Iniciar sessão ou registar-se
    • eu
    • 3 novembro 2022

     # 1

    Colocado por: HAL_9000Mas subidas de juros galopantes...acho que também não.

    Os economistas dos bancos centrais discordam de si.
  1.  # 2

    Colocado por: euOs economistas dos bancos centrais discordam de si.
    e discordam deles próprios há uns meses atrás. E coerência?
  2.  # 3

    Colocado por: CarvaiProntes, vão acabar com os vistos gold. Agora já vou poder trocar o meu T3 na Amadora por uma vivenda na Qta da Marinha pois vai acabar a especulação imobiliária.


    Claro, diria até que arranja uma V7 na Quinta Patino, ou não fossem claramente os 11.000 vistos emitidos nos últimos 10 anos, em 1.3 milhões de imoveis transacionados os grandes causadores da especulação imobiliária, ou então é só areia para os olhos :) .
  3.  # 4

    Hum
    Se acabarem os vistos gold( que pouca influência terá tido), anularem não é acabarem ...com o programa para imigrantes sem pagar impostos, devolverem imigração eventualmente descontrolada e alterar no turismo local, aliado as taxas de juro a subir e ao desemprego que se afigura motivado pelo preço das matérias primas e nergia na produção, pode ter a certeza que milhares de casas ficaram devolutas e terá um Crash nos preços.
    Mas também uma queda económica abrupta e uma crise duradoura além de descrédito do país
    Agora
    E tarde
    Não interessa acabar.
    O que interessa e avaliar o que as medidas trouxeram e aos prejuízos originados com a incapacidade dos jovens adquirirem casa, acabando por emigrar..
    E a maioria diz que já não volta. Estamos na globalização e muitos demoram mais a fazer porto Lisboa do que Lisboa para qualquer país da Europa.
    O que se exigia aos governos era planeamento, ponderação e avaliar as consequências das medidas..
    Mas o que interessa é o populismo a
    E o povo gosta
    Agora é tarde
    Está tudo fudi**
    Portugal em vez de se concentrar no turismo de luxo é o que vê...
    • eu
    • 3 novembro 2022

     # 5

    Colocado por: HAL_9000e discordam deles próprios há uns meses atrás.

    A Lagarde andou a tapar o sol com a peneira, mas depois acabou por cair na realidade.

    Já os USA não andaram com meias medidas e trataram de subir logo as taxas de juro.

    Adivinhe quem é que tem agora a maior inflação?
  4.  # 6

    Colocado por: eu
    Já os USA não andaram com meias medidas e trataram de subir logo as taxas de juro.

    Adivinhe quem é que tem agora a maior inflação?
    Não sei se está a resultar assim tão bem como está a sugerir:

    https://www.publico.pt/2022/10/13/economia/noticia/inflacao-subir-eua-abre-duvidas-aumento-juros-agressivo-2023931
    • eu
    • 3 novembro 2022

     # 7

    Colocado por: HAL_9000Não sei se está a resultar assim tão bem como está a sugerir:

    Não está a correr bem em lado nenhum, mas onde está pior?

    Nos EUA onde atuaram rapidamente nas taxas de juro?

    Ou na UE, onde a Lagarde andou a fingir que não era preciso subir as taxas de juro?
  5.  # 8

    Os EUA já atingiram o ponto de inflexão:
    Concordam com este comentário: eu
  6.  # 9

    Colocado por: euNão está a correr bem em lado nenhum, mas onde está pior?

    Nos EUA onde atuaram rapidamente nas taxas de juro?

    Ou na UE, onde a Lagarde andou a fingir que não era preciso subir as taxas de juro?
    As causas da inflação nos EUA são as mesmas que cá?

    Eles vão subir os juros até que valor?

    Qual é taxa que garante a inflação a 2% sem matar a economia?
  7.  # 10

    Colocado por: HAL_9000Nisto estamos iguais. Aqui por casa mantemos o mesmo gasto em supermercado que no início do ano, ajustamos as compras ao orçamento, não sei é de da para gerir assim muito mais tempo.
    Irrita-me profundamente quando comento com alguém a escalada dos preços e me respondem "também não aumentou assim tanto", " nem tinha reparado", "também foram só 10 cêntimos e eu nem bebo muito leite", ect...

    Mas contra esse laxismo das pessoas nada posso fazer. Só acho que só se vão aperceber do estado das coisas quando o dinheiro já não chegar para as contas.
    Concordam com este comentário:Quilleute,eu


    Mas o mesmo se pode aplicar aos juros... Enquanto andaram negativos durante uma década ninguém deu grande importância (pelo contrário, aproveitaram a oportunidade). Agora que acabou o dinheiro é que os bancos são uns incompetentes e mauzões.
    Concordam com este comentário: eu, *cc, hsousa
    •  
      NTORION
    • 3 novembro 2022 editado

     # 11

    Colocado por: euVocê não acha estranho todos os bancos centrais estarem a fazer o mesmo? Eles são todos burros?

    Candeia que vai à frente alumeia 2 vezes... se a FED sobe os juros, pouco resta senão fazer o mesmo, caso contrário a desvalorização do euro tb tem impacto na inflação.
    • sltd
    • 3 novembro 2022

     # 12

    Colocado por: eu
    A Lagarde andou a tapar o sol com a peneira, mas depois acabou por cair na realidade.

    Já os USA não andaram com meias medidas e trataram de subir logo as taxas de juro.

    Adivinhe quem é que tem agora a maior inflação?

    O BCE é controlado politicamente. O FED não (pelo menos não tanto).
    Concordam com este comentário: ferreiraj125
  8.  # 13

    Já andamos a importar inflação por via monetária há uns tempos...
  9.  # 14

    Colocado por: PedroNunes24Mas o mesmo se pode aplicar aos juros... Enquanto andaram negativos duranteuma décadaninguém deu grande importância (pelo contrário, aproveitaram a oportunidade). Agora que acabou o dinheiro é que os bancos são uns incompetentes e mauzões.
    O mesmo BCE que acha por bem o galope de juros é o mesmo que achou por bem taxas negativas. A competência é a mesma, bate certo.

    Óbvio que as pessoas sentem mais quando perdem qualidade de vida.
  10.  # 15

    Colocado por: PedroNunes24Os EUA já atingiram o ponto de inflexão:
      a.JPG


    Não esquecer a definição de taxa de inflação: A taxa de inflação homóloga é o preço do cabaz completo num determinado mês, comparado com o seu preço no mesmo mês um ano antes.

    Isto para dizer que um ano de histórico, como esse do gráfico, significa que a inflação no mês de outubro acresce à inflação que já existia em igual mês do ano anterior, pelo que a inflexão pode ainda não ter chegado.
  11.  # 16

    Colocado por: taunusIsto para dizer que um ano de histórico, como esse do gráfico, significa que a inflação no mês de outubro acresce à inflação que já existia em igual mês do ano anterior, pelo que a inflexão pode ainda não ter chegado.
    Exacto, e os EUA no ano passado já tinham inflação em outubro. Ou seja a inflação aparente pode resultar mais da comparação com o ano anterior do que propriamente do efeito da subida dos juros.

    De qualquer forma, continuo a achar que a origem da inflação dos EUA, não é bem a mesma da nossa.
    • AMG1
    • 3 novembro 2022

     # 17

    Colocado por: NTORION
    Candeia que vai à frente alumeia 2 vezes... se a FED sobe os juros, pouco resta senão fazer o mesmo, caso contrário a desvalorização do euro tb tem impacto na inflação.


    Convém ter em conta que as decisões da FED afectam apenas uma economia, enquanto as do BCE afectam várias e com situações muito diferentes. Do mesmo modo, as assimetrias entre os orçamentos dos estados podem sempre ser resolvida com o orçamento federal e na UE é o que se sabe.
    Zonas economicas tão díspares a partilharem a mesma moeda...nao há milagres. A gestão do BCE parecerá sempre errática, mas provavelmente está so a ser realista.

    Depois tambem é importante lembrarmos que estes anúncios e prenunciamentos varios das autoridades monetárias tem muito que ver com a gestao de espectativas. Se a malta se convencer que isto vai ficar feio, maior a probabilidade de refrear o consumo e nesse caso menor a probabilidade das tx de juro terem subir ainda mais.

    Sinceramente acho que colocarmos como alvo o BCE é mesmo matar o mensageiro, porque não nos agrada a mensagem.

    Depois não nos esqueçamos que na crise das dividas públicas, o BCE foi mesmo a única autoridade europeia que percebeu o problema e até algo a contragosto de alguns governos fez o necessario para estancar a sangria, cujo fim muito provavelmente seria o fim do euro e quem sabe se da UE.
    • AMG1
    • 3 novembro 2022

     # 18

    Colocado por: b3dukes

    Claro, diria até que arranja uma V7 na Quinta Patino, ou não fossem claramente os 11.000 vistos emitidos nos últimos 10 anos, em 1.3 milhões de imoveis transacionados os grandes causadores da especulação imobiliária, ou então é só areia para os olhos :) .


    Nem 8 nem 80. Moradias V7 na quinta da marinha ou no algarve, ou apartamentos em Lisboa a 15000/m2 provavelmente tem alguma coisa a ver com vistos gold e provavelmente muito pouco, ou nada, com taxas de juros baixas.

    Ja os t2 da Amadora nao devem ter muito que ver com vistos gold, mas provavelmente terão muito que ver com CH a taxas baixas nos últimos 10 anos.

    Aparentente os dois efeitos vão esfumar-se mas vejo saldos no horizonte. Mas também me parece-me inevitável que se sinta algum arrefecimento".
    Concordam com este comentário: hsousa
    • RCF
    • 3 novembro 2022

     # 19

    Colocado por: euA forma correta de resolver esse problema concreto é os consumidores estarem alerta e não comprarem produtos com preços especulativos. Os consumidores têm um papel crucial nos preços dos produtos.

    Também me parece que pode ser, um pouco, por aí.
    Claramente há preços especulativos. Há quem se esteja a aproveitar.
    Há uns dias atrás, um canal TV nacional fez uma reportagem sobre o preço do tomate e o produtor dizia que continua a vender o tomate aos mesmos €0.30 que no passado e que não compreendia como é que nos supermercados ele tinha subido tanto, sendo vendido acima dos €2... e concluía que, naturalmente, alguém se estava a aproveitar.
    E o mesmo acontece com outros produtos. Um dia destes, no supermercado, chamou-me a atenção o preço das maçãs e peras (nacionais) e das bananas (da América do Sul). As maçãs e peras tiveram um aumento enorme. Estava a pera rocha a €2,60 e a maça a preço aproximado. Já a banana estava a €1,09, portanto o mesmo preço de há um ano atrás.
    Ora, se a banana até vem do outro lado do oceano Atlântico, com o custo final muito influenciado pelo custo do transporte que, supostamente, terá subido muito, como é que se pode perceber esta evolução...?
    Moral da história - temos de comprar mais bananas e menos maçãs e peras...
    Concordam com este comentário: eu, desofiapedro, *cc, hsousa
  12.  # 20

    Se forem saldos tipo Black Friday, metade do dobro e não se sabe bem quando começam os saldos.
    Concordam com este comentário: desofiapedro
 
0.0615 seg. NEW