Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 121

    Colocado por: Joao DiasBasicamente é isto.
    Mas assim não está a ganhar dinheiro com a inflação? é isto que me faz confusão.

    Não precisa responder uma vez que não está sobre anonimato no fórum. E admito que exista um conjunto de variáveis que eu não esteja a considerar. Mas parece-me claro que mantendo margens percentuais, se ganhe dinheiro com o aumento do preço base.
  2.  # 122

    Colocado por: ADROatelierSalienta -se, no período em questão e a título de exemplo, que o aço em varão e perfilados aumentou 41,7 %, a chapa de aço macio, 44,0 %, o fio de cobre revestido, 38,5 %, betumes a granel, 61,2 %, derivados de madeira, 65,2 %, vidro, 28,1 %, e tubo de PVC, 71,3 %.
    Mas...mas...a inflação é de 8% dizem eles...
  3.  # 123

    Colocado por: Joao Diasa maioria das pessoas que constroem casa, não o fazem com a perspectiva de uma futura venda mas sim como lar e habitação para o resto da vida.

    Então o valor do lar tem uma componente emocional, afectiva. É aí onde os DO são apanhados. Tantas vezes compram fora de pé, meramente por razões do género.
    São livres de o fazer, claro, mas que é financeiramente saudável, não é.

    Colocado por: Joao DiasPorque raio é que se chamou o “prejuizo” á conversa. Como se mede o prejuizo?

    É o que se chama ao que o user descreveu: a diferença entre o custo total da construção do imóvel e o que o mercado está disposto a pagar.
    Lá por uma pessoa gostar muito de algo, não quer dizer que seja valiosa no geral.

    Colocado por: Joao DiasCurioso é pensar que aquela casa, com aquele terreno, em Cascais por exemplo, seria vendida seguramente acima dos 15M e em muito pouco tempo.
    Ai os DO já seriam ums magos da finança…

    Se gasta 4M e vende por 15M, é um negócio formidável. Qual a dúvida? Constrói ao lado ou até, quem sabe, muda de zona para desenjoar.
    Há para quem as casas não tenham um valor emocional ou de identidade assim tão grande. Qual o problema?
    Pior é empatar 4M€ e não rentabilizar (falo de forma genérica e não me estou a referir à zona de Loures)
  4.  # 124

    Colocado por: Joao DiasMinimos históricos porque não há para vender. Não é por não haver quem queira comprar!!

    Só que deveria ser o oposto. Se há pouco, como é que pode estar barato?

    O que acontece quando há muita procura e pouca oferta?
    Concordam com este comentário: Palmix
  5.  # 125

    Colocado por: HAL_9000Não precisa responder uma vez que não está sobre anonimato no fórum. E admito que exista um conjunto de variáveis que eu não esteja a considerar. Mas parece-me claro que mantendo margens percentuais, se ganhe dinheiro com o aumento do preço base.

    E para agravar, podemos reduzir significativamente os custos de mercadorias e matérias (que supostamente seriam a causa dos aumentos) e duplicar o lucro, mesmo a custo de uma ligeira quebra de volume de vendas ;)

    De facto existem imensas estratégias e variáveis...
  6.  # 126

    Cada um deve definir o que pode pagar e a qualidade compatível com tal. Depois é fazer o trabalhinho de casa, ter tudo especificado e pedir preços, estudar alternativas...

    Vou dar alguns exemplos:

    - tinha um orçamento de caixilharia de 2020 de 10k, agora já pediam 20k... fui ao mercado, a mesma coisa 11k. Até prefiro este instalador, tem curso de passive House.

    - pedi um orçamento de porta, 4,5k. Passei no blog da casa dos catitos, vi que a porta era parecida com a que pretendo, pedi orçamento aquela marca, não chega aos 2k e tem melhores prestações térmicas e acústicas.

    - na escada metálica, tinha um orçamento só para o ferro de 10k, fui a uma empresa que só faz escadas, 6k já com os degraus em Madeira. Mas a empresa dos 10k, faz-me a mezanino por 1k e tive outros a pedir 3k...

    - nas divisórias e tetos falsos, o primeiro orçamento era de 12k (até ficou ofendido quando perguntei a marca do material), agora estou a receber de 5k com material placo/Knauf, empresas já com algum porte e com muita obra feita com bom feedback.

    - podia falar o mesmo da escavação, do estuque...

    - na compra de materiais as diferenças são menores em%, mas ainda se ganha umas centenas/ milhares de € em cada compra.

    - acabei de comprar as torneiras, umas em PT e outras pelo sonono, da para poupar bastante.

    - revestimentos cerâmicos, adjudiquei a uma empresa da Lixa, mais uma poupança relevante face às de aqui perto.

    - ramal de pluviais, metade do preço cobrado pelos SIMAR, mais uma poupança.

    Eu não regateio preços nas empreitadas, não quero lá o pessoal contrariado ou a pressa ou a rapar nos materiais/ consumiveis, nos materiais já regateio um pouco, ou como venho de tal parte eles já fazem um desconto especial de corrida, nem tenho de gastar o meu latim :)

    Tenho tido a ajuda/ contactos de muita gente, até aqui do FDC ( o meu agradecimento), mas vale bem a pena, tenho tempo e gosto para estas coisas.

    Até o meu empreiteiro já me liga a pedir contactos para comprar isto é aquilo para as outras obras :)

    Aprendi rápido que o importante é menos conversa / teoria e mais ação.
    Concordam com este comentário: snob, Nostradamus, ricat, Palmix, gsobral
    Estas pessoas agradeceram este comentário: powerPT
  7.  # 127

    Colocado por: RUIOLICada um deve definir o que pode pagar e a qualidade compatível com tal. Depois é fazer o trabalhinho de casa, ter tudo especificado e pedir preços, estudar alternativas...

    Vou dar alguns exemplos:

    - tinha um orçamento de caixilharia de 2020 de 10k, agora já pediam 20k... fui ao mercado, a mesma coisa 11k. Até prefiro este instalador, tem curso de passive House.

    - pedi um orçamento de porta, 4,5k. Passei no blog da casa dos catitos, vi que a porta era parecida com a que pretendo, pedi orçamento aquela marca, não chega aos 2k e tem melhores prestações térmicas e acústicas.

    - na escada metálica, tinha um orçamento só para o ferro de 10k, fui a uma empresa que só faz escadas, 6k já com os degraus em Madeira. Mas a empresa dos 10k, faz-me a mezanino por 1k e tive outros a pedir 3k...

    - nas divisórias e tetos falsos, o primeiro orçamento era de 12k (até ficou ofendido quando perguntei a marca do material), agora estou a receber de 5k com material placo/Knauf, empresas já com algum porte e com muita obra feita com bom feedback.

    - podia falar o mesmo da escavação, do estuque...

    - na compra de materiais as diferenças são menores em%, mas ainda se ganha umas centenas/ milhares de € em cada compra.

    - acabei de comprar as torneiras, umas em PT e outras pelo sonono, da para poupar bastante.

    - revestimentos cerâmicos, adjudiquei a uma empresa da Lixa, mais uma poupança relevante face às de aqui perto.

    - ramal de pluviais, metade do preço cobrado pelos SIMAR, mais uma poupança.

    Eu não regateio preços nas empreitadas, não quero lá o pessoal contrariado ou a pressa ou a rapar nos materiais/ consumiveis, nos materiais já regateio um pouco, ou como venho de tal parte eles já fazem um desconto especial de corrida, nem tenho de gastar o meu latim :)

    Tenho tido a ajuda/ contactos de muita gente, até aqui do FDC ( o meu agradecimento), mas vale bem a pena, tenho tempo e gosto para estas coisas.

    Até o meu empreiteiro já me liga a pedir contactos para comprar isto é aquilo para as outras obras :)

    Aprendi rápido que o importante é menos conversa / teoria e mais ação.


    Ruioli, parece-me que tem ai um nicho de mercado / possibilidade de futuro emprego ;)
    Estas pessoas agradeceram este comentário: RUIOLI
  8.  # 128

    Colocado por: Joao DiasMinimos históricos porque não há para vender. Não é por não haver quem queira comprar!!

    João, essa é uma nova variável na lei da oferta procura, então não havendo oferta o preço desce?
    Concordam com este comentário: Palmix, NPRP
  9.  # 129

    Colocado por: RUIOLICada um deve definir o que pode pagar e a qualidade compatível com tal. Depois é fazer o trabalhinho de casa, ter tudo especificado e pedir preços, estudar alternativas...

    Eu não regateio preços nas empreitadas, não quero lá o pessoal contrariado ou a pressa ou a rapar nos materiais/ consumiveis, nos materiais já regateio um pouco, ou como venho de tal parte eles já fazem um desconto especial de corrida, nem tenho de gastar o meu latim :)

    Concordam com este comentário:snob


    No geral é o que tenho feito e evito regatear empreitadas...
    Concordam com este comentário: Palmix, RUIOLI
  10.  # 130

    Então e como regateiam materiais?
  11.  # 131

    Colocado por: Nito67Comparar os preços de uma habitação em França perto da Suíça com os preços em Portugal não faz sentido. Quanto ganha um profissional da construção civil em Portugal em comparação com a França? A taxa de esforço para se comprar casa em Portugal ou no resto da Europa é que importa. Nesse aspecto é mais difícil comprar em Portugal segundo a minha opinião.
    Concordam com este comentário:HAL_9000,desofiapedro
    Mesmo que ganhe o dobro, as casas custam mais que o dobro e os prazos para pagar creio que sejam de no máximo 30anos
  12.  # 132

    Colocado por: SasapoRuioli, parece-me que tem ai um nicho de mercado / possibilidade de futuro emprego ;)


    Já estou a juntar documentação, para no fim da obra, junto de uma universidade pedir a equivalência ao curso de engenharia civil, posso fazer inglês técnico ao domingo :)

    Ah, muito importante, não é um trabalho a solo, a minha mulher ajuda-me bastante a fazer os primeiros contactos/ triagem e depois a fazer pressão quando alguém não cumpre os prazos :)
  13.  # 133

    Colocado por: NostradamusVa dizer isso aos miúdos de 20-30 anos que não conseguem sair da casa dos pais,
    Eu se não tivesse saido de Portugal provavelmente seria um desses, assim espero começar a construir antes dos 30.
    Um português vai para fora e em meia duzia de meses junta dinheiro para a entrada de uma casa, um Suíço como é que faz isso?
  14.  # 134

    Colocado por: DR1982Então e como regateiam materiais?


    Sendo atrevido :) Normalmente é perguntar...
  15.  # 135

    Colocado por: RUIOLI

    Sendo atrevido :) Normalmente é perguntar...
    Mas do género, Então e não da para fazer mais barato?” É isso ? 😂
  16.  # 136

    Colocado por: DR1982Mas do género, Então e não da para fazer mais barato?” É isso ? 😂


    Como normalmente vou a lojas referenciadas por alguém, já sei que descontos eles praticam, se não me fizerem esse desconto... ah e tal tenho um amigo que teve um desconto de tal, vinha com essa expectativa e agora fiquei desiludido :)
  17.  # 137

    Colocado por: pguilherme
    Só que deveria ser o oposto. Se há pouco, como é que pode estar barato?

    O que acontece quando há muita procura e pouca oferta?

    Lol, mas os mínimos históricos não são de valor mas sim de vendas.
    Nunca em nenhum lugar do mundo a madeira ou os derivados de madeira estiveram tão caros como hoje em dia. E os EUA são dos Paises que mais estão a sofrer com isto.
    E aqui nem vale a pena virem com teorias da conspiração pois falo com eles literalmente todos os dias.
  18.  # 138

    Colocado por: HAL_9000Mas assim não está a ganhar dinheiro com a inflação? é isto que me faz confusão.

    Não precisa responder uma vez que não está sobre anonimato no fórum. E admito que exista um conjunto de variáveis que eu não esteja a considerar. Mas parece-me claro que mantendo margens percentuais, se ganhe dinheiro com o aumento do preço base.

    Não, porque as nossas margens diminuiram, não aumentaram nem se mantiveram. Se assim fosse, os profissionais andavam todos desejosos que a inflação subisse desmesuradamente.
    Os acertos têm sido feitos nos valores da mão de obra que é de facto a única variável que conseguimos controlar.
    Quem tiver dúvidas é vir ter comigo que mostro ao vivo e a cores como o que estou a escrever é a mais pura das verdades.
    No fim, importa manter uma determinada justiça entre o trabalho que se entrega VS o que o cliente paga. Mas esse sempre foi o nosso mote orçamental.
    Para terminar, e a titulo de exemplo, o ano passado faturámos o dobro do ano anterior e tivemos menos lucro. Justamente por causa do que expus atrás.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: HAL_9000
  19.  # 139

    Colocado por: NTORION
    João, essa é uma nova variável na lei da oferta procura, então não havendo oferta o preço desce?

    Mas onde raio é que o preço desceu? O iluminado que escreveu essa deve ser o mesmo que escreveu que os materiais de construção tinham subido 6%.
  20.  # 140

    Colocado por: Joao Dias
    Mas onde raio é que o preço desceu? O iluminado que escreveu essa deve ser o mesmo que escreveu que os materiais de construção tinham subido 6%.


    João eu não disse que desceu, disse que a venda está em mínimos históricos o que comprava a teoria da elasticidade dos preços.

    Que a partir de certo nível de preços a procura reduz de forma exponencial, fazendo com que apesar de se poder vender até com maior lucro (isto mantendo a margem, 10% de 150 serão sempre mais que 10% de 50), se reduz efetivamente a capacidade produtiva e de criação de receita do sector.

    Haverá áreas em que se acabará a ter de comer margem ou reduzir outros custos para se continuar a contratualizar venda/serviço.
    Concordam com este comentário: Joao Dias
 
0.0368 seg. NEW