Iniciar sessão ou registar-se
  1.  # 81

    E por pressão politica não se acabou com o fenómeno mais cedo (VER FED).

    Quanto mais tarde e mais lenta a subida maior a mesma será, fazendo doer mais pelo dimensão da subida bem como pelo periodo de inflação com que teremos de conviver.

    Daí a importância da independência dos bancos centrais....
    Concordam com este comentário: eu
  2.  # 82

    Colocado por: luisvvProduzem, durante um curto período enquanto não conseguem reconverter e/ou reorientar produção. E tendo em conta que muito do que se compra tem origem total ou parcial noutros países, basta olhar para o mercado energético e perceber o que aconteceria.

    Está referido, curto médio prazo...

    Custos com pessoal, contratos de aluguer, prestações financeiras, leasings, FSE contratados, até contratos em que se comprometem a comprar ou vender determinada quantidade.... não são eliminados em 2 dias.
    • eu
    • 4 novembro 2022

     # 83

    Colocado por: HAL_9000Depende, o estado zela por dar educação financeira das pessoas para que saibam tomar decisões financeiras a longo prazo?


    Pessoalmente eu discordo da perspetiva de que as pessoas são X ou Y porque o estado não lhes deu educação ou formação ou outra coisa qualquer. Nunca como hoje foi tão fácil o acesso à informação e formação.

    As pessoas têm que fazer pela sua própria vida; cada um de nós é o responsável máximo da nossa própria educação, das nossas atitudes e das nossas decisões.

    Culpar o estado pelas nossas falhas é discurso que não subscrevo.
    Concordam com este comentário: smart, *cc, N Miguel Oliveira
  3.  # 84

    Colocado por: HAL_9000Eu assimilei, e obviamente não defendo inflação descontrolada como você parece estar a sugerir, apenas discordo profundamente da receita para a controlar (que diga-se de passagem, não está a resultar).


    A "receita não está a resultar" ? Porque diz isso?


    Só para esclarecer, quem definiu as políticas que causou a inflação, não são os mesmos que a tentam controlar com a formula do livro (independentemente da origem), ou com as soluções mágicas?

    Só para avaliar a competência dos ditos decisores, quem agora diz que a subida dos juros agressiva e sustentada é o único caminho para controlar os juros, são os mesmos que em março diziam que a inflação era temporária e portanto as pessoas podiam continuara a consumir à vontade? Ou que em outubro diziam quem em 2022 não estariam reunidas as condições para começar a subir juros?



    Eu explico: o BCE deixou de lado a preocupação com a inflação para combater crises e no processo anestesiou todo a gente. Agora está a tirar a anestesia e as dores vão voltar. Os governos são contra, claro, uns mais que outros.
    Concordam com este comentário: eu
  4.  # 85

    Colocado por: AMG1Pois mas nesses exemplo fico sem perceber em que se traduz essa emissao de dinheiro novo
    Eu depositei 100k no banco e simultaneamente o mesmo banco empresta-me 100k. O que se passa é que o banco me empresta o dinheiro que eu lá depositei. Ou seja eu sou simultaneamente credor e devedor do mesmo valor, o banco limitou-se a intermediar uma operação, que em abstrato e exactamente o que sempre faz. Ou seja os bancos transformam depositos em credito e, obvimente, nessa intermediação ficam com o diferencial entre juros devedores e juros credores. É este o negocio dos bancos comerciais, isto no que ao credito diz respeito.

    Mais uma vez nao estamos a complicar com alavancagens nem eventuais securitizacoes porque isso torna o processo mais complexo mas, na essência, nao o altera. Por isso é que eu nao percebo em que circunstância é que bancos comerciais "emitem" dinheiro.

    Os bancos tem de garantir a todo momento que os activos que detém (creditos, participacoes, reservas em bancos centrais, garantias em mecanismos compensação e liquidação interbancaria,...) sao suficientes para cobrir o valor depositado pelos seus clientes. O que se passa quando eu peço um credito ao banco é que eles creditam a minha conta pelo valor do emprestimo, por contrapartida do debito dessa verba na conta extrapatrimonial respetiva. Ou seja o banco nao empresta o mesmo dinheiro duas vezes, salvo se houver alavancagem, mas no nosso exemplo nao contamos com isso. Para além de que actualmente creio mesmo que estao proibidos de o fazer ou pelo menos estarão muito limitados.
    Mais uma vez eu posso nao estar a ver o filme todo, mas nao vejo como é que se cria dinheiro novo num empréstimo. Claro que estamos a libertar dinheiro para a economia, mas esse dinheiro é poupança de alguém e o banco assumiu perante esse alguém a responsabilidade do o devolver independentente do destino que lhe der enquanto o tiver à sua guarda. Se o empresta e o devedor nao lhe paga, problema do banco que tem de assumir a perda.

    Confesso que posso já estar destreinado de pensar nestes processos, mas mantenho a minha dúvida.


    Quando o seu banco lhe aprova um crédito para a compra de casa, sabe de onde vem o dinheiro que é creditado na sua conta para que possa pagar a casa ao antigo proprietário?

    A julgar por inquéritos feitos um pouco por toda a Europa, é provável que acredite que esse dinheiro que o banco faz aparecer na sua conta é capital do próprio banco ou corresponde aos depósitos que outros aforradores ali fizeram anteriormente.

    Ou, talvez, o leitor acredite que se trata de dinheiro que o seu banco foi buscar ao banco central – neste caso, o BCE – para lhe emprestar a si. Na realidade, não é bem assim que as coisas funcionam.

    Esse “dinheiro de crédito” é criado pelo próprio banco comercial, como que a partir do ar, e sobre aquilo que aparece na sua conta o banco apenas tem de manter uma pequena percentagem como reserva.

    https://observador.pt/especiais/os-suicos-vao-votar-fim-da-banca-conhecemos/
    Estas pessoas agradeceram este comentário: hsousa
  5.  # 86

    Colocado por: NTORION
    Está referido, curto médio prazo...


    Muito curto.


    Custos com pessoal, contratos de aluguer, prestações financeiras, leasings, FSE contratados, até contratos em que se comprometem a comprar ou vender determinada quantidade.... não são eliminados em 2 dias.

    Se a alternativa for fechar, resolve-se. Mas não esqueça que estamos no mundo, não em Portugal - o gajo que vende para Portugal hoje amanhã está a vender para um qualquer outro país.
  6.  # 87

    Colocado por: NTORION
    Sinceramente, ainda n percebi se ele é um mero estudante de economia que ainda n percebeu a matéria ou alguém que lê uns artigos e dá a sua opinião... Pq tem alguns erros crassos...



    Ferreira, se n houver margem, os produtores produzem na mesma, desde que o preço recebido cubra os custos variáveis, mais 1 pouco dos fixos.
    Sendo os custos fixos imutáveis no curto médio prazo, é sempre preferível continuar a produzir desse q o preço recebido cubra os custos variáveis mais uma percentagem dos fixos, por pequena que seja.
    ~

    Não percebo porque me respondes para repetires aquilo que eu já expliquei estar errado.

    Tenta perceber a minha analogia das batatas doces, senão vais continuar a não entender o que te tentei explicar.
  7.  # 88

    Colocado por: ferreiraj125Tenta perceber a minha analogia das batatas doces, senão vais continuar a não entender o que te tentei explicar.
    Só para avaliar a qualidade da fonte da explicação, onde tiraste o PhD em economia?

    Só espero mesmo que ao tirar a anestesia, o BCE não provoque uma recessão grave antes de conseguir baixar a inflação. É que nesse caso, não tirou a anestesia, deu foi um tiro na cabeça do doente (já que gosta de analogias).
  8.  # 89

    Colocado por: PedroNunes24

    Pelo que já ententi, o HAL não é contra a politica da subida de juros para combater a inflação, mas sim no efeito que ela tem sobre quem tem empréstimo à habitação com taxa variável.

    Sem o agravar da taxa variável no CH, qual é o problema então de subir os juros para combater a inflação? (mesmo assumindo que tem razão e não é a forma mais eficaz de o fazer)


    A forma como colocaste essa questão foi muito inteligente!

    Muita gente só é contra a subida dos juros porque tem credito com taxa variavel.

    Senão fosse o umbiguismo a turvar-lhes a razão, iriam querer de tudo para que a inflação fosse controlada.
  9.  # 90

    Colocado por: eu

    Há uma questão fundamental que parece que ainda não assimilou: a inflação descontrolada é que tira poder de compra diretamentea todos os cidadãos.

    A subida das taxas de juro para valores "normais", não afeta diretamente toda a gente, afeta acima de tudo os que estavam a beneficiar de dinheiro quase gratuito.
    Concordam com este comentário:*cc,N Miguel Oliveira,ferreiraj125


    E quer queiramos quer não, quem comprou casa com recurso a credito pertence ao grupo dos que foram beneficiados pelo dinheiro barato.
    Concordam com este comentário: eu
  10.  # 91

    Colocado por: ferreiraj125foram beneficiados pelo dinheiro barato.
    Sobretudo beneficiados pelo valor inflacionado que pagaram pelas casas, particularmente aqui em Portugal. Para economista, tem pouco sentido crítico.

    Quanto ao umbiguismo, turva a razão a todos, a si também, que anda à espera de saldos :).
  11.  # 92

    Colocado por: HAL_9000Sobretudo beneficiados pelo valor inflacionado que pagaram pelas casas, particularmente aqui em Portugal. Para economista, tem pouco sentido crítico.

    Quanto ao umbiguismo, turva a razão a todos, a si também, que anda à espera de saldos :).


    Pagaram um preço "inflacionado", mas os preços continuaram, e continuam, a subir.

    Na realidade tiveram um aumento patrimonial significativo bastante alavancado com dinheiro barato.

    Eu não tenho problema nenhum em admitir que para mim é mais benefico haver subida de juros do que inflação, pois "infelizmente" sou um aforrador e não um devedor, pelo que não pertenço ao grupo dos beneficiados pelo dinheiro barato.

    A diferença é que a inflação afeta toda a gente, enquanto que a subida dos juros só afeta mais pronunciadamente quem tem credito com taxa variavel, principalmente aqueles que deram passos maiores que a perna.

    Já agora HAL_9000, não entenderes o que os outros dizem, não é normal. Quando continuas a participar numa discussão sem perceberes aquilo que foi dito, tornas-te chato.
    Concordam com este comentário: eu
  12.  # 93

    Colocado por: ferreiraj125Na realidade tiveram um aumento patrimonial significativo
    Para quem faz disso negócio, sim concordo plenamente, a não ser que tenha comprado no último ano, porque aí é capaz de correr mal)

    Por outro lado quem compra habitação, não converte a habitação em dinheiro de um momento para o outro, porque não pode morar na rua. Logo importa pouco a teoria monetária. Pode vender e ir morar para uma barraca, mas aí mais uma vez está-se a impor pobreza, que é o que se pretende evitar supostamente.
  13.  # 94

    Colocado por: ferreiraj125Quando continuas a participar numa discussão sem perceberes aquilo que foi dito, tornas-te chato.
    Percebo perfeitamente, não se preocupe com a minha falta de compreensão. Muito provavelmente estarei a considerar outras dimensões do problema que o ferreiraj125 nem se questiona precisamente por ser aforrador. Eu se tivesse uma quantia muito grande investida, e que estivesse a render abaixo dos 10%, também estava puto da vida por estar a perder capital e defendia com unhas e dentes subidas agressivas de juros.

    Se me garantir que o BCE consegue identificar a taxa de juro que baixe a inflação sem provocar estagflação penosa, eu deixo de ser chato. Atá lá parece-me que andam completamente ás cegas, a copiar a FED, e sem saber minimamente o efeito concreto das decisões que tomam. Veja o Centeno, o gajo muda de opinião em 3 semanas, devo eu confiar nestas pessoas?

    Era tão mais fácil se uma discussão fosse toda na mesma direção, não era? Assim não havia chatos.
    Concordam com este comentário: socio
    • AMVP
    • 4 novembro 2022

     # 95

    Colocado por: HAL_9000estagflação

    Qual estagflacao?
    • smart
    • 4 novembro 2022 editado

     # 96

    Colocado por: eu

    Pessoalmente eu discordo da perspetiva de que as pessoas são X ou Y porque o estado não lhes deu educação ou formação ou outra coisa qualquer. Nunca como hoje foi tão fácil o acesso à informação e formação.

    As pessoas têm que fazer pela sua própria vida; cada um de nós é o responsável máximo da nossa própria educação, das nossas atitudes e das nossas decisões.

    Culpar o estado pelas nossas falhas é discurso que não subscrevo.
    Concordam com este comentário:smart

    Hum
    Até diria mais, com todo o respeito, mas faço o pq não sou hipócrita.
    As pessoas passam demasiado tempo a nos faces,insta, toks, telegrama e afins, e a ver programas de entretenimento em vez de melhorarem a literacia, independente da área, pois enriquece o conhecimento, proporciona capacidade de fundamentação e leva nos a ter as próprias opiniões, que poderão ser alvo de erro ou vício.
    Outros são peritos é nas discussões acerca do futebol, que a pouco lado nos leva.
    A preguiça do adquirir saber, sem prejuízo de muitos não terem tempo para o procurar, face a intensidade das suas vidas, leva a aceitar opiniões viciadas e a enforcamentos em negócios que comprometem as suas qualidades de vida e até relações.
    Por aqui, escrevi várias vezes que TX fixa a 30 anos, cotada a 0.5% mais spread, era um negócio interessante na perspectiva de que a Euribor está a meio ponto negativo, justificando o pagamento do prêmio de 1% de diferença.
    Li considerações e opiniões com opiniões distantes, que respeito, mas que contrapuz que que a média do contrato a 30 anos a 0.5% era imperdível.
    Até pode subir e cair até negativa novamente, que eu mantenho opinião.
    Eu subscrevi e poucos alguns assim tb o fizeram.
    Questionava me o que esperavam os clientes dos bancos...que a TX fosse a 1 ou 2 negativos qd o BCE declarava que a política expansionista ia acabar?
    Bem agora o problema não é o aumento das taxas.o problema é até onde vão aumentar e a ansiedade que irá causar.
    Esperemos medidas governamentais para mitigar os efeitos se bem que até aqui ainda não vi nenhuma com interesse para o cliente, uma vez que geram o prolongamento do contrato, com os mesmos encargos de TX e spread, acabando o cliente por pagar mais de juros e de seguro de vida
    Precisam-se moratorias para o capital em dívida, durante 12 meses, para ja, pagando se apenas os juros...
    Todas estas considerações batem no mesmo.
    Pouco interesse em saber, actualizar e munir se de fundamentação para contrapor as propostas.
    É o que acho
    Concordam com este comentário: ferreiraj125, N Miguel Oliveira, eu
  14.  # 97

    Relativamente à questão do efeito dos juros na criação de moeda, este artigo explica de forma mais precisa como o dinheiro é criado pela banca comercial:

    https://www.jornaltornado.pt/donde-vem-o-nosso-dinheiro/
  15.  # 98

    Colocado por: AMVP
    Qual estagflacao?
    wait for it
    • AMVP
    • 4 novembro 2022

     # 99

    Colocado por: HAL_9000wait for it

    Nao percebeu a minha pergunta
    • *cc
    • 4 novembro 2022

     # 100

    Smart,
    Noutros tópicos éramos "chamados" de burros por termos tx fixa, que compensava juntar a diferença e amortizar...

    Agora anda nos 2/3% anda tudo aí aí aí.... Agora digo, pegam no dinheiro que pouparam e amortizar, até nem vai haver taxa de amortização em 2023.

    Ups afinal gastaram as poupanças noutras coisas ....
    Concordam com este comentário: smart
 
0.0714 seg. NEW