todos os hospitais começam a replicar o vosso modelo.

    Alguém que fala sem papas na língua como o Dr. Gambino, e que não tem o sinismo inerente a muitos FP é pena se não tentar corrigir tosos os erros que foi enumerando.


    O pérolas fez as suas escolhas e portanto trabalha muito pelas escolhas que fez... Que ficaram condicionadas por alguns vícios que tem. Mas não é o fim do mundo, gosta dos doentes e isso é raro actualmente.
  3. Colocado por: Gambino
    Mas os enfermeiros não são tão zelosos como pensa. Está enganado também nisso.

    Quase todos se mexem e acabam por fugir do SNS, emigrar, ou arranjar actividade em paralelo
    Acreditando no que me diz, tenho pelo menos dois amigos enfermeiros que penaram muito para entrar na Função pública e não pensam de todo abandonar. Obviamente que vão fazendo uma perninha ou outra no privado, mas muito residual, e tanto quanto sei, nunca em horário de trabalho.

    Médicos são médicos, enfermeiros são enfermeiros, ambos são funcionários do estado, recursos do estado, nisso são iguais. Não tenho nem mais nem menos respeito por um médico que por um enfermeiro. Continuo a manter, aumentando o numerus clausus para Medicina, muitos dos vícios próprios da profissão seriam resolvidos.

    Um aparte, tenho vários amigos médicos, e todos eles são irritantes para carago no que respeita à profissão. Apenas medicina tem valor, tudo o resto "ya, fixe, mas não é como medicina".Inclusive uma amiga minha, não sabia ao certo qual era a função do noivo na empresa onde ele trabalhava, imagine o quanto ela desconsiderava o que ele fazia. Esta parte o Dr. gambino nunca vai entender, porque sendo médico, esta na parte dos irritantes:). Talvez se tiver um amigo jogador da bola entenda o porque de por vezes falarmos no "complexo de Deus" e "nata das natas" é um je ne sais quoi que acompanha muitos elementos da sua classe profissional.
  4. Colocado por: HAL_9000Acreditando no que me diz, tenho pelo menos dois amigos enfermeiros que penaram muito para entrar na Função pública e não pensam de todo abandonar. Obviamente que vão fazendo uma perninha ou outra no privado, mas muito residual, e tanto quanto sei, nunca em horário de trabalho.

    Médicos são médicos, enfermeiros são enfermeiros, ambos são funcionários do estado, recursos do estado, nisso são iguais. Não tenho nem mais nem menos respeito por um médico que por um enfermeiro. Continuo a manter, aumentando o numerus clausus para Medicina, muitos dos vícios próprios da profissão seriam resolvidos.

    Um aparte, tenho vários amigos médicos, e todos eles são irritantes para carago no que respeita à profissão. Apenas medicina tem valor, tudo o resto "ya, fixe, mas não é como medicina".Inclusive uma amiga minha, não sabia ao certo qual era a função do noivo na empresa onde ele trabalhava, imagine o quanto ela desconsiderava o que ele fazia. Esta parte o Dr. gambino nunca vai entender, porque sendo médico, esta na parte dos irritantes:). Talvez se tiver um amigo jogador da bola entenda o porque de por vezes falarmos no "complexo de Deus" e "nata das natas" é umje ne sais quoique acompanha muitos elementos da sua classe profissional.


    Os enfermeiros assim que podem fogem do SNS. Infelizmente têm poucas oportunidades. Há muitos com hábitos muito maus e outros muito fracos, fracos por demais. Aí devo dizer que os enfermeiros vêm mais mal preparados que os internos.

    Há gente snob em muitas actividades. Generalizar isso na Medicina é um disparate.

    Como explica que as vagas tenham mais que duplicado em 20 anos e os vícios também?
  5. Colocado por: Gambino

    Enfermeiros são enfermeiros.

    Médicos são médicos.

    São diferenetes e isso ninguém pode nem mudar nem negar.

    Mas os enfermeiros não são tão zelosos como pensa. Está enganado também nisso.

    Quase todos se mexem e acabam por fugir do SNS, emigrar, ou arranjar actividade em paralelo (como delegados de info médica).

    Ai sim, na enfermagem é que os "carcaças" ficam, mesmo com vícios, sempre no mesmo local a ganhar raízes.

    Sim. Muitos enfermeiros tem um segundo emprego pelos baixos salários , mas diga-me se maioria está em dois lados ao mesmo tempo ... Nunca , mas nunca me deparei com tal situação !
    A questão não é ir à privada , desde que seja na sua folga.
    Concordam com este comentário: Anonimo1710
  6. Colocado por: enf.magalhaes
    Sim. Muitos enfermeiros tem um segundo emprego pelos baixos salários , mas diga-me se maioria está em dois lados ao mesmo tempo ... Nunca , mas nunca me deparei com tal situação !
    A questão não é ir à privada , desde que seja na sua folga.


    Os enfermeiros estao no hospital a vender material cirúrgico e a fazer enfermagem... Ok!...

    Eu não tenho culpa de não me darem folga, mas ter um horário cheio de vazios. Não o pedi. Nem eu, nem nenhum médico. Mas todos temos.
  7. Colocado por: Gambino

    A dizer o que digo é fácil perceber que Jamais seria aceite ou eleito para um cargo de administração.

    Aliás, anticorpos que baste já eu tenho por causa das bocas que mando sobre a realidade que nos rodeia no SNS e sobre uma série de comportamentos esses sim medicamente ineticos (não é laboralmente, é mesmo medicamente).


    É um crítico da ineficiência quando você próprio é um dos que contribui para a mesma
  8. Colocado por: enf.magalhaes

    É um crítico da ineficiência quando você próprio é um dos que contribui para a mesma


    Disparate.

    Eu estou disponível, o SNS é que não me dá os meios para exercer. Se me desse ia ou escolhia a privada só em definitivo. Nunca rejeitei um doente que fosse no SNS.

    Absurdo este tipo de comentário populista é demogogico.
  9. Colocado por: Gambino

    Os enfermeiros estao no hospital a vender material cirúrgico e a fazer enfermagem... Ok!...

    Os enfermeiros que conheço que são colaboradores de empresas de material cirúrgico , fazem isso nas suas folgas ...
  10. Colocado por: GambinoHá gente snob em muitas actividades. Generalizar isso na Medicina é um disparate.

    Como explica que as vagas tenham mais que duplicado em 20 anos e os vícios também?


    Sim é verdade não devia generalizar, mas em cada 10 médicos que conheci, 8 eram snobes para carago e os outros dois sendo gajos porreiros eram desprezados pelos pares. Contudo generalizar é um erro e por isso me penitencio.

    Quanto ao restante, só encontro uma explicação
    A vossa ordem tem demasiada influência junto do governo e tem uma força enorme junto da opinião pública. Ora se a ordem diz aos Jornais que o estado tem de contratar mais médicos, a opinião pública pede mais médicos. Como o partido no governo precisa de votos, pois, há que ir ao encontro da opinião pública. Não raras vezes se encontram artigos em jornais a falar dos baixos salários dos médicos, dos turnos sucessivos de 30 horas sem dormir, que o estado não reconhece devidamente o valor do médico enquanto profissional de saúde, etc, etc, etc.
    Aumentando a oferta de profissionais disponíveis, a força do lobi médico junto da opinião pública iria paulatinamente sendo reduzido.
  11. Colocado por: enf.magalhaes
    Os enfermeiros que conheço que são colaboradores de empresas de material cirúrgico , fazem isso nas suas folgas ...


    Ahahhahahahahahjanan

    Sem comentários.

    À apreciação de todos!

    As verdades vêm sempre à tona.

    Olhe os que tenho lá no meu bloco não estão de folga...
  12. Colocado por: HAL_9000

    Sim é verdade não devia generalizar, mas em cada 10 médicos que conheci, 8 eram snobes para carago e os outros dois sendo gajos porreiros eram desprezados pelos pares. Contudo generalizar é um erro e por isso me penitencio.

    Quanto ao restante, só encontro uma explicação
    A vossa ordem tem demasiada influência junto do governo e tem uma força enorme junto da opinião pública. Ora se a ordem diz aos Jornais que o estado tem de contratar mais médicos, a opinião pública pede mais médicos. Como o partido no governo precisa de votos, pois, há que ir ao encontro da opinião pública. Não raras vezes se encontram artigos em jornais a falar dos baixos salários dos médicos, dos turnos sucessivos de 30 horas sem dormir, que o estado não reconhece devidamente o valor do médico enquanto profissional de saúde, etc, etc, etc.
    Aumentando a oferta de profissionais disponíveis, a força do lobi médico junto da opinião pública iria paulatinamente sendo reduzido.


    A ordem quer é mais gente a pagar os 300 e tal euros por ano que se paga para se estar obrigatoriamente inscrito nela!
  13. Colocado por: Gambino

    Disparate.

    Eu estou disponível, o SNS é que não me dá os meios para exercer. Se me desse ia ou escolhia a privada só em definitivo. Nunca rejeitei um doente que fosse no SNS.

    Absurdo este tipo de comentário populista é demogogico.

    Está disponível ?
    Não consigo perceber como ainda acha que tem razão ....
  14. Colocado por: Gambino

    Ahahhahahahahahjanan

    Sem comentários.

    À apreciação de todos!

    As verdades vêm sempre à tona.

    Olhe os que tenho lá no meu bloco não estão de folga...

    Em que antro você trabalha ?
  15. Colocado por: GambinoSe me desse ia ou escolhia a privada só em definitivo.
    Já afirmou antes que não precisa do público. Porque não escolhe a privada de vez?
  16. Colocado por: enf.magalhaes
    Está disponível ?
    Não consigo perceber como ainda acha que tem razão ....


    Claro!

    Acha que se tivesse que fazer ia embora do hospital. Meta na cabeça, não tenho.
  17. Colocado por: HAL_9000Já afirmou antes que não precisa do público. Porque não escolhe a privada de vez?


    No privado o dinheiro é bom, o resto é fraco, meios, pessoal de apoio, enfermeiros, gestão, administrativas,tudo. É mera fachada, só marketing.

    Além disso há patologias graves da minha especialidade que não se opera no privado. E eu gosto de fazê-las, são as que eu gosto mesmo de fazer e são as graves. As do privado não são fatais, nem desafiantes, são só por dinheiro.
  18. Colocado por: GambinoA ordem quer é mais gente a pagar os 300 e tal euros por ano que se paga para se estar obrigatoriamente inscrito nela!
    Não Gambino propriamente. A ordem quer os 300 e tal euros sim, mas quem toma decisões na ordem são médicos e interessa muito mais à ordem manter o "estatuto" de que medicina goza junto da sociedade. Pois é esse estatuto que traz o "dinheiro a valer".

    Aliás para manter esse estatuto nem conseguem punir os médicos que fazem erros grosseiros por serem decididamente incompetentes. Como se sabe um médico incompetente é algo que não existe. Nuca há mortes por erros ou negligência médica, o médico do "bebé sem rosto" tinha 5 ou 6 queixas na ordem mas não era incompetente e por isso nunca foi suspenso. As queixas é que eram mal intencionadas.
  19. Colocado por: Gambino

    No privado o dinheiro é bom, o resto é fraco, meios, pessoal de apoio, enfermeiros, gestão, administrativas,tudo. É mera fachada, só marketing.

    Além disso há patologias graves da minha especialidade que não se opera no privado. E eu gosto de fazê-las, são as que eu gosto mesmo de fazer e são as graves. As do privado não são fatais, nem desafiantes, são só por dinheiro.

    Nisto tenho de concordar .
  20. Colocado por: HAL_9000Não Gambino propriamente. A ordem quer os 300 e tal euros sim, mas quem toma decisões na ordem são médicos e interessa muito mais à ordem manter o "estatuto" de que medicina goza junto da sociedade. Pois é esse estatuto que traz o "dinheiro a valer".

    Aliás para manter esse estatuto nem conseguem punir os médicos que fazem erros grosseiros por serem decididamente incompetentes. Como se sabe um médico incompetente é algo que não existe. Nuca há mortes por erros ou negligência médica, o médico do "bebé sem rosto" tinha 5 ou 6 queixas na ordem mas não era incompetente e por isso nunca foi suspenso. As queixas é que eram mal intencionadas.


    Mais uma vez fala sem conhecer os pormenores...

    Tem havido muitos processos mas a ordem tinha um bom advogado que negociava acordos quando as coisas estavam mal para o médico. Eu conheci-o, reformou-se, nunca perdeu um caso! Quando estava para perder fazia acordo e não ia para julgamento nem processo.
 
0.7322 seg. NEW