Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 101

    Colocado por: ml21Deixe ver se percebi, uma casa que em 2012 se vendeu por 200 agora espera que se venha a vender por 150?
    Percebeu mal, o que o PoisÉ disse é que o preço ideal seria o meio termo entre os 200 (2012) e os 300 (agora) = 250.
    • ml21
    • 23 junho 2020

     # 102

    Não tinha lido a parte da "diferença", assim já acredito mais, mas mesmo assim acho difícil, acredito mais nessa previsão mas numa situação de anúncio a 300 e venda a 250.
  2.  # 103

    Colocado por: Vítor MagalhãesEsta casa está à venda há pelo menos 2 anos. O valor pedido era 125K. O preço subiu para 140K há cerca de 2 meses. As fotos ainda são as mesmas. Dá para entender isto?

    https://www.idealista.pt/imovel/30437006/
    A Carviçais só vai alguém para ir á posta do "Artur". O dono da moradia bem pode continuar sentado...
  3.  # 104

    Colocado por: A. MadeiraA Carviçais só vai alguém para ir á posta do "Artur". O dono da moradia bem pode continuar sentado...


    Por um lado tem razão, é mais um exemplo da desertificação do interior profundo, aliás, a população triplica no mês de agosto.



    Contudo eu acredito que aquela zona vai começar a mexer e os números vão inverter-se. Na minha opinião não leva muito tempo a que se dê inicio a um "Exodo urbano" obviamente a uma microescala. C
  4.  # 105

    Segundo a sua previsão, teríamos:

    https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_destaques&DESTAQUESdest_boui=415206579&DESTAQUEStema=55534&DESTAQUESmodo=2

    Pior valor entre 2011 e 2014: índice de 92,25 (Q2 de 2013)
    Índice Q1 de 2020: 151.23

    Baixa de 50% do delta resultaria em 121.74, ou seja, uma baixa de 19,5% dos valores actuais.
    Embora seja uma previsão bastante pessimista, está longe do que o autor do tópico procura.

    E claro, convenientemente omisso é o prazo. O que são os "próximos tempos"? 1 mês, 1 ano, 1 década?

    Seria interessante elaborar um pouco o racional por trás da previsão, contudo.
  5.  # 106

    Pessoal, eu simplesmente queria comprar efectivamente mais barato e tenho a informar que nem por sombras consegui! Ninguém baixa preço nenhum para valores aceitáveis, ninguém! Nem contra-proposta fazem, pura e simplesmente deixam logo de quere continuar a conversa.

    Não estão minimamente à rasca, nem perto disso, pois não hesitam 1segundo que seja.
  6.  # 107

    Colocado por: pguilhermeSeria interessante elaborar um pouco o racional por trás da previsão, contudo.

    Sou discípulo do multiplicador do Centeno - funciono à base do olhómetro e adapto a realidade aos números e não o contrário. :D

    Prazo? Sei lá homem.
    O que sei é que dos meus emails de notificações do idealista, metade são a avisar de baixas de preços.
    Tudo bem que é tudo de lixo radioactivo que nem com um fato protector eu tocava mas, também sou um bocado pró esquejito, veja lá que eu acho que 90% a 95% dos imóveis portugueses estavam bem era debaixo de uma retroescavadora.

    Tudo depende da evolução da doença e eu não sou a Maya, sou o PoisÉ.

    Na volta, não desce nada e aumenta tudo uns 25% porque o pessoal com o medo de morrer quer é morrer numa boa casa.
  7.  # 108

    Colocado por: GambinoPessoal, eu simplesmente queria comprar efectivamente mais barato e tenho a informar que nem por sombras consegui! Ninguém baixa preço nenhum para valores aceitáveis, ninguém! Nem contra-proposta fazem, pura e simplesmente deixam logo de quere continuar a conversa.

    Não estão minimamente à rasca, nem perto disso, pois não hesitam 1segundo que seja.

    Pois não... devem receber umas quinhentas chamadas por dia a perguntar o mesmo... entre os abutres e os mediadores imobiliários a fazer angariações, coitados, deve parecer que trabalham na Teleperfomance.
  8.  # 109

    Colocado por: GambinoNinguém baixa preço nenhum para valores aceitáveis, ninguém!

    Os valores pedidos até podem ser aceitáveis, não sabemos.

    Colocado por: GambinoNem contra-proposta fazem, pura e simplesmente deixam logo de quere continuar a conversa.

    As suas propostas é que não foram entendidas como aceitáveis por nenhum dos proprietários. Isso sim, parece ser um facto. Deve usar essa informação como indicador correctivo da sua abordagem.
    Concordam com este comentário: desofiapedro, imo
  9.  # 110

    Colocado por: PoisÉO que sei é que dos meus emails de notificações do idealista, metade são a avisar de baixas de preços.

    Se um dia vir numa campanha AUMENTO de preços, é que é de estranhar. As mensagens do idealista são marketing.

    Colocado por: PoisÉTudo depende da evolução da doença e eu não sou a Maya, sou o PoisÉ.
    Na volta, não desce nada e aumenta tudo uns 25% porque o pessoal com o medo de morrer quer é morrer numa boa casa.

    Assim não vale. Acabar por dizer que afinal a previsão tanto dá para uma descida vertiginosa como para uma subida, é anti climático!
  10.  # 111

    Colocado por: PoisÉ
    Pois não... devem receber umas quinhentas chamadas por dia a perguntar o mesmo... entre os abutres e os mediadores imobiliários a fazer angariações, coitados, deve parecer que trabalham na Teleperfomance.


    Amigo, com vários falei pessoalmente pois o mediador é meu amigo de infancia. E ele é que anda a intermediar.
    • eu
    • 23 junho 2020

     # 112

    Colocado por: PoisÉNa volta, não desce nada e aumenta tudo uns 25% porque o pessoal com o medo de morrer quer é morrer numa boa casa.

    Vários conhecidos ligados ao comércio têm-me dito que na última semana têm tido recordes de vendas: parece que as pessoas estão com uma inusitada vontade consumista .
  11.  # 113

    Colocado por: Vítor MagalhãesPor um lado tem razão, é mais um exemplo da desertificação do interior profundo, aliás, a população triplica no mês de agosto.
    Infelizmente o despovoamento é por todo o pais, mas com maior incidencia no interior, Conheço mais ou menos a região, todos os anos vou lá. Sim, em Agosto as aldeias e vilas têm mais vida, mas depois, vão embora os emigrantes e volta o silêncio. Essa é a triste realidade. Fosse essa casa noutro local mais para o litoral e era vendida em pouco tempo.
    Concordam com este comentário: Vítor Magalhães
  12.  # 114

    Tenho ido a restaurantes que antes da pandemia estavam cheios e só por marcação, no Guincho média 50€ por cabeça, numa sexta feira jantar, era a minha mesa mais três, este domingo fiz reserva para restaurante que vou regularmente média 25€ por cabeça, estava a minha mesa mais duas, mesmo os restaurantes 50% da capacidade ficam aquém dessa lotação, almoço em restaurantes durante a semana, não vejo praticamente nenhum cheio(50% capacidade).

    Restaurantes baratos, fastfood, lojas Primark,Zara etc., de facto têm mais gente.

    Mesmo farmácias que estão nunca fecharam, mas a faturação baixou pelo número de clientes e pelo volume de compras, basicamente vão aviar receitas, dermocosmética e outros produtos tiveram uma grande redução(malta na encolha).

    Portanto no dia a dia, não vejo essa normalidade na economia que tantos apregoam.
  13.  # 115

    Colocado por: VarejoteTenho ido a restaurantes que antes da pandemia estavam cheios e só por marcação, no Guincho média 50€ por cabeça, numa sexta feira jantar, era a minha mesa mais três, este domingo fiz reserva para restaurante que vou regularmente média 25€ por cabeça, estava a minha mesa mais duas, mesmo os restaurantes 50% da capacidade ficam aquém dessa lotação, almoço em restaurantes durante a semana, não vejo praticamente nenhum cheio(50% capacidade).

    Restaurantes baratos, fastfood, lojas Primark,Zara etc., de facto têm mais gente.

    Mesmo farmácias que estão nunca fecharam, mas a faturação baixou pelo número de clientes e pelo volume de compras, basicamente vão aviar receitas, dermocosmética e outros produtos tiveram uma grande redução(malta na encolha).

    Portanto no dia a dia, não vejo essa normalidade na economia que tantos apregoam.


    Pois nem eu!

    Mas os restaurantes que fala baixaram os preços e as farmácias baixaram os preços dos medicamentos??
  14.  # 116

    Não sei se estão a brincar....

    Obviamente que as pessoas não estão a ir aos restaurantes e lojas presenciais, não devidos aos preços elevados ou falta de procura, mas devido à pandemia!
    Baixar os preços não traria mais clientes! Ou seja, esta baixa de rendimentos desses estabelecimentos, embora possam ser críticos para os mesmos, não representa *já* uma baixa de mercado.

    Essa dos medicamentos então... lol.

    Vejam, por exemplo, o aumento de preços de alimentos e mercearias que, salvo erro, têm subido de forma mensurável. Grande procura e pouca gente nas lojas físicas...

    Depois também há o facto psicológico do confinamento...
    Concordam com este comentário: eu
    • AMVP
    • 24 junho 2020

     # 117

    Eu pela minha parte não insisto mais no assunto da descida apenas saliento que hoje aqui na minha zona já vi 2 imóveis colocados à venda por menos 8 e 16% dos últimos colocados à venda, para prédios iguais e da mesma tipologia. Não é muito? Não. Ainda estão caros? Estão. É um refletir de uma tendência? Sim.
    • AMVP
    • 24 junho 2020

     # 118

    Só para acrescentar que não são casas para ficarem anos à venda, têm cerca de 20 anos e sim a zona tem procura, tem população, etc, etc.
  15.  # 119

    Colocado por: AMVPÉ um refletir de uma tendência? Sim.


    2 casos fazem uma tendência? Claro que não.
    Se já existir uma tendência de baixa (muitos outros imóveis a baixar), então podem ser um reflexo. Assim, são só 2 casos a vulso.

    Nas plataformas mais conhecidas, há forma de filtrar pelas "maiores baixas" de preços.
    Mas costumam ver anunciados aumentos de preços? Ou forma fácil de consultar?

    Mas consegue-se ter uma ideia do nº de imóveis que baixaram e comprar com o nº de imóveis que mantiveram o preço. Como está essa métrica?
    • AMVP
    • 24 junho 2020

     # 120

    Colocado por: pguilherme

    2 casos fazem uma tendência? Claro que não.
    Se já existir uma tendência de baixa (muitos outros imóveis a baixar), então podem ser um reflexo. Assim, são só 2 casos a vulso.

    Nas plataformas mais conhecidas, há forma de filtrar pelas "maiores baixas" de preços.
    Mas costumam ver anunciados aumentos de preços? Ou forma fácil de consultar?

    Mas consegue-se ter uma ideia do nº de imóveis que baixaram e comprar com o nº de imóveis que mantiveram o preço. Como está essa métrica?


    Acredito que sim, mas é lá consigo. Sabe quantos casos há à venda na zona? Quantos aparece por regra à venda? 2 casos até podem ser 100%.
 
2.9346 seg. NEW