Iniciar sessão ou registar-se
    • AMVP
    • 2 setembro 2022 editado

     # 141

    Colocado por: Reduto25


    Conheço muitos que não voltaram aperceberam se que estavam a perder a vida que lhes passava a frente e deixaram de se submeter a certa e determinadas condições isto não acontece só em Portugal e curiosamente acontece em sectores que pagam mal e não proporcionam condições aos seus trabalhadores

    Pelos vistos ganha-se mal em todos os setores, nao ha pessoas para area nenhuma.
    • AMVP
    • 2 setembro 2022

     # 142

    Colocado por: AMVPQuanto aos trabalhadores, o meu irmao ligou-me hoje e disse-me Isto, relativamente a Paris :"esta tudo bem mas.. Nao ha mostarda, nao ha oleo, azeite ou bolhachas. Nao ha trabalhadores para a construcao civil, para a restauracao, para a recolha do lixo, nao ha professores nem educadores, qualquer um pode ser professor pq as aulas estao a comecar e nao ha professores suficientes, mas esta tudo bem, nao ha problema nenhum".
    Estes parecem ser os mesmos problemas que ouvimos aqui pelo burgo.
    Sera que se sentam la na UE e escrevem estes discursos?
    Concordam com este comentário:N Miguel Oliveira

    Ah, é la como ca tb ja faltam trabalhadores nas financas. Sei que vao dizer que nao fazem falta, que ainda bem mas na verdade todos sabemos que sem esta parte o resto ainda fica pior.
    Acrescento, que o recrutamento para a administracao publica ja é e vai - se tornar um grande problema nos proximos anos. Sim, eu sei, nao sao necessarios, sao demais vivem a contar, etc, etc. Mas mais uma vez todos sabemos que sem uma administracao publica a funcionar o pais tb nao funciona. Ha anos atras o estado ia conseguindo contratar pessoas com formacao solida, agora é cada vez mais dificil, para nao dizer impossivel. Sim, o numero de funcionarios esta a aumentar mas... Ja foram ver em que setores? Profissoes? E por fim em qual formacao de base?
    Por exemplo, olhem para as medias de entrada das melhores universidades de economia /gestao, para o preco dos mestrados das mesmas e depois reflitam se esses jovens vao para a administracao publica. Se esses nao vao, la irao outros de outras faculdades, mas baixa-se o nivel. Ou... Irao de outra formacao base, direito por exemplo, tal como tem vindo a acontecer. Se o estado pode recorrer ao privado para, por exemplo, a arrecadacao de impostos? Pode, as experiencias de outros foram mas, mas pode sim. Mas ai ainda deveria ter melhores recursos para controlar a atividade privada, visto que deixa de ter controlo direito sobre a execucao operational. Tudo Isto nos conduzira a uma situacao cada vez pior.
  1.  # 143

    Colocado por: N Miguel OliveiraEntão agora o ideal é trabalhar para não ter lucro?
    Óbvio que não. O objetivo da empresa tem de ser o lucro. O questionável é se o aumento de lucro é ás custas da exploração da mão de obra. Se os funcionários receberem como prémio uma percentagem acordada do lucro produzido, e o salário base não for 2.5 eur/hora + dormida no contentor, nada a dizer.
  2.  # 144

    Colocado por: HAL_9000Por acaso leu algum post meu a dizer isso? O que eu posso defender é determinados critérios para conceder vistos de trabalho/residência.
    É a este tipo de coisas que me refiro:

    https://eco.sapo.pt/2022/09/01/cidadaos-da-cplp-ficam-dispensados-de-comprovar-meios-de-subsistencia-e-ter-seguro-de-viagem-para-visto/

    O que impede que venham cá tão somente para fazer tratamentos médicos? por exemplo...
    • smart
    • 2 setembro 2022 editado

     # 145

    Colocado por: AMVP
    Ah, é la como ca tb ja faltam trabalhadores nas financas. Sei que vao dizer que nao fazem falta, que ainda bem mas na verdade todos sabemos que sem esta parte o resto ainda fica pior.
    Acrescento, que o recrutamento para a administracao publica ja é e vai - se tornar um grande problema nos proximos anos. Sim, eu sei, nao sao necessarios, sao demais vivem a contar, etc, etc. Mas mais uma vez todos sabemos que sem uma administracao publica a funcionar o pais tb nao funciona. Ha anos atras o estado ia conseguindo contratar pessoas com formacao solida, agora é cada vez mais dificil, para nao dizer impossivel. Sim, o numero de funcionarios esta a aumentar mas... Ja foram ver em que setores? Profissoes? E por fim em qual formacao de base?
    Por exemplo, olhem para as medias de entrada das melhores universidades de economia /gestao, para o preco dos mestrados das mesmas e depois reflitam se esses jovens vao para a administracao publica. Se esses nao vao, la irao outros de outras faculdades, mas baixa-se o nivel. Ou... Irao de outra formacao base, direito por exemplo, tal como tem vindo a acontecer. Se o estado pode recorrer ao privado para, por exemplo, a arrecadacao de impostos? Pode, as experiencias de outros foram mas, mas pode sim. Mas ai ainda deveria ter melhores recursos para controlar a atividade privada, visto que deixa de ter controlo direito sobre a execucao operational. Tudo Isto nos conduzira a uma situacao cada vez pior.

    hum
    temo que essas carências serão resolvidas facilmente.
    já acontece em outros paises
    e cá já se tocou no assunto.
    falta de militares e agentes da PSP, GNR e outros serviços das mais variados sectores?
    nos concursos admite-se outras nacionalidades nomeadamente PALOP !
    duvidam que é este o caminho?
    https://www.dn.pt/sociedade/servico-militar-generais-admitem-recrutamento-de-estrangeiros-14881852.html
    confrontem os registos de nascimento, envelhecimento emigração e imigração e daqui a 5 anos, consultem a morfologia do país

    https://agoraeuropa.com/portugal/portugal-recebe-quase-3-mil-brasileiros-por-dia-em-junho/

    https://eco.sapo.pt/2022/09/01/cidadaos-da-cplp-ficam-dispensados-de-comprovar-meios-de-subsistencia-e-ter-seguro-de-viagem-para-visto/
    e surpreendam-se...
    • AMVP
    • 2 setembro 2022

     # 146

    Colocado por: smarttemo que essas carências serão resolvidas facilmente.

    Ainda bem que é de facil resolucao, haja alguma coisa que seja facil.
  3.  # 147

    Colocado por: smartnos concursos admite-se outras nacionalidades nomeadamente PALOP !
    Entretanto as baixas qualificações da nossa mão de obra, que tem atrasado a produtividade do país, vai também ficar resolvida :).
    • AMVP
    • 2 setembro 2022

     # 148

    Uma coisa me deixa mais descansada, na parte que me diz respeito so me faltam para ai cerca de 4 anos para a formacao do meu filho se encontrar concluida. Depois disso, tem um mundo para optar. É o que mais me descansa.
  4.  # 149

    Colocado por: HAL_9000Entretanto as baixas qualificações da nossa mão de obra, que tem atrasado a produtividade do país, vai também ficar resolvida :).

    hum
    bem verdade
    lol
  5.  # 150

    Colocado por: AMVPDepois disso, tem um mundo para optar. É o que mais me descansa.
    E você passa a vê-lo 2-3 vezes por ano. Só acho triste um país como o nosso não ter nada de jeito para oferecer aos nossos jovens que são talentosos e saem da faculdade, do técnico, da escola profissional com ganas de mostrarem o que valem.
    Concordam com este comentário: Bztracens
    • AMVP
    • 2 setembro 2022

     # 151

    Colocado por: HAL_9000E você passa a vê-lo 2-3 vezes por ano. Só acho triste um país como o nosso não ter nada de jeito para oferecer aos nossos jovens que são talentosos e saem da faculdade, do técnico, da escola profissional com ganas de mostrarem o que valem.

    Sei bem o que isso é, somos todos migrantes na minha familia, poucos migraram para Lisboa e muitos para franca. O que me acontece a mim ou o que sinto é problema meu. O que quero, é fiz de tudo na educacao e formacao para tal, é que ele va para um pais em que tenha oportunidades, ate mesmo de se realizar, simples.
    Quanto ao ser aluno do tecnico, esse risco nao ha ele nem quis concorrer para la. :)
  6.  # 152

    Colocado por: AMVPO que me acontece a mim ou o que sinto é problema meu.
    Certo, nem eu quis aludir ao que você ia ou não sentir, apenas pretendi referir que a falta de oportunidades que temos cria distanciamento. Um país como o nosso, tinha tudo para dar oportunidades a toda gente se fosse bem gerido.

    Olhe eu dou pessoa de ter sempre a casa cheia de família e amigos, e sinceramente não gostei da experiência de emigrante precisamente por faltar essa componente (ainda que financeiramente tenha sido muito recompensador). Acho que essencialmente deveríamos emigrar por opção, e não por necessidade.

    Colocado por: AMVPQuanto ao ser aluno do tecnico, esse risco nao ha ele nem quis concorrer para la. :)
    Uma vez mais, não falava do seu filho em específico, mas dos filhos de Portugal.
    • AMVP
    • 2 setembro 2022

     # 153

    Colocado por: HAL_9000Certo, nem eu quis aludir ao que você ia ou não sentir, apenas pretendi referir que a falta de oportunidades que temos cria distanciamento. Um país como o nosso, tinha tudo para dar oportunidades a toda gente se fosse bem gerido.

    Olhe eu dou pessoa de ter sempre a casa cheia de família e amigos, e sinceramente não gostei da experiência de emigrante precisamente por faltar essa componente (ainda que financeiramente tenha sido muito recompensador). Acho que essencialmente deveríamos emigrar por opção, e não por necessidade.

    Uma vez mais, não falava do seu filho em específico, mas dos filhos de Portugal.

    Percebo, mas respondeu ao meu comentario e tb so referiu o tecnico, das outras instituicoes podem ir todos?
    Tb foi a mim que me alertou que so o veria 2-3 vezes por ano, por isso lhe respondi que sabia disso mt bem.
    Quanto a saudade da familia, se isso for relevante para ele tb me posso mudar, sou pequena caibo em qualquer lugar e nao me incomodo com isso.
    Quanto ao pais ter condicoes, nao concordo consigo. Nos estamos numa ponta da europa, ao virarmo-nos para a europa estaremos sempre na ponta, longe de tudo, nada a fazer. Por alguma razao nos aventuramos na epopeia dos descobrimentos. Mas como descobrimos a europa e os fundos comunitarios aqui estamos nos na ponta, mas desde que ainda tenhamos formacao a funcior e transportes continuamos a exportar Mao de obra. A formacao é que suspeito que nao durara mt mais tempo, mas la esrarei errada mais uma vez.
  7.  # 154

    Colocado por: AMVPTb foi a mim que me alertou que so o veria 2-3 vezes por ano, por isso lhe respondi que sabia disso mt bem.
    Sim respondi-lhe a si, mas falava no geral. Porque é o que acontece em muitas famílias.

    Colocado por: AMVPtecnico,
    you missed the point. Ensino superior, Ensino técnico, Colocado por: AMVPNos estamos numa ponta da europa, ao virarmo-nos para a europa estaremos sempre na ponta,
    ??? Não percebo a sua lógica. A espanha, a Suécia, noruega, tb não estão na ponta da Europa? UK até está isolado la no meio do mar.
    Temos todas as condições de clima, estratégias, geográficas, temos mar que nunca mais acaba, temos tudo para ser bem sucedidos, a única coisa que não temos são as pessoas capazes de por esta país a andar para a frente. Preferem estar demão estendia a pedir fundos europeus e a multiplicar pobres cá pelo Burgo.

    Colocado por: AMVPA formacao é que suspeito que nao durara mt mais tempo, mas la esrarei errada mais uma vez.
    Se continuarmos a exportar todo o talento que formamos, concordo que não dura muito mais tempo. Em vez de crescermos economicamente estamos a estagnados há 20 anos e o ensino está-se a ressentir a olhos vistos. Há 20 anos atrás ninguém precisava de explicações, e havia muita gente com média de 18, 19. Agora já existem aulas de acompanhamento ao estudo na primeira classe- diz muito da qualidade das aulas.

    Assim que os boomers se começarem a reformar em força, isto vai ficar bonito. Ás tantas ainda tenho e emigrar depois dos 40.
  8.  # 155

  9.  # 156

  10.  # 157

    Todos querem ser Portugueses, menos nós

    não conheço nenhum espanhol que queira ser portugues
    Concordam com este comentário: Bztracens
  11.  # 158

    Colocado por: HAL_9000E você passa a vê-lo 2-3 vezes por ano. Só acho triste um país como o nosso


    Deixe a tristeza de lado, e siga em frente.
    Quanto à familía, pois já eu acho que vejo mais familiares quando ando emigrado que quando estou em Portugal a viver, perto deles.

    Nem todos gostam de emigrar, se não gostou há que respeitar. Mas já pensou que nem toda a gente vai para fora contrariado? Simplesmente quer mais conforto daquele que tem, e prefere sair que montar negócio ou esperar que as coisas mudem. E se andamos a formar gente, a dar-lhes idiomas, é para que aventurarem também, que aprendam de economias mais avançadas da nossa, e que caso queiram tragam algum know-how para casa.
    O Portugal dos descobrimentos é dos que partiram, não é dos que ficaram.
  12.  # 159

    Colocado por: N Miguel Oliveira


    O Portugal dos descobrimentos é dos que partiram, não é dos que ficaram.


    Ou seja o problema já e antigo
  13.  # 160

    Colocado por: N Miguel OliveiraMas já pensou que nem toda a gente vai para fora contrariado? Simplesmente quer mais conforto daquele que tem,
    Então sai contraiado. Sai porque cá não tem esse conforto, nem perspetivas, nem horizonte. Tenho muitos familiares e amigos emigrantes, e a grande maioria só emigrou porque aqui não conseguia sair da rotina "trabalhar para pagar contas".

    Colocado por: N Miguel OliveiraE se andamos a formar gente, a dar-lhes idiomas, é para que aventurarem também,
    Em termos de estratégia nacional, é uma boa política. Imagino que a Alemanha é a economia mais pujante da europa porque andou "a formar gente, a dar-lhes idiomas, é para que aventurarem também".


    Colocado por: N Miguel Oliveiraaprendam de economias mais avançadas da nossa, e que caso queiram tragam algum know-how para casa.
    "Acha mesmo que a maioria dos que emigram algum dia querem voltar a por os pés neste pardieiro?" Eu próprio só voltei porque fui sozinho, se a esposa tivesse ido comigo, ás tantas por lá ficava.
    Aos que voltam sim, podem trazer um bom know how. Infelizmente são poucos, muito poucos e voltam apenas quando têm perspectivas de uma carreira aceitável.


    Colocado por: N Miguel OliveiraO Portugal dos descobrimentos é dos que partiram, não é dos que ficaram
    Suponho que quem pagou as primeiras expedições foram precisamente os que ficaram. Depois até acabou por compensar. Mas já não andamos a tentar fazer impérios e o mundo agora é global, os que saem agora já raramente mandam divizas para o pais de origem. Preferem criar riqueza no país que os aceita.
 
0.0396 seg. NEW