Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 101

    Houve outra situação que estava (e está) relacionada com a dupla tributação, ou seja, imposto sobre imposto, neste caso era o ISV sobre o IVA ou vice-versa, também não faço ideia de como isso ficou.
    • RCF
    • 24 abril 2023

     # 102

    Colocado por: Vítor MagalhãesHouve outra situação que estava (e está) relacionada com a dupla tributação, ou seja, imposto sobre imposto, neste caso era o ISV sobre o IVA ou vice-versa, também não faço ideia de como isso ficou.

    isso mantém-se igual...
  2.  # 103

    Sim, esta é uma pérola do sistema fiscal Português: Paga-se valores já de si absurdos de ISV, que é um imposto, e depois paga-se o IVA sobre o valor apurado (base + ISV), ou seja, paga-se imposto de um imposto. Não sei como é que isto se mantém há tantos anos sem que ninguém faça nada...
    Concordam com este comentário: Vítor Magalhães, dom123
  3.  # 104

    Colocado por: pcspinheiroNão sei como é que isto se mantém há tantos anos sem que ninguém faça nada...

    Isso aplica-se em dezenas de casos, os combustíveis por ex.
    E não é exclusivo português.
  4.  # 105

    Ainda há por aí adeptos de carros eléctricos, ou eclipsaram.se com a subida dos preços dos carregamentos e dos impostos indirectos sempre crescentes á velocidade da ...luz!

    Os chineses da three gorges agradecem!

    Alguém sabe se já alguma venda das barragem da EDP já pagou o imposto devido, e se a autoridade tributária já emitiu o tal parecer há muito esperado?

    Se eles não pagam, nós tb. podemos não pagar ?
  5.  # 106

    https://en.m.wikipedia.org/wiki/Whataboutism
    De nada ;-)

    Colocado por: carlosj39Ainda há por aí adeptos de carros eléctricos, ou eclipsaram.se com a subida dos preços dos carregamentos e dos impostos indirectos sempre crescentes á velocidade da ...luz!

    Você tem vivido debaixo de uma rocha? Discute-se neste fórum mesmo mudanças de comercializador e como há actualmente electricidade virtualmente gratuita, com potencial para em breve nos pagarem para entrar energia em casa... Estamos numa época de energia anormalmente baixa e vem falar de subida de preços... É mesmo só gostinho de falar mal porque sim.
    Concordam com este comentário: Vítor Magalhães
  6.  # 107

    Colocado por: carlosj39Se eles não pagam, nós tb. podemos não pagar ?

    Tem alguma barragem para vender?
    Esse negócio não vendeu nenhuma barragem - são todas do Estado. Houve uma cedência de exploração que é um negócio diferente. Uma espécie de trepasse que não sei qual o imposto a aplicar.
  7.  # 108

    Eh eh, não, vivo num caixote.. de betão (apartamento). Electricidade gratuita? Está a falar de painéis solares? Os carregamentos na via pública que eram gratuitos, não estão agora caríssimos, quase ao preço da gasolina?

    As barragens não era suposto pagarem um imposto (200 ou 300 milhões) ao Estado pela venda, pese embora o negócio tenha querido não parecer uma venda?

    Se a EDP e as empresas não pagam os impostos devidos, por maioria de razão os outros contribuintes tb. não deveriam pagar. Dito o mesmo doutra forma se calhar nós pagamos o alto IRS e os altos impostos que pagamos porque há muitos , e grandes!, Que não pagam!


    Colocado por: Bruno.Alveshttps://en.m.wikipedia.org/wiki/Whataboutism
    De nada ;-)


    Você tem vivido debaixo de uma rocha? Discute-se neste fórum mesmo mudanças de comercializador e como há actualmente electricidade virtualmente gratuita, com potencial para em breve nos pagarem para entrar energia em casa... Estamos numa época de energia anormalmente baixa e vem falar de subida de preços... É mesmo só gostinho de falar mal porque sim.
  8.  # 109

    Colocado por: carlosj39Electricidade gratuita? Está a falar de painéis solares? Os carregamentos na via pública que eram gratuitos, não estão agora caríssimos, quase ao preço da gasolina?

    Epa não...
    Leia faxabôre as últimas páginas deste tópico
    https://forumdacasa.com/discussion/66214/76/mudar-da-edp-para-outra-fornecedora-de-electricidade-qual/#Item_3
    Há comercializadores de energia para a mobilidade elétrica que também estão no mercado spot e, por muito que eu abomine (e abomino) o modelo da rede pública de carregamento, e fácil conseguir carregar o carro mais barato na rua do que em casa.

    Colocado por: carlosj39Se a EDP e as empresas não pagam os impostos devidos, por maioria de razão os outros contribuintes tb. não deveriam pagar. Dito o mesmo doutra forma se calhar nós pagamos o alto IRS e os altos impostos que pagamos porque há muitos , e grandes!, Que não pagam!

    Isso é whataboutism na forma mais pura, desculpe...
    Já janta à luz do candeeiro a petróleo e levou o telemóvel para entregar para reciclagem? Escreveu esse post a partir de um quadro de ardósia? De certeza que não usou um equipamento que use electricidade...
    A Galp teve há uns anos um perdão fiscal brutal. Com toda a certeza deixou de andar de carro e só se desloca de bicicleta...
    Menos. Por favor menos. É conversa sem qualquer fundo, de desdizer porque sim, de treta pura. Não leva a nada e pior, desvirtua a conversa valida que pode vir de trás.
    • AMG1
    • 27 abril 2023

     # 110

    Colocado por: carlosj39Eh eh, não, vivo num caixote.. de betão (apartamento). Electricidade gratuita? Está a falar de painéis solares? Os carregamentos na via pública que eram gratuitos, não estão agora caríssimos, quase ao preço da gasolina?

    As barragens não era suposto pagarem um imposto (200 ou 300 milhões) ao Estado pela venda, pese embora o negócio tenha querido não parecer uma venda?

    Se a EDP e as empresas não pagam os impostos devidos, por maioria de razão os outros contribuintes tb. não deveriam pagar. Dito o mesmo doutra forma se calhar nós pagamos o alto IRS e os altos impostos que pagamos porque há muitos , e grandes!, Que não pagam!


    Descobriu isso agora?
    Se quiser ter uma ideia dos milhões em causa é só ir ao relatorio anual de cada uma dessas empresas e comparar os resultados com o IRC pago, verá a diferença entre o que efectivamente pagam e o que deveriam pagar se fosse aplicada a tx normal.
    Singularidades de Portugal, todos se queixam da complexidade do sistema fiscal complexo, mas ainda mais se aproveitam dele.
  9.  # 111

    Na altura desta controversia (é ir ao histórico do Youtube) houve partidos politicos, de esquerda e de direita, que se insurgiram contra o facto da EDP não pagar esse imposto pela venda das barragens... Se bem me lembro houve tambem uma associaçáo cívica do Tamega que se formou para reivindicar isto!

    Entretanto a comunicação social, que é na realidade quem infelizmente nos governa de facto, e esses mesmos partidos calaram-se sobre o assunto!



    Colocado por: AMG1

    Descobriu isso agora?
    Se quiser ter uma ideia dos milhões em causa é só ir ao relatorio anual de cada uma dessas empresas e comparar os resultados com o IRC pago, verá a diferença entre o que efectivamente pagam e o que deveriam pagar se fosse aplicada a tx normal.
    Singularidades de Portugal, todos se queixam da complexidade do sistema fiscal complexo, mas ainda mais se aproveitam dele.
  10.  # 112

    Colocado por: AMG1Singularidades de Portugal, todos se queixam da complexidade do sistema fiscal complexo, mas ainda mais se aproveitam dele.

    Singularidades de outros países como a Irlanda ou os Países Baixos que com um saque fiscal mais baixo atraem as grandes empresas. Ganham mais e gastam melhor.
    E volto a fazer um desenho : as barragens tal como as autoestradas não pertencem ás empresas que as exploram. Por isso o saque fiscal tem outras formas.
  11.  # 113

    Alguém tem ideia de quanto tempo pode demorar a resposta ao pedido de homologação (form online) no IMT agora em pleno mês de Agosto? Dá jeito saber para alinhar a ida à inspecção.

    Já agora, para memória futura, o comprovativo do registo do pedido de homologação foi direitinho à pasta Spam do gmail.

    A propósito da inspecção, liguei para um centro que me informou de que tenho de ser eu a garantir que o acesso ao número de série no bloco do motor está desimpedido e que pare isso tenho de remover um aro que o impede, antecipadamente. Já tinha lido aqui sobre a necessidade em desmontar algumas peças para aceder ao mesmo, mas não fazia a ideia que tínhamos de ser nós a fazê-lo. Este é o modus operandi ou varia consoante o centro de inspeções?
  12.  # 114

    Colocado por: Zé MeirinhoAlguém tem ideia de quanto tempo pode demorar a resposta ao pedido de homologação (form online) no IMT agora em pleno mês de Agosto? Dá jeito saber para alinhar a ida à inspecção.

    Já agora, para memória futura, o comprovativo do registo do pedido de homologação foi direitinho à pasta Spam do gmail.

    A propósito da inspecção, liguei para um centro que me informou de que tenho de sereua garantir que o acesso ao número de série no bloco do motor está desimpedido e que pare isso tenho de remover um aro que o impede, antecipadamente. Já tinhalido aquisobre a necessidade em desmontar algumas peças para aceder ao mesmo, mas não fazia a ideia que tínhamos de ser nós a fazê-lo. Este é o modus operandi ou varia consoante o centro de inspeções?


    Remover aro? Mas que carro é?
  13.  # 115

    "Aro" certamente que não é a melhor palavra. É uma carrinha c300e. Parecem-me ser 2 peças a remover por baixo do carro como mostra este vídeo: Número motor c300
    •  
      taunus
    • 8 agosto 2023 editado

     # 116

    Colocado por: Zé Meirinho"Aro" certamente que não é a melhor palavra. É uma carrinha c300e. Parecem-me ser 2 peças a remover por baixo do carro como mostra este vídeo:Número motor c300


    Ah, OK. São as carenagens.

    Já agora, em que site comprou? O processo de legalização tratou directamente ou com intermediário?
  14.  # 117

    Colocado por: taunus

    Ah, OK. São as carenagens.

    Já agora, em que site comprou? O processo de legalização tratou directamente ou com intermediário?


    Site: mercedes-benz.de
    Tratei directamente.
    Concordam com este comentário: argo
  15.  # 118

    Colocado por: Zé Meirinho

    Site: mercedes-benz.de
    Tratei directamente.
    Concordam com este comentário:argo


    Dê-nos por favor uma pequena descrição do processo: escolheu no site, reservou, dirigiu-se à Alemanha, método de pagamento, seguro... Vou tratar da compra de um e gostava de conhecer a sua história.
  16.  # 119

    E também quanto estima poupar em todo o processo.
  17.  # 120

    Escolha do site:
    Comecei pelo mercado nacional (standvirtual e concessionários secção de usados). Achei tudo caro (semi novos ao preço de novos), garantias curtas, muitos km,... Depois passei para os 2 sites sugeridos aqui no post (filtro para dealers). Alguns vendedores não falavam inglês e a garantia dos usados (nos anúncios que contactei) era apenas local.

    Acabei por procurar diretamente nos sites das marcas ".de", nas secções de usados (isto não envalida que o mesmo anúncio esteja também replicado no mobile.de ou noutra plataforma).

    Agendamento:
    No caso da Mercedes, os contactos são gerais de cada concessionário e o atendedor automático só tem opções em alemão. Liguei pare vários e pareceu-me que era sempre igual. Digitava o número sempre que ouvia a palavra "Verkäufer" e lá ia parar ao call center das vendas. Pediam os meus contactos e era contactado umas horas depois (ou dia seguinte) por um vendedor.

    Algumas oportunidades morriam logo (por telefone) ao serem revelados/discutidos determinados detalhes com o vendedor. Aconselho paciência nesta fase.

    Fiz um pequeno estudo com algumas dezenas de carros (anúncio, modelo, ano da viatura, extras relevantes, KM, Preço DE, Preço PT). Elegi uma short list de 3 e marquei visitas.

    Negócio:
    Com a ajuda dum familiar (big plus), escolhi o carro (após visita, test-drive,...) e ainda baixei 600€ (tinha uns riscos insignificantes para mim e devia dar jeito à marca não os pintar).

    O vendedor mandou a papelada de compra para assinar e o negócio ficou reservado por 1 dia útil sob compromisso de enviar tudo assinado a tempo.

    Pagamento:
    Aqui pareceu-me haver ligeira diferença entre concessionários. No meu caso só houve exigência em assinar a papelada. O carro só podia ser levantado cerca de 2 dias após a entrada do dinheiro. Noutros concessionários exigiam o pagamento logo a full para reservar o carro. Numa manhã assinou-se tudo, paguei, enviei comprovativo da transferência e recebi o COC, Tiel I e II.

    Levantar a viatura:
    Está marcado. Homologação pedida ao IMT e inspecção agendada.

    Poupança:
    O mesmo modelo, ano, e com o dobro dos km estava no stand virtual a partir de 16k mais caro. Sendo um PHEV , tenciono gastar entre 2k-2.5k (já com impostos, viagem ida, regresso a conduzir (simulação via Michellin), matrícula temp exportação, inspecção, etc). Por 600€ tinha a oportunidade de trazer em reboque, mas a disponibilidade e timing não deram fazer adjudicar.
    Estas pessoas agradeceram este comentário: rjmsilva, smart, Bruno.Alves
 
0.0367 seg. NEW